MALTA

MALTA

sexta-feira, 25 de março de 2011

DEVANEIOS :" IMPOSSIBILIDADE"



IMPOSSIBILIDADE

Passeio por dentro da dor
Há tanto tempo
Que lhe (re)conheço
Todos os cantos e odores
Mesmo quando alguém
Os cobre
Com mantos de uma luz postiça.

Nada (nos) pode disfarçar
A essência do sangue...

SÃO  BANZA
(11/2/2011)

44 comentários:

  1. Esta impossibilidade temos de a converter em algo melhor na vida de cada um.
    Não poderemos fugir à dor mas quem sabe...sonhar com aqueles momentos mais felizes nos ajude a conservar por mais tempo:
    - os mantos de luz postiça -

    ResponderEliminar
  2. Concordo de todo, meu caro.
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  3. E eu tento se alegre sempre e nem dou confiança para dor, senão ela dói mais.

    Bj.

    ResponderEliminar
  4. E faz bem, meu caro, mas há dores que não são passíveis de afastar...

    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Por um lado, a dor ensina-nos algo...e o tempo vai sempre mitigando-a.
    Belíssimo o poema.

    beijinho**

    ResponderEliminar
  6. Bela reflexão a que me deixa!
    O meu abraço agradecido.

    ResponderEliminar
  7. *•¨* ♥¨• ♥¨* •¨ ♥* ¨•¨♥¨•* ¨♥¨*.¨♥¨.*¨. ♥¨*
    Vim desejar um fim de semana de bençãos.

    Filipenses, 4:6 - Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.

    Deixo um abraço de paz e alegria.
    *•¨* ♥¨• ♥¨* •¨ ♥* ¨•¨♥¨•* ¨♥¨*.¨♥¨.*¨. ♥¨*

    ResponderEliminar
  8. Pouco mais posso fazer que deixar um beijinho e desejar bom fim de semana
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. a dor mais forte a que nos toca o coração pelos laços de sangue
    beijinhos

    ResponderEliminar
  10. O tempo atenua mas não dissipa, apenas mitiga.
    A dor tem que doer, castigar, morder: logo dói.

    Gostei deste poema teu, com manto de dor...

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  11. AMIGA
    Talvez porque envelheço, sinto uma enorme nostalgia...
    Devaneios!!!
    com rede, sem rede, temos que continuar o nosso percurso.
    Haja saúde e esperança!

    O meu último post do blog "Deabrilemdiante" é para comemorar os 30.000 VISITANTES.

    Pelo menos no Sitemeter diz que hoje já vai em 30,037 visitors.

    Uma continuação do Kalinka; ainda hoje há quem se lembre de mim como kalinka e quem me chame carinhosamente "kalinka".

    Hoje recordo a Madrinha do kalinka, a minha sobrinha Tânia.
    Partiu há 2 anos.
    Descanse em Paz!

    ResponderEliminar
  12. Querida amiga,

    Sofrido e lindo poema...


    Um beijo estalado de bom querida amiga e um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  13. São,
    mesmo conhecendo-lhe todos os odores, a dor assusta, não lhe podemos fugir é certo, mas podemos enfrenta-la corajosamente, e depois, o tempo, encarregar-se-á do resto.

    Adorei este poema!

    Beijinho,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  14. Querida HANUKKÁ:
    No meu grato abraço lhe desejo muita saúde e paz.

    Sabe que o seu perfil está indisponível?

    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  15. ...e nem sabe o quanto esse gesto é importante, minha linda!
    O meu grato abraço, LILLA!

    ResponderEliminar
  16. Sensatas e certeiras palavras as tuas, LUNA!

    Bom fim de semana, linda.

    ResponderEliminar
  17. Amigo Duarte, a dor é como a paixão: têm uma tal intensidade que não dá para manter toda a vida. Mas no caso da dor, ainda que cicatrizada, fica sempre sendo sensível.

    Um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  18. Que a Tãnia tenha Luz e Paz.
    Que o seu blogue tenha sucesso.

    Um bom fim de semana, TULIPA

    ResponderEliminar
  19. Querida SARINHA, no meu grato abraço o desjo de muitas felicidades!

    ResponderEliminar
  20. A dor nunca é fácil, mas façamos com que consigamos sobreviver-lhe.

    O meu abraço agradecido, ANA.

    ResponderEliminar
  21. Muito belo !
    Eu tinha tido a sorte de nunca sentir uma dor tão forte !
    Agradeço as tuas palavras, querida São. Sei que ela está bem !
    Beijinhos
    Verdinha

    ResponderEliminar
  22. Poema muito sentido e de que gostei muito. Nenhuma memória se apaga em nós, mas é bom ter a memória fraca para o que é menos bom e deixar florescer a luz, que nem sempre é postiça, pode é parecer-nos demasiado breve, por isso a apreciamos tanto.

    São, desculpa alguma ausência que não é esquecimento, esta é já uma afirmação que vou repetindo pela blogosfera,porque realmente tenho andado muito parada, quase sempre por questões de saúde não muito graves mas que me impossibilitam a disposição de escrever em mais que um sítio de cada vez. Agora foi uma forte gripe, que me tem mantido na cama toda a semana com temperaturas e sem voz, recaída de uma forte constipação que se arrasta desde o Carnaval.
    Só hoje me atrevi a estender-me mais um pouquinho, mas muito pouco.

    Um beijinho para ti e tudo de bom.
    Branca

    ResponderEliminar
  23. Sim, a tua mãe está em paz , de certeza.

    Eu já perdi meu Pai, que morreu assim durante o sono, e minha mãe.

    è uma dor que fica para sempre e uma saudade que aumenta cada dia.

    Ma chérie, um apertado abraço e nada tens a agradecer, linda

    ResponderEliminar
  24. MInha linda, lamento não vires mais vezes, porque é sempre um przer aqui te encontrar.

    Lamento principalmente o motivo da ausência, isto é, estares com problemas de saíde. Pois mesmo não sendo muito graves, são sempre maçadores e limitativos.

    No meu abraço agrdecido , os votos sinveros de rápida e total recuperação.

    ResponderEliminar
  25. Querida São,

    Desculpa fazer-te esta pergunta que não tem nada a ver com a tua publicação mas... não estiveste a assistir a um concerto hoje ?
    Hoje cantei com o meu coro e vi uma pessoa muito parecida contigo que até disse que gostou tanto do concerto que ia ver o próximo que terá lugar em Cascais. Estive quase a perguntar se se chamava São mas...tive vergonha. Seria giro se fosses tu !

    Beijinhos
    Verdinha

    ResponderEliminar
  26. Olá, amiga!
    Se não é possível afastar a dor... tempere-a com uma pitada de esperança.
    Boa semana!
    Beijinhos.
    ♫♫.•*¨*•♫♫¸
    ღ°ºBrasil♫º
    ♥º

    ResponderEliminar
  27. A dor é a dimensão de uma lesão que nos surpreende sempre com maior ou menor intensidade.

    A mágoa que desencadeia e que quase sempre supera o sofrimento ou a ele se acrescenta dilacera-nos.

    Belíssimo texto, São

    Bjs

    ResponderEliminar
  28. En tu poesía expresas una realidad , amiga...
    Besos!

    ResponderEliminar
  29. Assim é, São. Nada nos pode afastar do que existe em nós mesmos. Boa semana, amiga; fica bem!

    ResponderEliminar
  30. mesmo quando... alguém mexe nos sentimentos de outras pessoas...
    lindo poema, minha irmã querida!
    beijinhosss

    ResponderEliminar
  31. Pois é, é sempre agradável poder vir aqui e ler tão belas palavras.

    Essência do sangue,
    aquilo que somos
    daquilo que é,
    nossa formação
    isso ninguém mente.

    Nem que tirem tudo de nós.

    Realmente esclarecedor! Adorei.

    Dan

    ResponderEliminar
  32. Ma chérie, não era eu, não.

    Talvez seja uma psicóloga de Setúbal , pois desde os nossos 17/18 anos nos confundem...embora não nos conheçamos pessoalmente.

    E o mais interessante é que ela também tem um filho , é divorciada e está ligada à área da Educação.

    Pessoas que nos conhecem muito bem, confundem-nos muito facilmente.

    Adoraria conhecê-la um dia, sabes?

    Bisous, amie.

    ResponderEliminar
  33. POis a esperança é a única consolação, querida.

    Beijinhos, INÊS.

    ResponderEliminar
  34. No meu grato abraço te desejo que nunca sintas dor, GATO.

    ResponderEliminar
  35. ...e bem triste, meu querido RODOLFO.
    Bem hajas!

    ResponderEliminar
  36. Meu querido Swami, a essência é indissolúvel, não é?

    Beijinhos, meu amigo

    ResponderEliminar
  37. Obrigada, mana!
    Bem hajas, minha linda!

    ResponderEliminar
  38. Bem vindo, DANIEL!
    è bom ler sua análises, sempre interessantes.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  39. Adorei a sensibilidade e profundidade do teu brilhante poema.
    Acho que en algúm lugar do Universo, já fica definidido quém é para quém, e isso já nao tem retorno.
    Parabéns para aqueles, como vc , acho, que tem a posibilidades de ter a certeza da indentidade.
    Beijo

    ResponderEliminar
  40. Muchas gracias pela gentileza.
    Seu poema também é muito bonito, sabe?

    Abrazos.

    ResponderEliminar
  41. sábias palavras. belíssimo poema!

    gosto muito deste teu registo poético

    beijos

    ResponderEliminar
  42. De coração te agrdeço a generosidade.
    Bem hjas!

    ResponderEliminar
  43. Palavras bonitas. A dor está presente na vida de todos nós, é preciso sabermos lidar com ela.

    Beijo!

    ResponderEliminar
  44. SEm dúvida, meu bem!
    Abraços para vós.

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...