MALTA

MALTA

domingo, 13 de junho de 2010

"FALA DO TOUREIRO"

Entre
Nós ambos
A fronteira
Da morte

Daquela morte
Que é só nossa
Mas
De quem
Não sabemos a escolha
Irrevogável e única
No fugaz momento
Da decisão.

O mistério
Da trágica dança
Envolvendo
Os nossos corpos
Só terá fim
No centro do dia
No interior do círculo
Sob o peso ávido
Da multidão
Que nos cerca
e
Ao mesmo tempo
Nos liberta.


SÃO BANZA
("EM OURO CRU")

34 comentários:

  1. sangue toureiro, festa brava, o confronto que espera!
    é um espectáculo vivo, amado por muitos e odiado por tantos outros...
    assisti e participei em tantas corridas, há uns largos anos
    bom regresso, xará!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Adoro touraadas, mas na sua forma original.

    Que a tua semana seja muito feliz. minha linda!

    ResponderEliminar
  3. Querida amiga.
    Perdão; mas, mau gosto as touradas. Se fosse de igual para igual, apoiaria mas um ser pensante barbarizar um ser que só tem força e não pensa, não posso aceitar. Ainda aceitava uma tourada á corda como fazem nos Açores, mas numa arena, nunca participaria. Enfim ,são opiniões ou pontos de vista.

    ResponderEliminar
  4. Estimado amigo meu, eu aprecio touradas, sim. Mas não estas em que o animal acaba por ser sujeito a sofrimento e à morte.

    Quero eu dizer que as originais é que deveriam ser seguidas.

    Uma excelente semana par ti e para tua família.

    ResponderEliminar
  5. Não gosto de touradas.Acho péssimo.Nunva assisti a nenhuma,pois nunca me apeteceu.É um vexame para os animais e uma apoteose para os homens.


    Elas existem...é certo.Mas não deviam cortar as pontas dos chifres dos toiros e o toureio a cavalo devia ser substituido por toureio a pé...


    Touros com os chifres bem bicudos e homens no chão...seria mais justo,apesar de continuar a considerar uma "festa" sem festa

    Beijinho doce

    ResponderEliminar
  6. Gosto de touradas , principalmente de toureio apeado.

    Mas a touradas a que me refiro são as que seguem o modelo original. Acho pior as que se realizam cá do que as espanholas, porque nelas o sofrimento do animal acaba na praça.

    Já agora, detesto ver animais amestrados em circo!!

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. *
    é o sentir da SÃO BANZA,
    porquè ?
    porque é unico, belo, livre,
    ,
    ouradas conchinhas,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  8. Muito bom, São! E olhe que o tema não se presta muito à poesia. Bom ver-te de volta, amiga; boa semana!

    ResponderEliminar
  9. Amiga São,

    Podia passar e andar, mas não posso.
    Peço desculpa, nunca nos zangaríamos por uma razão sem razão.

    A verdade é que eu ODEIO touradas, sejam elas à antiga, à moderna, à espanhola, ou à .......
    O que se faz a um animal para gáudeo de um público ávido de violência, de sangue, se sofrimento, chamem-he os aficcionados o que quiseres, mas é algo doentio.

    Quando alguem mata y«uma galinha para comer, ou tira um peixe do mar e lhe rouba a vida, não toryira os animais antes, tenta que a sua morte seja rápida e eficaz.
    As touradas, bem coo as lutas de cães, de garnizos, etc, dá o que às pessoas que assistem??? que tipo de prazer pode dar???

    O confronto, a festa brava, lembra os tempos de Nero, onde os cristãos eram atirados para o ringue conjuntamente com feras, ou as lutas entre gladiadores.

    Mais uma vez peço perdão, ninguém me pediu a mimha opinião, mas eu li, e eu tinah que dizer o que penso.

    Beijinho

    Na casa do Rau

    ResponderEliminar
  10. Arena, sangre y colores, una fiesta magnifica que nos llena de encanto, de vino, peinetas y ojos picarezcos.
    un beso

    ResponderEliminar
  11. Não sou grande apreciador de tourada.
    Há uma desigualdade de meios, entre o touro e o toureiro, favorável a este.

    No entanto, isso não me impede de achar o poema bom.

    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Meu querido POETA, muiiiiitooo obrigada pela tua inesgotável amabilidade.

    Bem hajas!

    ResponderEliminar
  13. Querido ÀRABE, te agradeço teres apreciado.

    Um abraço amigo.

    ResponderEliminar
  14. Bem vinda , FERNANDA.

    Nos meus espaços há sempre a liberdade necessária para cada qual expor a sua opinião, desde que o faça sem insultar e em linguagem adequada.

    Quanto à tourada, peço desculpa, mas quando diz que não gosta de nenhuma, demonstra desconhecer as que refiro como originais: nelas o touro não era ferido, pois quem o enfrentava fazia-o de mãos nuas. Aliás, ainda hoje essa luta de igual para igual se pratica.

    Só estranho é que mais uma vez os cavalos de toureio sejam esquecidos, pobres que estão entre os chifres do touro e as esporas do cavaleiro!!

    E não sei o que pensa, por exemplo, dos animais amestrados de circo, mas digo-lhe que eu detesto ver essa horrível violência.

    Até sempre.

    ResponderEliminar
  15. Bienvenido!

    A mi, me gusta la fiesta , pero sin sangre.

    Hasta siempre.

    ResponderEliminar
  16. Agradeço gostares do poema, GATO!

    Quanto às touradas gosto de ver os forcados, pois não t~em outra arma senão o seu arrojo.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  17. Amiga São,

    Visito sempre quem me visita, é uma prática da casa so Rau.
    Ainda bem que aqui voltei para ler o seu comentário em resposta ao que deixei aqui ontem.

    Acho perfeitamente natural que seja dada a liberdade de cada um expôr as suas ideias, mesmo que não as comungue com o autor em questão, e... desde que o faço com o devido respeito.

    Não sabia mesmo o que é a tourada de que fala, sem sangue, de igual para igual, o animal não é ferido, diz.
    E o touro, tem os chifres cobertos, é assim???

    Minha boa amiga, mesmo que assim seja, e eu não estou aqui para contrariá-la, longe de mim, para que serve, a quem serve, que tipo de interesse pode ter um espectáculo desses???

    Desculpe mais uma vez, não gosto e touradas, de todas, e de todo o tipo de violência gratuíta exercida sobre os animais. bem como o risco de vida que correm toureiros, cavalos e forcados.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  18. O seu direito de não gostar de tourada é incontestável.Mas gostaria de lhe dizer que o simbolismo da mesma é muito profundo.Se me retorquir que não é actualmente respeitado , terei que concordar.

    No entanto, o meu objectivo não é o de discutir a tourada em si, mas o de saber a opinião sobre a qualidade do poema.


    Abraço.

    ResponderEliminar
  19. SÃO
    Porque a bola é redonda
    porque eu adoro futebol.

    venho deixar beijinho e...sábado vou estar ás 19 horas na feira do livro pavilhão B/35 e B/37 para uma sessão de autógrafos dos meus ultimos 2 livros .Perto das5 horas Já lá estarei para ter tempo para um café tranquilo...Com quem quizer estar comigo.
    Espero-te a ti ou a quem passarpor aqui e morar pertinho do Porto..

    BOLA REDONDA



    Bola...
    Que é apenas...
    O delírio...
    Da pequenada...
    E também dos adultos...

    Uma bola...
    Uma simples bola...
    Transforma...
    Os homens...
    Movimenta...
    O mundo...

    Pobres...
    E ricos...
    Sentem...
    Que bola...
    É alegria...
    E divertimento...

    E a bola...
    Que joga...
    Que rola...
    Que faz rir...
    E faz chorar...

    Consegue...
    Esquecer...
    Horas más...
    E fazer...
    A união...
    De um Povo!...

    LILI LARANJO

    ResponderEliminar
  20. São, não gosto das touradas.
    Os maneios de corpo dos toureiros é bonito sim, mas bem que podiam inventar um touro - robô.
    É covardia.

    Assim como os rodeios que acontecem nas muitas cidades do interior do Brasil - fazem muita maldade com os bois e touros e cavalos , prá que saltem e etc...

    1 abraço.

    ResponderEliminar
  21. Nem era necessário o robot:cheagava voltar ao modelo inicial ou retitarem as bandarilhas, os picadores e a morte.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  22. Bom sucesso. LILI!
    E do poema, que diz?
    Bom resto de semana.

    ResponderEliminar
  23. Como Toro que soy no me gustan la fiesta.

    Besos.

    ResponderEliminar
  24. A mi me gusta la fiesta, pero sin sangre.

    Besos.

    ResponderEliminar
  25. e ninguém se preocupa com os cavalinhos, "tadinhos"?
    Boa noite.

    ResponderEliminar
  26. Querida amiga, nem sei como agradecer-lhe o apoio incondicional que tenho recebido da São.
    Tenho andado um pouco ocupado com a promoção de "Sonhos Submersos" e, em breve, teremos outro livro nas bancas. Estou a terminá-lo.
    Beijos e bom fimde semana.

    ResponderEliminar
  27. Pode crer que me alegra muito a estupenda notícia que me dá o privilégio de aqui me deixar.

    Fará o favor de me informar como obter o livro, sim?

    E nada tem a agradecer.

    Que a sua noite seja serena.

    ResponderEliminar
  28. .

    . bel.íssimo poema podendo ser tema para uma reflexão maior .

    .

    . eu, há muito reflecti .

    . sou total.mente contra as touradas .

    . deixo um beijo . sempre amigo .

    .

    . paulo .

    .

    ResponderEliminar
  29. Querido Paulo, obrigda por gostares do poema e parabéns por teres a inteligência de separar as coisas!

    Contra as touradas actuais que ferem e matam os animais( poruqe não é só o touro...) também sou contra.

    Bem hajas!

    ResponderEliminar
  30. A cadência do verso é a mesma que se percebe na praça: vê-se que conheces estas artes.
    Gostei.
    Parabéns.

    Abraços de vida

    ResponderEliminar
  31. Muitissimo grata te fico , meu amigo.

    Um abraço de estima.

    ResponderEliminar
  32. Olá São, gostei do teu post...Espectacular....
    Beijos

    ResponderEliminar
  33. Grata te fico pelo apreço.

    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...