terça-feira, 13 de outubro de 2015

DONS DO AMANTE



Sobre a tua cabeleira hei-de pôr, 
para as núpcias, 
uma coroa de borboletas 
com suas asas pintadas.

Terás de volta ao pescoço flores de abóbora,
em prata,
e a lua que para ti noites e noites forjei.

Andarás pelo povo 
sobre um cavalo em turquesa. 
Um cavalo ardente e leve, 
animado pelo meu fogo de amor.

E a teus pés eu lançarei 
uma pedra quente quente:
o coração onde correm
milhões de gotas de sangue.

POEMAS DOS PELE-VERMELHAS
(" O Bebedor Nocturno" - Herberto Helder)



24 comentários:

  1. Boa tarde São
    Lindo Poema e uma bela foto. Adorei

    Beijinho e um dia feliz
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grato abraço por gostar e tenha feliz noite, CI

      Eliminar
  2. Depois de ler fiquei a pensar,
    como deveria esse belo poema
    dos pele vermelha comentar
    olhei, mas não vi nenhuma pena
    caída no chão dum passarinho a voar,

    Resolvi, então assim escrever,
    pensando nas flores de abóbora
    todavia, sem nunca esquecer
    quem de dores neste mundo chora!

    Tenha uma boa tarde amiga São, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca podemos, não , esquecer quem sofre.

      E ainda dizem que eral uns selvagens os pele-vermelhas e enquanto andam a exporta democracia à bomba pelo mundo, os EUA mantém os índios nas pomposamente chamadas Reservas!

      Tudo de bom, Eduardo

      Eliminar
  3. Belo e intenso poema em total sintonia com a foto.

    Obrigada pela partilha.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os povos ditos selvagens são capazes de tanta sensibilidade como os ditos avançados


      Beijinho, amiga

      Eliminar
  4. Muito bom, São; que bela escolha, amiga! Obrigado, boa semana.

    ResponderEliminar
  5. Uma lindafoto para um bonito poema.
    Um abraço, Élys

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que assim acha

      Meu caro, grato abraço

      Eliminar
  6. Olá São,
    O poema é muito bonito e intenso.
    Fui lendo e imaginando cada cena...
    Gostei muito!
    Beijos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grato abraço pelo apreço.

      É bem vinda , espero que tenha o prazer de a ver por aqui sempre :)

      Eliminar
  7. Conheço muito mal o autor, confesso.
    Mas gostei imenso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro, este poema faz parte dos "poemas mudados para português" que Herberto Helder escolheu para este volume.

      E ainda dissem que os peles-vermelhas eram selvagens....

      Tudo de bom

      Eliminar
  8. Um belo poema do Herbert Helder que infelizmente nos deixou à pouco tempo.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O poema não é dele, insere-se neste livro de poemas que diz "mudados para português", ou seja, traduzidos para a nossa lingua por ele.

      Agradecido e retribuido :)

      Eliminar
  9. Inspirador y precioso poema, mi muy querida amiga Sao.

    Abrazos plenos de aprecio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mi querido amigo y aún dicem que son salvajes...

      Besos , estimado Ricardo

      Eliminar
  10. No conocía a este poeta. Gracias, querida amiga, por dármelo a conocer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo mio, este livro é de poemas traduzidos por Herberto Helder, mas sim --- ele , recentemente falecido e pai de de um conhecido jornalista português de Esquerda, ´e um excelente poeta.

      Besos, estimado Pedro

      Eliminar
  11. Ton superbe poème me remet en mémoire un très beau spectacle des ballets nationaux Mexicains, venus l'an dernier dans notre petite ville. Robes chamarrés, jolies filles, beaux garçons et cette joie de vivre apportée par leurs chants et danse. Oui, un beau souvenir.
    Amitiés.

    Roger

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este maravilhoso espectáculo que tive o imenso gosto de assistir na península de Yucatão é uma girândola de cor, alegria e luz que percorre toda a História mexicana assim como a sua cultura.

      Merci et amitiés

      Eliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...