terça-feira, 25 de agosto de 2009

ORDEM?


"Os mestres actuais da ordem a todo o preço - as nossas democracias tecno-científicas - avisam-nos de que se sairmos da oredem dos «projectos» arriscamo-nos a cair no caos e tudo perdermos.



Entre a segurança que oferece a ordem, e a insegurança que vem com o caos, não existe outro termo. Como não existe entre construção/destruição, razão/desrazão, lei/crime,democracia/totalitarismo(ou anarquia, etc.



Caminhamos para uma sociedade de antinomias que nos promete o abismo se não seguirmos a única escolha possível, da ordem e da lei. Quer dizer, a única solução das antinomias está na modernização. Solução não imposta de cima por uma instância transcendente, como um Estado ou uma Religião, mas emanando da própria realidade social que visa modernizar-se.

Os nossos mestres actuais da ordem mundial - curiosamente fustigados pelo acaso que recusam - não sabem olhar para as crianças. São elas , as criativas. São livres."



JOSÉ GIL

(Filósofo, Agosto de 2009)

34 comentários:

  1. Durante toda a nossa vida encontraremos antonomias. Até as crianças vão encontrá-las !
    É sempre a luta do bem e do mal!

    Beijinhos

    Verdinha

    ResponderEliminar
  2. Entramos, pois, no campo do paradoxo, aquilo que Filosofia define como aparentemente contraditório, mas que apesar de tudo tem sentido. É, pois, o ser e não ser, o ter e não ter, não há virtude, ou seja, meio-termo, equilíbrio. São, apenas e só, os sinais dos tempos, de uma mudança que nada muda e que tudo quer mudar e alterar, mas de acordo com aquilo que uns tantos, poucos, querem impor e infligir. Mas não são apenas as crianças as visadas, é toda uma sociedade que sem família e sem laços de união, tem grandes dificuldades em se manter viva, feliz e progressiva.
    Bom fds
    Regis

    ResponderEliminar
  3. Mas no sentido focado por José Gil, penso que há hipótese de quebrar o círculo e se mantivermos um espírito aberto como o das crianças seremos capazes de criar alternativas a tudo isto que nos asfixia.

    Bom fim de semana, VERDINHA!

    ResponderEliminar
  4. A nossa sociedade tão de sucesso acha a felicidade um bem obrigatório, francamente me parece um erro.

    E para mudar realmente ...só imitando as crianças, que estão abertas e tudo experimentam sem preconceitos.

    Bom fim de semana, RETIRO.

    ResponderEliminar
  5. Venho retribuir os seus votos.

    Boa semana!

    ResponderEliminar
  6. Muito obrigada.
    Mas gostaria de saber também a sua opinião acerca do pensamneto de José gil.

    Saudações.

    ResponderEliminar
  7. O autor nos dá uma visão para refletir na possibilidade libertária e única... Na ingenuidade do bem viver... Resgatando a ordem natural da vida.
    Muito bom!
    Gostei de retornar aqui, após um longo tempo ausente nas minhas visitas aos blogs amigos, e de recebê-la com seu comentário sempre precioso.
    Uma ótima semana, São!
    Beijos da sempre amiga Helô

    ResponderEliminar
  8. Pois foi muito gostoso poder encontrá-la em ambos os espaços, viu?

    E sim as crianças são as grandes mestras, se as não estragarmos...

    Uma feliz semana, meu bem.

    ResponderEliminar
  9. Querido(a) novo(a) amigo(a),estou precisando muito da ajuda de todos os amigos. estou montando uma minibiblioteca comunitária pra crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,se voce puder me ajudar estou fazendo uma campanha de doações. pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3, ou pode doar livros ,ou pode doar máquina de costura, ou pode doar retalhos, ou pode doar computador usado. se quizer fazer aguma doação entre em contato com meu email: asilvareis10@gmail.com ,eu darei o endereço de remessa. se voce não puder me ajudar com doações pode divulgar minha campanha, tenho 2 blogs no google gostaria da sua visita: Eulucinha.blogspot.com ,obrigado pela sua atenção.

    ResponderEliminar
  10. Interessante raciocínio; gostei de conhecê-lo. Obrigado, amiga! :) Boa semana, fica bem.

    ResponderEliminar
  11. Para Kant eram as oposições contraditórias a que chega o espírito(?) (O que é o espírito?) quando aplicado a certos conceitos.
    É possível chorar e rir ao mesmo tempo.
    Como diz, talvez nas crianças seja mais fácil.
    Mas são os adultos que criam ou recriam as antinomias.

    Uma boa semana.

    ResponderEliminar
  12. Enfim, a «ordem», o «sistema», são tudo tretas que visam camuflar a exploração que é o paradigma do modelo actualemnte prosseguido.

    Deus nos acuda!

    ResponderEliminar
  13. não sabem mesmo, São

    e no entanto, quanta calma, descanso pode às vezes a contemplação das crianças trazer!

    beijinhos, boa semana!

    ResponderEliminar
  14. Olá Sao,tudo bem contigo?

    Passei para te agradecer a visita.
    Está tudo a correr bem, já visitamos a ilha o Sal, fizemos uma viagem turistica. Foi formidável.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. ... José Gil é uma das raras vozes da nossa consciência colectiva que merece ser ouvida/lida com atenção...

    beijos.

    ResponderEliminar
  16. e neste dia 25 de agosto, nasceu o meu bebé, o vicente, o meu 5ºneto!
    uma delícia...
    deixemo-las crescer livres com saúde e paz!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  17. Cara São,

    Vim aqui por indicação do blogue O Caminho do Coração.

    Bela postagem com um texto sobre a ordem e o caos, sabendo-se que ambos fazem parte da criação e que são ambos necessários, dependendo apenas da situação. Parabén pela escolha.

    Venho também convidá-la a visitar o meu blogue sobre vegetarianismo, conhecendo a filosofia que lhe dá forma e depois tendo acesso simples a receitas simples e saborosos.

    Um abraço

    António Machado

    ResponderEliminar
  18. mas a Ordem é necessaria... com liberdade indvidual...

    abrazo serrano

    ResponderEliminar
  19. Дети, безусловно, более открыты, чем мы. Но это не повод - нам ничего не делать. Возраст - понятие относительное. И в 60 лет можно оставаться молодым душой. Детям нужно помогать, но тактично... Мы будем учиться у них, а они у нас. Думаю в этом ГАРМОНИЯ.
    (Crianças são certamente mais aberto do que nós. Mas isso não é desculpa - não fazemos nada. Idade - um termo relativo. E em 60 anos podem ficar jovens no coração. As crianças precisam de ajuda, mas com tato ... Vamos aprender com eles e eles connosco. Acho que esta harmonia.)

    ResponderEliminar
  20. ANAREIS
    Boa sorte para essa sua campanha tão nobre.
    Bem haja!

    ResponderEliminar
  21. José Gil é um dos maiores pensadores actuais a nível mundial.
    Um abraço, caro ÁRABE!

    ResponderEliminar
  22. Gostaria que conseguisses ultrapassar o espectacular, XANA.
    Fica bem.

    ResponderEliminar
  23. Meu caro JOSÉ, para as crianças é tudo mais fácil porque ainda não se espartilham em preconceitos.
    Nós é que acabamos por as formatar de algum modo, nem sempre o melhor.

    Saudações.

    ResponderEliminar
  24. Bem vindo ROUXINOL DE BERNARDIM!

    Estou de acordo consigo, sabe?

    Até à volta.

    ResponderEliminar
  25. As cianças são mesmo aquilo que vale a pena preservar, não é?

    Um grande abraço, LEONOR.

    ResponderEliminar
  26. Que bom, CLÁUDIA, que bom!

    E fotos , tiraram?

    Continuem felizes e disfrutando da Natureza.

    ResponderEliminar
  27. Mil por cento de acordo , LEGÍVEL!

    Li o livro dele e quero ler o que saiu ( ou está para sair em breve).

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  28. Minha querida xará, mil parabéns e infinita felicidade para vós!

    Eu tenho um e a segunda criança está a caminho.

    Um abraço fraterno, GAIVOTA.

    ResponderEliminar
  29. Bem vindo é e será, meu caro ANTÓNIO.

    Sim, a Vida para ser inteira deve abarcar tudo.

    Fique bem.

    ResponderEliminar
  30. Caro MIXTU, sim, a Ordem é indispensável, mas não a uniformidade que nos querem impor universalmente neste momento.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  31. Querida amiga russa, concordo.

    Faço sessenta anos em 22-9-2009 e considero que tenho ainda bastante juventude de coração e de cabeça.

    Mas o principio está nas crianças, sem dúvida.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  32. que ternura de imagem.
    que excelente texto para reflexão.

    beijinho

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...