MALTA

MALTA

quinta-feira, 10 de julho de 2008

"ESCONDERIJO"




Dentro do verso

M´escondo

Atravessando a luz

Rumo à origem

Desta água

Onde perco as sendas

Dos espelhos

Quando fito a verdade

Nos olhos da morte.


São ( 6 de Março , 1985)

44 comentários:

  1. Quando nos escondemos do que nos magoa...
    belas palavras
    beijos

    ResponderEliminar
  2. O verso
    esconderijo,
    amante da solidão.
    Rasga tudo,
    soltas amarras.
    Olha outro espelho
    com menos mágoas.
    Corta e voa.

    Que sejas feliz.

    ResponderEliminar
  3. Escondemo-nos
    no verso
    onde as verdades
    nos fitam os olhos...

    1985? Sempre tivestes versos nas veias!

    Um beijo pra ti querida

    ResponderEliminar
  4. Todos devemos procurar na senda
    O caminho da luz
    beijos

    ResponderEliminar
  5. A poesia e a autora,
    sempre a par e passo.
    Bonito
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. pois ... a verdade escondida...

    gostei muito.


    bom resto de semana
    um sorriso :)

    ResponderEliminar
  7. DUARTE
    Que o sejas tu tanbém.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  8. MENINA DO RIO
    Muito grata.
    Sempre gostei de poesia, sim.
    Um abraço grande e tudo de bom, linda.

    ResponderEliminar
  9. MULTIOLHARES
    Também acho.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  10. MARIAM
    Que bom ter gostado.
    Abraços... e feliz final de semana.

    ResponderEliminar
  11. Esconderse dentro de los versos...
    triste aunque precioso
    Besicos
    Encarna

    ResponderEliminar
  12. Em algum lado, teremos que ter refúgio, não é?

    Um abraço grande.

    ResponderEliminar
  13. *
    esconderijo
    no espelho da vida
    fitando a verdade,
    ,
    que noto
    nas tuas palavras,
    ,
    conchinhas
    ,
    *

    ResponderEliminar
  14. Amiga,
    Atravessar a luz rumo à origem da água...
    Lindo! Parabéns.
    Beijinhos
    Mariazita
    PS-Obrigada pela visita à minha "casa"

    ResponderEliminar
  15. Explore mais este seu talento. Não digo mais.

    Beijito de amizade.

    Hoje deixei,
    a minha "Jangada de Estrelas" ancorada...
    Ancorada aos cais da preguiça celeste.
    Hoje vou a pé pelas pontes do infinito que cintilam.
    Ver esses reflexos dormentes que suportam a noite,
    e pisar esse frio vidrado das pedras que a compõe,
    feitas de mil brilhos...
    Vou ver monumentos de silêncio às Galáxias,
    sentir os meus pés sangrarem de estrelas,
    e esvaiarem-se em quasares de diamante,
    até me cansar e adormecer...
    Dando um sorriso do tamanho das estrelas...
    Apenas com uma mochila de caminhante às costas,
    sem ter a preocupação se o vento cósmico me levará a "Jangada de estrelas",
    por gozo ou por rigor, para o longe translúcido dos oceanos de estrelas.
    Hoje vou de mochila de pulsares palpitantes às costas...
    Desejar um bom fim-de-semana aos amigos.
    Você faz parte deste caminho.

    ResponderEliminar
  16. Belas palavras mesmo!

    Para você que gostou de "viajar" comigo por Praga, te convido para continuar a 3a parte desta aventura pelas terras medievais da Rep. Tcheca.

    Grande abraço! :)

    ResponderEliminar
  17. é... as verdades sempre aparecem na hora da morte!
    Volte sempre pra me ver, e tenha um bom final de semana,
    Liz

    ResponderEliminar
  18. Ola minha doce amiga
    Embora ande um pouco parada,devido á recuperação...
    Mas,os amigos nunca esqueço,estão sempre no meu coração!
    Vim desejar te um lindo fim de semana e deixo te um beijo doce.
    M@ri@

    ResponderEliminar
  19. são belas as águas por onde navega a tua poesia...

    ResponderEliminar
  20. poetisa é fingidora?

    lindo o poema, linda a sua cor e linda a imagem.

    ResponderEliminar
  21. siempre hay un lugar, donde esconder nuestros secretos
    saluditos

    ResponderEliminar
  22. No principio era o...verso...


    Doce beijo

    ResponderEliminar
  23. Belo verso, amiga... em que pese a tristeza que nele se esconde. Já passou, espero! :) Boa semana.

    ResponderEliminar
  24. o poema...


    continua actual dentro de ti?

    ResponderEliminar
  25. Ainda que nos escondamos da xente, nunca o conseguimos de nos mesmos. Beijos

    ResponderEliminar
  26. POETA EU SOU
    Obrigada, Nazareno.
    Abraços oceânicos.

    ResponderEliminar
  27. A CASA DA MARIQUINHAS
    Obrigada por ter gostado.
    Quando regressae , gostarei.
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  28. EFENETO
    Muito obrigada, caro companheiro de viagens internéticas e, se me permite, poéticas.
    Bem haja!

    ResponderEliminar
  29. FÊ COSTTA
    Já lá estive vendo: obrigada!
    Abraços.

    ResponderEliminar
  30. MARIA
    Meu anjo gótico preferido, do fundo do coração te desejo que recuperes bem e rapidamente, para que possas retomar a tua vida normal.
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  31. HERÉTICO
    Fico-te agradecida...
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  32. P(PRINCESA9 REAL
    Muito grata, alteza.
    As minhas cordiais saudações.

    ResponderEliminar
  33. O PROFETA
    Que bom ver-te aqui!
    Bem hajas.

    ResponderEliminar
  34. ÁRABE
    Não totalmente...
    Um abraço grande.

    ResponderEliminar
  35. ANÓNIMO
    Um pouco, sim.
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  36. SUSO LISTA
    Com sabes bem as coisas...
    Apertas.

    ResponderEliminar
  37. Já há mais de 20 anos que temos um grande poeta pelas terras lusitanas... ;)

    Grande abraço!

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...