sábado, 10 de janeiro de 2009

"PEQUENO TESTAMENTO"




Meu caminho de rosas, que não tive,

Lego-te em testamento aos naufragados:

Sem veludo nos pés é como vive

Quem quer deixar os passos desenhados.



MIGUEL TORGA

(Coimbra, 28/10/1948)


NOTA:

Para apreciarem mais fotos e textos de Maria Clarinda, a quem agradeço a foto, eis o endereço

68 comentários:

  1. São, é lindo e puro!

    Porque é assim que deve ser viver. Marcar o chão com os pés e a vida com a alma.

    Nem comento a foto, pois que já dissestes que é da Clarinda, pessoa amiga a quem admiro muito tanto como ser, como pelas imagens com que nos brinda.

    Um beijo, querida

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, minha querida!
    E pela Clarinda sentimos igual...
    Bem hajas!

    ResponderEliminar
  3. São, não tenho palavras, esta foto sempre me marcou,e, foi como viste o motivo de a ter colocado além do mil, no meu blog também...nas...agora com este teu Poema Maravilhoso tornou-se ainda mais marcante. Se me deres autorização,gostaria de a colocar em papel e com o teu poema....posso?
    Obrigada Amiga, jimhos e carinhos mil.

    ResponderEliminar
  4. Minha querida, fico muito feliz e grata por isso.
    Á vontade e sempre que assim o queiras!
    Feliz semana.

    ResponderEliminar
  5. Querida São, a primeira vez que vi esta foto, fiquei com o coração tão pequenina e sem palavras, agora voltou a ter o mesmo efeito sobre mim... Um abraço,
    Fernandinha

    ResponderEliminar
  6. Um abrigo feito de pedras
    Uma porta sem entrada
    Uma janela fugida à luz
    Aprisiona alma desencontrada

    Um tecto feito de estrelas
    A Lua brinca com fios de luz
    Um cometa passou rasante
    Um coração o outro seduz



    Bom domingo


    Mágico beijo

    ResponderEliminar
  7. Olá, bela fotografia...belo texto...Excelente...
    Beijos

    ResponderEliminar
  8. hermosas fotos las de Clarinda, y hermosas las palabras con las que acompañas esta en concreto.
    Petonets
    Encarna

    ResponderEliminar
  9. Fernandinha, esta foto é portentosa, também acho!E acho que o poema de Torga assenta que nem luva.
    Feliz semana, querida!

    ResponderEliminar
  10. Obrigada por ter apreciado, CHANA!
    Semana boa.

    ResponderEliminar
  11. JESUS E ENCARNA
    Guapa, muchas gracias!
    Feliz septemana.

    ResponderEliminar
  12. são, que lindo, profundo, sensível. Bela escolha.

    Beijos e belo domingo.
    Cleo

    ResponderEliminar
  13. Grande lucidez a deste Torga!!!
    Para que "passos fiquem desenhados"
    não podem ter solas de veludo...
    Desenhados a dor, tantas vezes!!!
    Um beijo, São.

    ResponderEliminar
  14. Sempre escolhendo belos textos, amiga! Obrigado, boa semana.

    ResponderEliminar
  15. Tantos passos dado pelo sofrido povo
    beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Assim é, VÍTOR!
    Considero Totga um dos maiores, mas a terrível inveja ibérica impediu a sua nomeação para o Nobel...
    Fica bem!

    ResponderEliminar
  17. Amigo ÁRABE, te agradeço eu a tua amabilidade.
    Fica bem!

    ResponderEliminar
  18. MULTIOLHARES
    ...que continua sofrendo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  19. Olá,São. Bom dia para ti.
    Curiosamente também ñ sou fâ.Mas gostei do texto e achei graça.
    A minha Maria está quase a nascer(uns dias apenas...)e a minha nora está a descansar aqui.Mas vim deixar-te um abracinho.Tudo bem?
    Beijo.
    isa.

    ResponderEliminar
  20. Oi, São!
    A minha saudade de ti não passou...essa foto da Clarinda (acabei de ir lá) mais esse comovente Poema formaram um par perfeito entre imagem e poesia.
    Como sempre,
    De parabéns!!!Bjs

    ResponderEliminar
  21. Meu caminho de rosas,
    -----------------
    Certamente que um caminho cheio de perfume, e, possívelmente espinhos.
    Fica bem.
    E a felicidade por aí.
    Manuel

    ResponderEliminar
  22. Sim...muito bela a foto e também já passei por lá!
    Acho que esses são pés de Iniciado que segue o Caminho da Pedras...ou do Deserto, já sem sandálias e com os pés feridos...como os meus! Pode crer! MAs não desisto!

    Abraço daqueles nossos
    Mas antes...
    apenas para me situar...
    gosta de um doce que se chama "morgado"?! foi daqui enviado?

    Sempre...
    MAriz

    ResponderEliminar
  23. Olá São,
    Já tinha visto esta imagem no blog da minha amiga Maria Clarinda e ficou muito bem junto ao poema !Parabéns !

    Beijinhos verdinhos.

    P.S. Perguntaste-me sobre o Soares Franco, confesso que tive de perguntar ao meu marido quem era ele porque sou do Sporting do coração só porque o meu marido e os meus filhos são sportinguistas porque ... não ligo muito ao futebol... Por isso sobre ele, não tenho opinião nenhuma !

    ResponderEliminar
  24. São,

    escreve muito bem, parabéns às duas!obrigada p'la partilha.

    volto mais logo, para ler o que não li nestes dias...

    um abraço e um sorriso :)
    mariam


    (quanto às fotos, pode trazer sim, (a do pedinte que tem a cara visível, se calhar é melhor não, foi em Londres e poderá ser reconhecido, sei lá...)

    ResponderEliminar
  25. Minha querida, obrigada e ,claro, não trarei essa.
    E faz bem em vir ler com mais calma rrrsss é que Miguel Torga não é meu pseudónimo, não...
    Até já, então.

    ResponderEliminar
  26. JE VOIS LA VIE EN VERT
    Pronto, estás desculpada pelo desconhecimento, rrrsss...

    Folgo por apreciares.

    Abraços.

    ResponderEliminar
  27. MRIZ
    Amiga, não , o morgado não foi meu, não!

    O Caminho jamais é fácil e , infelizmente, só o trilhamos quando somos para lá empurradas pela dor.Pelo menos, foi assim comigo.
    Mas como muito bem diz, desistir...nunca!

    Espero que o seu menino-jesus se encontre bem!

    Um abraço fraterno.

    NAmasté!

    ResponderEliminar
  28. DE PROPÓSITO
    O meu caminho tem tido mais espinhos do que rosas...
    Fica bem!

    ResponderEliminar
  29. ISA, que a tua Maria venha em bem !!
    Um abraço bem grande!

    ResponderEliminar
  30. Sempre que chego e vejo esta poesia, o ultimo verso, dói, sente-se na alma... Beijinhos.

    ResponderEliminar
  31. *
    as pegadas
    do conhecimento,
    *
    VOLTEI . . .
    ,
    alentado me sinto
    com a tua visita,
    ,
    navego,
    no mar do contentamento,
    espumando sophia,
    entre o sal de pessoa
    e a fenda de redol . . .
    ,
    vagas de gratidão, deixo-te,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  32. Torga , para mim, é um dos maiores da poesia portuguesa, sabes?
    Beijinhos, LAURA!

    ResponderEliminar
  33. Nazareno, BEM VINDO ÉS!!
    Grata pela felicidade do tey regresso.
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  34. e que já andaram estes pés!
    pégadas profundas, na alma...
    beijinhos

    (xará, aquele doce morgado, é meu!!!)

    ResponderEliminar
  35. São,
    LOL, pois, sorry não referir «Torga», que adoro!(conto-lhe um bonito episódio deste Verão, numa feira do livro/antiquários, comprei vários livros (a bom preço) e tive na mão, escondida atrás da barraca, longe dos olhares dos demais, porque o alfarrabista fez questão de me mostrar, um livro raro, do ainda «Adolfo Correia Rocha» , o preço uiiiii!)

    mas quando "disse" que ambas escreviam bem, era isso mesmo que queria dizer, não me reportei unicamente a este post, mas a tudo o que a São coloca, gosto de "a" ler e adoro as imagens que generosamente partilha connosco.

    gostei dos infra :)

    um grande abraço e um sorriso (engripado rsrs) :)
    mariam

    ResponderEliminar
  36. hay que soñar, pero teniendo siempre los pies en el suelo
    feliz fin de semana
    saluditos

    ResponderEliminar
  37. Venho do Lírios agradecer a tua visita e comentário ao meu post "Bicho-Amor".
    Hoje publiquei um poema diferente, dum autor "diferente".
    Penso que vais gostar, e este poeta precisa de todo o nosso apoio.

    Quanto ao teu post, só posso dizer:
    Que lindo poema!
    Miguel Torga é um dos meus poetas preferidos.

    Beijinhos
    Mariazita

    ResponderEliminar
  38. Boa noite!

    Soberbo poeta, aquele!
    Só deixa algo que perdura aquele que leva vida dura!

    ResponderEliminar
  39. Melancólico mundo do autor,
    Que viveu parte da vida na terra de ninguém
    Belo poema deixado
    Bjo
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  40. TENHO ESTADO AUSENTE...
    Os problemas com a m/sobrinha têm sido a causa do meu afastamento.
    Ela tem estado muito mal, no início da semana teve uma paragem cardíaca e teve que ser operada, com apenas 26 anos!!!
    Agora está um autêntico vegetal, ligada a tudo que é máquina...

    Mas, hoje decidi visitar alguns dos blogues amigos e cá estou.

    Aquando da minha viagem à Índia (estava lá há 2 meses atrás) houve tempo para aventuras, turismo e Solidariedade, como podes constactar no meu ultimo post.

    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  41. De pequeno não tem nada esse belíssimo testamento curto em palavras, imenso em intenção.

    ResponderEliminar
  42. Eis as marcas do tempo.
    Duns pés curtidos pela vida,
    nada fácil, logo se vê.
    Leitura de caminhos!

    Um grande abraço e um muito obrigado. por trazer-me estes versos que desconhecia e dos que tanto gostei.

    ResponderEliminar
  43. Queridos Amigos,

    Partilhando um pedaço do nosso Domingo convosco, actualizámos os nossos Blogues principais.
    Com o Caminho do Coração http://reflexoessentidas.blogspot.com/ reflectimos, com a ajuda de Fernando Pessoa, sobre a CONSCIÊNCIA.
    No Observatório http://diarioestetico.blogspot.com/ vimos como um aparentemente “vulgar” nevoeiro pode dar origem a um OLHAR renovado…
    No POESIA VIVA http://flordojacaranda.blogspot.com/ oramos pelo Planeta e finalmente, no nosso blogue em Inglês http://newsletterfromlisbon.blogspot.com/ admiramos Lisboa, essa “Musa” que nunca deixa de nos inspirar…

    Um abraço nosso e desejos de uma BOA SEMANA!

    Isabel e José António

    Lisboa 18 Janeiro 2009

    ResponderEliminar
  44. Que post tão sugestivo! Por vezes, são as coisas ou as pessoas mais importantes aquelas a quem menos vemos... No caso dos pés da estátua, perpassa finalmente o quanto estes devem ter andado e carregado o seu detentor, para nesse estado revelarem a longa e difícil caminhada...

    Um abraço e coragem

    Isabel

    ResponderEliminar
  45. Salvé Companheira

    Não venho comentar porque já o fiz...mas sim convidá-la ao desfio que sugiro faça uso e clame!

    Sempre..naquele som de mantras, incenso e LUZ pela PAX

    MAriz

    ResponderEliminar
  46. GAIVOTA
    Estes são de pedra, mas eu já os vi em pessoas, sabes? e tamb+em vi mãos grossas como cabeadal, de tanto trabalho ao frio, à chuva, ao calor...

    Sabes que, às tantas, desconfiei que eras tu?...


    Boa semana, linda.

    ResponderEliminar
  47. Obrigada pela visita.
    Ele era um homem de grande inteligência,politicamente mto sabedor,muito culto,etc e tal.
    Ditador...Dizia-lhe q.se ele mandasse eu seria a Oposição.Fugiria para as Berlengas.Teria uma Bandeira azul,
    com umas Lagostas...
    Os amigos iam comigo.lololol.
    Desculpa ñ falar do belo poema.
    Na próxima,tá?
    Beijo.
    isa.

    ResponderEliminar
  48. Ai, que me matas de invejinha!!
    Conheceste-o pessoalmente?!
    Até sempre, linda.

    ResponderEliminar
  49. Querida MARIZ, clamarei sempre contra tudo quanto me pareça injusto:
    Namasté!

    ResponderEliminar
  50. Querida amiga São,esta foto me marcou, mas agora com este poema de
    Miguel Torga,ficou sublime!!!

    Boa semana,

    Beijinhos de carinho

    Lourenço

    ResponderEliminar
  51. Bem vindo, Lourenço!
    Só tive que juntar dois momentos muito sentidos.Obrigada por o ter apreciado.
    Até sempre!

    ResponderEliminar
  52. Querida MARIAM, espero que a sua gripe já a tenha libertado.
    E , do fundo do coração, lhe agradeço o gostar de me ler!
    Um abraço de boa semana.

    ResponderEliminar
  53. JUANI, guapa, tienes razón: sonhemos de pés no solo!
    Besos.

    ResponderEliminar
  54. MARIAZITA
    Já te visitei, linda!
    Boa semana.

    ResponderEliminar
  55. REAL GANA:
    Pois , a felicidade amolece-nos, de modo geral.
    Feliz semana.

    ResponderEliminar
  56. JO RA TONE
    A lucidez é sempre difícil, não é?
    Boa semana.

    ResponderEliminar
  57. Que tudo decorra como desejas, em especial para a tua sobrinha
    Um abraço solidário, TULIPA!

    ResponderEliminar
  58. Também o acho grandioso, DESAMBIENTADO
    Fique bem.

    ResponderEliminar
  59. Querida Amiga
    Fico muito reconhecida aderir e a Lucy também, já que nem ela imaginava que me inspiraria no post que ela colocou com aquela música, de certo inspiração dos Anjos.
    Há um senão que oAntónio Aleixo e a Multiolhares esqueceram, mas já os alertei:
    Se quiserem colocar o link que vai dar ao meu post, isso é com vocês, mas o essensial, é que definam que isto é uma corrente de Unidade e de Amot, para que se chegue á paz total - pois ambos já furaram acordos, para se chegar a esse entendimento.
    portanto há que haver dois ítems a seguir:
    - colocarem no post aquelas duas bandeiras
    - e ainda a canção "Prayer" do Bocelli ou outro intérprete.
    - solicitarem - caso adiram - que isto é uma corrente e cada um desafia os seus comentadores a elaborar/criar um post á sua maneirapassando assim este gesto! E referindo num link de onde partiu...neste caso de si!

    Abraço e espero que se saia bem!

    O mundo agradece! e o Universo também, porque isto é um SERVIÇO!

    Semrpre...
    Mariz

    ResponderEliminar
  60. Acho que os achei num dos "Diários"
    Feliz semana, DUARTE!

    ResponderEliminar
  61. Muto grata, ISABEL JOSÉ ANTÓNIO!
    Boa semana.

    ResponderEliminar
  62. MARIZ, há uma coisa que não poderei cumprir: colocar temas musicais.
    Não o sei fazer...e nem vale tentar alguém explicar-me, porque é completamente inútil: ou descubro por mim ou nada feito!
    Aquele abraço!

    ResponderEliminar
  63. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  64. São,
    volto pra deixar-te um beijo amigo e desejar que tenhas uma semana maravilhosa!

    Fica bem querida

    ResponderEliminar
  65. De coração, agradeço e retribuo, linda!

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...