segunda-feira, 23 de setembro de 2013

CITAÇÃO : DALAI LAMA


22 comentários:

  1. Lindo e sábio! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  2. Uma das citações do Dalai Lama que mais me agradam.

    ResponderEliminar
  3. Desconhecia esta, mas também é das que mais me agradam.

    ResponderEliminar
  4. Ainda sem saber bem o que são os abstractos, te desejo boa semana, FeRNANDO

    ResponderEliminar
  5. É, não é, ADELINHA?

    Não vale a pena insistir em algo morto.

    Beijinhos, querida.

    ResponderEliminar
  6. Fácil de dizer, dificil concretização.
    O passado é algo dificil de despir.

    Beijos

    ResponderEliminar
  7. O passado nunca se despe...temos é saber integrá-lo na nossa vida e arranjar maneira de conviver com ele.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Não vale a pena estarmos presos a um peso morto e assim estragar tudo.

    Besos, TORO

    ResponderEliminar
  9. Reflexão perfeita e correcta

    Deixo abraço
    ************************
    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Ainda bem que concorda.

    Amistosas saudações

    ResponderEliminar
  11. CHICA, geralmente gosto das reflexões do Dalai Lama.

    Abraços

    ResponderEliminar
  12. Por vezes , complicadas de cumprir, mas sem dúvida, muito certeiras.

    Fica bem, LISA

    ResponderEliminar
  13. Tão poucas palavras e tão grande conteúdo na frase de Dalai Lama.Beijo.SU

    ResponderEliminar
  14. °º✿¸. °º✿
    Nunca estrague seu presente... isso é imprescindível, o resto... com certeza, passa!

    Boa continuação da semana.

    ♡♫°♫°Beijinhos ·.♫
    ·.•°♡Brasil °º✿♡ ·.

    ResponderEliminar
  15. Claro, o presente é o mais importante: o passado ficou lá para trás e o futuro não sabemos se o viveremos...

    Beijinhos, linda Inês!

    ResponderEliminar
  16. Sabe, SU? Eu sempre gostei muito de frases e poemas breves, mas com conteúdo muito profundo.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...