segunda-feira, 25 de abril de 2011

ABRIL, SEMPRE!!!

Homenageio aqui o capitão Salgueiro Maia, que manteve sempre do início ao fim o verdadeiro espírito do 25 de Abril, 1974. E que tão desrespeitado foi por Cavaco Silva, actual Presidente da República.

Apesar dos pesares, Portugal encontra-se em muito melhor situação do que na ditadura Salazar-Caetano.

Resta às gerações mais recentes lutarem pelos seus direitos assim como a minha lutou, sob dura repressão, para conquistar a democracia.

Viva a Revolução dos Cravos!!

36 comentários:

  1. Querida São, e enquanto formos vivas, vamos relembrar sempre às gerações mais novas, que mesmo assim, é melhor agora, muito melhor!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Estou absolutamente de acordo, pois as novas gerações não fazem ideia alguma do que foi a repressão em todos os seus hediondos aspectos, principalmente a que esmagava as mulheres.

    Minha linda, um abraço cheirando a cravos frescos.

    ResponderEliminar
  3. é claro que ABRIL, SEMPRE!!!
    minha irmã, foi um passado muito duro, doloroso, escuro, mas lamento como se tem tratado a dita democracia que os nossos capitães nos ofereceram!
    e a total ignorância de tanta gente sobre esta matéria, nem como era, e como é nos nossos dias...
    há sempre tanto a falar!
    beijinhos, querida

    ResponderEliminar
  4. passou... estou absolutamente solidária na tua homenagem ao grande salgueiro maia!
    e acabo de assistir a um pequeno debate de jovens sobre este dia, e afirmam que nas escolas a matéria é "branqueda"... não chegam a falar do que FOI, nem o ANTES/DEPOIS... o povo perdeu a gana!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Gostaria de poder comparar a situação de Portugal de hoje com outros países de hoje, porque, 37 anos depois, comparar com o tempo do Salazar ou com o tempo da Pré-história não me satisfaz... Talvez por sofrer de insatisfação crónica ;) ou por ver que o pacote foi bem disfarçado, mas lá dentro, é o mesmo chiqueiro (para não dizer outra palavra).

    As novas gerações também não sabem como era andar atrás do javali para o almoço, mas já deram conta que estão à rasca e eu, quase posso garantir... que ainda vão estar mais... mas de uma maneira mais moderna... provavelmente, nem reforma vão ter e há muitas outras coisas que vão deixar de ter como no tempo do Salazar.
    Olha para a Europa, a extrema direita avança como fogo lento em mato seco e aquilo que eram os problemas das mulheres, vão ser problemas de todos, os que são povo.
    Quanto a Portugal... será que ainda existe? Acho que já foi vendido e os que receberam os lucros da venda, deixaram-nos, apenas, com as despesas dessa venda.
    Uma coisa reconheço que aumentou em número... lambe-botas ;)
    Hoje, para mim, não há perfume de cravos que consiga disfarçar... este cheiro de putrefação que invade Portugal, a Europa... o Mundo.


    Bjos

    ResponderEliminar
  6. Viva!
    Lhe deixo uma homenagem, extensa a todos os portugueses democratas.

    TANTO MAR
    Chico Buarque de Holanda

    Sei que está em festa, pá
    Fico contente
    E enquanto estou ausente
    Guarda um cravo para mim
    Eu queria estar na festa, pá
    Com a tua gente
    E colher pessoalmente
    Uma flor no teu jardim
    Sei que há léguas a nos separar
    Tanto mar, tanto mar
    Sei, também, que é preciso, pá
    Navegar, navegar
    Lá faz primavera, pá
    Cá estou doente
    Manda urgentemente
    Algum cheirinho de alecrim
    Foi bonita a festa, pá
    Fiquei contente
    Ainda guardo renitente
    Um velho cravo para mim
    Já murcharam tua festa, pá
    Mas certamente
    Esqueceram uma semente
    Nalgum canto de jardim
    Sei que há léguas a nos separar
    Tanto mar, tanto mar
    Sei, também, quanto é preciso, pá
    Navegar, navegar
    Canta primavera, pá
    Cá estou carente
    Manda novamente
    Algum cheirinho de alecrim.
    ___

    Bjs.

    ResponderEliminar
  7. Viva a liberdade, São, e o nosso direito à expressão. Sempre! :) Que a tua Páscoa tenha sido feliz, amiga, e a semana te traga muitas alegrias!

    ResponderEliminar
  8. No meu grato abraço te retribuo os amigáveis votos, perfumados com cravos frescos, querido Swami.

    ResponderEliminar
  9. Caro GUARÁ, lhe agradeço com um beijo a saber a cravos vermelhos.

    ResponderEliminar
  10. ISA, minha linda, a mim está deixando aterrada e estupfacta o avanço da extrema-direita europeia, podes crer.

    Quanto ao resto, acho que só temos que lutar com todas as armas ao nosso dispor...e uma é o voto!

    Esperemos que desta vez não se continue a escolher os de sempre comandados pelo eterno Cavaco.


    Fico furiosa com os discursos que para aí andam a debitar como se não houvesse alternativa e como se todos fossem inocentes!!!


    Uma semana boa te desejo.

    ResponderEliminar
  11. Minha irmã, não pode haver recuo , mas vamos ter que lutar para tal. Esperemos que as gerações mais novas o percebam!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  12. O branqueamento está aí, porque convém a quem sempre deteve o Poder.

    Eu, sempre que tenho oportunidade, faço questão e dar pormenores do que foi viver em ditadura, especialmente quando se era mulher!

    A mais recente "lição" foi a uma das hospedeiras do avião que me trouxe de Veneza.


    Abraço solidário e fraterno, xarázinha.

    ResponderEliminar
  13. Ei!
    Sou Catiaho, poeta Reflexo d 'Alma e
    Ainda estou passeando pra conhecer seu espaço, acabei de
    chegar.
    Ja estou te seguindo,
    enquanto te leio conhece esses espaços aqui, são meus e dos amigos que me visitam...
    http://reflexodalma.blogspot.com/(
    minha poesia)
    http://meusreflexoscontostextoseafins.blogspot.com/ (meus textos excitantes)
    http://reflexoemcoisadehomemsim.blogspot.com/ (assuntos pra discutir e causar )
    http://reflexoemcoisasdemulher.blogspot.com/(assuntos pra causar polemica e informar)

    Te espero.
    Bjins entre sonhos e delírios

    ResponderEliminar
  14. Obrigada pela visita, que logo que puder terei gosto em retribuir.

    Serena noite.

    ResponderEliminar
  15. Gracias querida Sao por tus siempre interesantes y agradables publicaciones. Un abrazo grande!!!

    ResponderEliminar
  16. Olá Amiga São!
    Falando no seu texto tenho que lhe dizer o seuinte: Vivi 22 anos da minha vida no governo de Salazar. Ele governava, estes desgovernam. Nunca passei fome, porque só os malandros, parasitas passam fome. Mas, hoje já sinto falta de dinheiro para a minha sobrevivencia. Naquele tempo eu tinha liberdade, hoje onde está a liberdade? Nem eu nem ninguém pode andar descansado nas noites da boémia em lisboa, Porto, Coimbra e por todo o lado! O meu pai foi levado pela plicia (PIDE) por ser acusado de ter uma arma em casa, no entanto nunca foi preso, por não haver próva. Salazar governou a nação e onde é que ele deixou a fortuna que ganhou como governate? foi aos seus filhos? E estes politicos de hoje, surgidos por sufrágio, comem tudo com grandes ordenados, reformas estrondosas e corrupção activa e viciada! Hoje temos uma nação a sobreviver com as esmolas de outros países porque aqueles a quem Salazar perseguia (insurretos e esquerdistas) queriam se apoderarem do poder para poderem comer tudo e dexarem só os óssos! Aquela música de Zeca afonso - Eles comem tudo e não deixam nada, fica muito bem para s nossos governates de hoje.
    Eu, com toda a sinceridade, comemoro o 24 de Abril e nunca o 25 de Abril! Pois isso só serviu para alimentar os cofres dos corruptos e tirar a minha liberade. A unica coisa que se adquiriu com a liberdade é o poder-mos ter liberdade de expresão, mas eu pergunto: para que é que isso me tem servido?! Já vi tanta manfestaçao, tantos protestos, tantas greves e os governantes etam-se nas tintas com o descontentamento do povo! Já se esqueceu do que Portugal produzia e exportava! E hoje? Não produz só importa! É lamentável ao estado em que chegou este país! Num apanhado feito por um canal televisivo, entre os 100 melhores portugueses o eleito nº 1 foi Salazar, viu não? Todos os gvernantes na monarquia governaram com fomas desumanas, basta ver os monumentos construidos nesse tempo, foram feitos com mão de obra de escravos que trabalharam no duro por um prato de sopa. Mas, esses governantes, monarcas, tiveram o direito a que ruas, praças e pontes tivessem o seu nome até hoje. Porque Salazar não teve esse direito se todos os outros antepassados foram piores e tem seus nomes lapidados nas ruas e avenidas, praças e pontes? Salazar faz parte de nossa história, e foi um bom governate com amor á Pátria e ao se povo. Castigou muitos? Hoje precisavamos que toda a escomalha que por aí anda focem muito mais castigados mas sveramente! Claro que ele não admitiu cá andarem a excitar o povo! Foi pena ele não ter fuzilado o Mario Soares, Alvaro Cunhal, Almeida Santos, Otelo Saraiva de Carvaho, Manuel Alegre, Rosa Coutinho, Melo Antunes e Vasco Lourenço! Esses sim, são os culpados de termos o país a atravessar uma fase critica.

    Fico lhe esprando lá nos meus espaços:

    http://www.queriaserselvagem.blogspot.com

    http://www.transpondo-barreiras.blogspot.com/

    Um Abraço.

    ResponderEliminar
  17. Nem imaginas quanto gosto me dá encontrar-te aqui. meu querido amigo...

    Bem hajas, RICARDO, no meu grato beijo.

    ResponderEliminar
  18. Olá, JOSÉ!
    A si respeito-o enquanto pessoa e ao seu legítimo direito de pensar o que bem entende.

    Quanto ao que aqui expõe não posso estar mais em desacordo, pois é total.

    Não estou, nem poderia estar, satisfeita com o actual estado de Portugal, como é evidente.

    Mas daí a elogiar Salazar, que discriminou as mulheres só por o serem, que manteve campos de concentração como o Tarrafal em Cabo Verde(que já visitei), que manteve o analfabetismo numa altissima perecentagem,que expulsou do ensino JosÉ afonso(no ano em que era meu professor) e outros, que sacrificou milhres de pessoas numa guerra colonial sem sentido nenhum...vai a distância de um abismo enormissimo.

    Como sou contra a pena de morte, claro que não quero ver ninguém fuzilado nem antes nem agora.

    Gostaria , isso sim, que a Justiça funcionassse bem melhor e que os culpados não ficassem impunes, sejam quem forem

    Um cravo vermelho e freco lhe ofereço.

    ResponderEliminar
  19. Olá!
    Seu blog me trouxe uma energia maravilhosa!
    Abraços!

    ResponderEliminar
  20. Muito grata fico. ESpero vê-la aqui muitas vezes, viu?
    Bem haja!

    ResponderEliminar
  21. Abril, sempre!

    Há muita gente nova nascida depois de 1974 que tem uma percepção muito ténue da importância da queda do regime.

    Há muitos adultos que, desprezando os políticos;
    Deixando as comemorações da efeméride ter caído na banalização, acentuaram aquele sentimento;

    Há uma péssima utilização da História como memória de um povo.

    Viva o 25 de Abril

    Bjs

    ResponderEliminar
  22. Concordo contigo: Abril, sempre!

    Temos que não deixar cair no esquecimento o horror que é uma ditadura, sabes? Eu faço-o sempre que me é possível:esclarecer os pormenores sórdidos e cruéis que regiam as nossas vidas.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  23. Sempre... até que o FMI nos proiba de o comemorar, para saldar a dívida.
    Tenha uma boa semana

    ResponderEliminar
  24. Oi, São!

    Escrevo para ti dizer que te acho bacana... alegre e super alto astral!!!
    Você é demais!!!

    Gosto do seu blog... muito animado e cheio de alegria e incentivo para todos nós.

    Beijinhos.º♫
    °º
    Brasil°º♫
    °º
    •*• ♫° ·.

    ResponderEliminar
  25. Viva a Revolução dos Cravos!!
    Também prestei a minha homenagem no blogue! Os mais velhos devem repassar os valores de liberdade para os mais novos. A Revolução não será esquecida, como será capaz? Beijus,

    ResponderEliminar
  26. Minha muito querida São

    Obrigada por esta homenagem a Salgueiro Maia e ao 25 de Abril. Obrigada por esta presença constante para que a nossa voz não deixe de se ouvir em prol da verdade e do esclarecimento que fugiram para tão longe. Tenho andado por outros caminhos sempre a batalhar no mesmo. Obrigada, querida São, por tomares conta do nosso Silêncio Culpado.
    Hoje temos um 25 de Abril desvirtuado ainda que os nossos ideais estejam como antes.
    Portugal é o ÚNICO PAÍS NO MUNDO que estará em recessão em 2012. Somos o das maiores desigualdades sociais. O Fernando Pinto da TAP ganha, num só mês, o que ganharia um trabalhador português, com um salário médio, em 58 anos. Aliás ganha mais do dobro do Barack Obama. O Presidente da CGD ganha o dobro da Angel Merkel. Isto só para dar uma ideia da discrepância. Temos 4 milhões de portugueses com menos de 500 euros/mês de rendimento. Temos 2 milhões com menos de 300 euros. Temos uma elevada taxa de desemprego. Estamos endividados até ao pescoço. O Sócrates consegue passar pela Independente pelas Faces Ocultas e pelo Freeport sem sair beliscado. Consegue, depois do PEC4 ser chumbado, tirar-lhe o chumbo e pô-lo a andar como se tivesse sido aprovado por unanimidade e aclamação. Só me falta vê-lo ganhar as eleições.
    Um abraço muito apertado minha querida

    ResponderEliminar
  27. Meu caro CARLOS, nem que que seja só em pensamento o comemoraremos, sempre!

    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  28. LInda INÊS, de coração lhe envio o meu desejo de bom final de semana.

    Abraço-a com gratidão.

    ResponderEliminar
  29. Querida LUMA, como é estupenda!

    Um grato beijo lhe deixo , desejando-lhe maravilhoso fim de semana

    ResponderEliminar
  30. PEDRAS NUAS, é bom ter o seu apoio!

    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  31. Minha querida LIDIA, nada há para agradeceres.

    É uma tristeza sem nome ver o esrado a que Portugal chegou!

    Mas penso que muita da responsabilidade passa também pela nossa geração e por quem vota sempre nos mesmos Partidos e nas mesmas pessoas.

    Fico esytarrecida , por exemplo, com o facto do condenado Isaltino de Morais ser eleito no concelho mais instruído do país!!! Como é possível?!

    Um apertado e frtaerno abraço, Amiga minha.

    ResponderEliminar
  32. Que um feito como este se mantenha vivo, que nunca esmoreça.
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...