segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

JOSÉ AFONSO

2/8/1929 - 23/2/1987


QUADRAS POPULARES


Glória ao Primeiro de Maio

E aos mais que estão para vir

E aos capitães que fizeram

O 25 de Abril


Hoje os tempos estão mudados

Mal vai para quem trabalha

Sai das tuas tamanquinhas

E luta contra a canalha


Há para aí quem se venda

A quem lhe dê cinco réis

E ande de cara à banda

A vender mais cinco ou seis


E a reacção de sotaina

Já viste como se enfeita?

Quando lhe chega a cobiça

Passa-lhe logo a maleita


O ar de químicos cheio

Rói a vida que desponta

O homem não vale nada

Só o dinheiro é que conta


Cai-te no bolso um pataco

E dizes que é já reforma

Põem-te dentro de um saco

Atado de qualquer forma


Faz aqui falta uma trova

Duma criança oprimida

Ela que fale da fome

Ela que fale da vida


São da América Latina

De Ásia e África nascidos

Os que hão-de dizer ao Mundo

Que estão cada vez mais vivos


Quando uma lancha se afunda

Nunca a culpa é do patrão

É sempre de quem se amola

Lá no fundo do porão


Esta terra será nossa

Quando houver revolução.

55 comentários:

  1. Buenas noches Sâo, Jose Afonso, (Zeca), en sus canciones nos trae la vigencia de sus letras, en estos tiempos, que muy lentamente van cambiando.
    Demasiado lentamente, para el poder que existe.
    Beijos.
    Jesus

    ResponderEliminar
  2. Que NUNCA a sua voz se cale e sempre permaneça no nosso imaginário!...

    abraços!

    ResponderEliminar
  3. Que grande artista, que enorme pessoa...
    Tive a oportunidade de poder conversar com ele quando veio actuar no Teatro Principal de Valência, no festival de música Ibérica, nada mais que com María del Mar Bonet, Raimon y Lluís Llach.
    Pouco tempo depois deixou-nos...

    Beijinhos para TI

    ResponderEliminar
  4. Passei aqui por acaso e ainda bem. E dizem que não há coincidências...

    ResponderEliminar
  5. Oi são, um feliz carnaval.
    Beijos carinhosos.
    Cleo

    ResponderEliminar
  6. e não se calará, nunca, porque as vozes da razão são muito fortes!
    agarra-se esta voz e juntamos os nossos ideais e a canção tem mais força!
    beijinhos, xará

    ResponderEliminar
  7. Ó São, aqui entre nós que ninguém nos ouve, acha mesmo que os tempos estão mudados como diz o poema? Ai,
    minha amiga, como eu já estou: é
    que eu não dou por nada!(eheheh!)
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  8. Querida São.
    José Afonso nunca teve outro intervencionista que o igualasse. Como em tempos já te disse tive o grato prazer de conhecê-lo pessoalmente. Homens daquela tempera já não aparecem. Andam por aí uns palhaços ( salvo a honra dos palhaços )a se proclamarem salvadores da pátria. Usaram e abusaram de José Afonso, mas tenho a certeza que se ele estivesse entre nós, seria sempre o mesmo intervencionista. Lembrar José Afonso é eternizá-lo. Jamais esquecerei o meu grande Amigo José Afonso e, não venha ninguém dizer que "ELE" era de esquerda ou de direita, ele era simplesmente o humanista chamado JOSÉ AFONSO.

    ResponderEliminar
  9. JESUS E ENCARNA
    Los tiempos cambian lento, lentissimo...pero cambian!
    Tengamos esperanza, Amic JESUS!
    Besos.

    ResponderEliminar
  10. Assim seja, TINTA PERMANENTE!
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  11. Que estupenda companhia!
    Eu fui aluna dele no seu último ano de docente , em Setúbal.
    Um grande abraço, querido DUARTE!

    ResponderEliminar
  12. COXA E MARRECA
    Olá, linda!
    Pois venha que será bem-vinda!
    Fique bem.

    ResponderEliminar
  13. CLEO, querida, que o seu tenha sido bem mais alegre que o meu foi!

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  14. GAIVOTA
    Querida, mais uma vez estamos de acordo!
    Um abraço bem grande.

    ResponderEliminar
  15. Já estiveram mais, caro VITOR MATEUS....As semelhanças com a ditadura começam a aparecer, acho.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  16. Meu caro amigo JOÃO, eu fui aluna de José Afonso e não foi fácil.
    Mas concordo absolutamente: era um HUMANISTA ímpar , que estaria contra aquilo que aí está agora.
    Um abraço grande.

    ResponderEliminar
  17. Que Homem é o Zeca.Só o conheci logo a seguir ao 25/4/74.
    Pessoalmente,claro. Ficava a ouvi-lo,encantada,horas a fio.
    Da música lembro-me eu e adoro.
    Beijo.
    isa.

    ResponderEliminar
  18. Ora ainda bem que temos essa admiração em comum.
    Fica bem, linda.

    ResponderEliminar
  19. Querida São
    Ultimamente, tem sido só a Mariazita a postar no Lírios. Os estudos absorvem-me muito tempo, e como estão em primeiro lugar, a Mariazita tem me feito o favor de manter o blog activo. Não sei se ela vai querer fazer isso muito tempo. Vamos ver, senão terá que fechar.
    Como ela tem estado ausente, resolvi eu postar um poema da minha poeta preferida - Florbela Espanca.
    Espero que vás ver e que gostes.

    Eu ainda não existia quendo se deu o 25 de Abril, mas gosto muito da música de Zeca Afonso.

    Até sempre

    Beijos da Líria

    ResponderEliminar
  20. Já estive lá, linda!
    E agrada-me gostares de ZEca!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  21. Salvé Companheira de todas as jornadas!

    sim! falta fazer-se a REVOLUÇÃO aquela que todos ignoram e depois...passá-la á acção!

    venho aqui informar e "para memória futura" que existe um blog dos "Oscares", onde já foi chamado ao palco, o seu nome...a música já se iniciou até!

    abraço e parabéns!
    sempre...
    Mariz

    ResponderEliminar
  22. Alguém que sempre recordamos com emoção. A voz que me despertou para a realidade.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  23. Tive a sorte de o conhecer pessoalmente muito pouco antes do 25 de Abril.

    O meu pai foi a um encontro (em Vendas Novas), num dia de Fevereiro de 1974, que parecia o dia do dilúvio final.
    Não o fixei e só soube quem era depois do 25 de Abril ...
    Nem digo mais nada, porque as palavras são pequenas para o descrever.

    Só não sei se Santiago de Compostela chegou a dar o seu nome a uma rua, como há uns anos andou uma petição a circular.
    Petição feita por galegos amigos do Zeca.

    ResponderEliminar
  24. Pois...

    Vamos a ver quando há revolução...

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  25. Zeca - eterno na voz e nas palavras.
    Bom teres trazido este pedaço, este AVISO.
    Beijinhos, São

    ResponderEliminar
  26. bom, sabe, cheguei a conhecê-lo pessoalmente. Infelizmente há quem não queira recordá-lo, nem àquilo de que ele foi estandarte: a liberdade.


    Ernesto, o avô

    ResponderEliminar
  27. Cheguei há cerca de meia hora e já estou ao leme…

    Venho, em nome da Líria, agradecer a visita ao Lírios.
    Ela voltou à sua actividade normal de estudante,
    que a obriga a manter-se afastada.
    Na sua ausência, tentarei manter o barco em andamento.

    Espero poder continuar a contar com a tua visita.
    Até sempre.

    Beijinhos
    Mariazita

    ResponderEliminar
  28. SÃO

    Vivemos actualmente um grande défice da musica e canção de intervenção. Não se vêm na praça pessoas como Zeca Afonso, com a sua coragem, mestria e sentido humano que contagiava e fazia escola, as suas letras continuam hoje tão actuais como nos tempos negros da outra senhora. Parece-me que o medo voltou à rua, daí o silêncio cada vez mais temeroso.

    "A toda a parte chegam os vampiros
    Poisam nos prédios poisam nas calçadas
    Trazem no ventre despojos antigos
    Mas nada os prende às vidas acabadas"
    (Os vampiros de Zeca Afonso)

    Beijos
    Carlos Rebola

    ResponderEliminar
  29. Minha querida MARIZ do coração lhe agradeço e lá irei em breve!
    Uma noite bem repousada para si!
    NAMASTÉ!

    ResponderEliminar
  30. Compartilho essa emoção, MARIA ELVIRA!
    Uma excelente noite.

    ResponderEliminar
  31. Caro JOSÈ TORRES, eu fui aluna dele e ainda o ouvi cantar já depois de casada.
    No início da doença que o matou e através de Urbano Tavres Rodrigues encontrei-o pois aceitara cantar um poema ou dois meus.

    A Galiza e Zeca tinham uma mútua adoração.

    Uma excelente noite para si.

    ResponderEliminar
  32. Já não creio em revoluções, sabe?
    Durma bem, VIEIRA CALADO!

    ResponderEliminar
  33. E mais domque merecida, MARIA CLARINDA!
    Dorme bem.

    ResponderEliminar
  34. E obrigada por o ouvires, LÚCIA!
    Dorme bem.

    ResponderEliminar
  35. CASA DE PASSE
    Compreende-se: nenhum poder ama pessoas livres!
    Os meu respeitos, Ernesto!

    ResponderEliminar
  36. Sempre que tiver tempo. agora raro- claro que terei o gosto de lá ir!
    Durmam bem!

    ResponderEliminar
  37. Caro CARLOS, estou de acordo: anda tudo muito alheado da realidade e deixam cegar-se pelo futebol e diversas futilidades.
    Mas penso que a culpa também passa por nós.
    Uma noite boa.

    ResponderEliminar
  38. Cara São,

    Esperança e vontade nunca hão-de morrer. Há que as transmitir sempre... porque ninguém corta a raiz ao pensamento.

    Beijinhos,

    António Serra

    ResponderEliminar
  39. Boa recordação do Zeca Afonso
    Eu não queria a revolução
    Terras...Também não
    estou a vendê-las
    para comprar o pão.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  40. *
    Zeca Afonso,
    Cantado o camarada , escultor
    E Pintor, José Dias Coelho,
    ,
    A morte saiu á rua num dia assim
    Naquele lugar sem nome pra qualquer fim
    Uma gota rubra sobre a calçada cai
    E um rio de sangue dum peito aberto sai
    O vento que dá nas canas do canavial
    E a foice duma ceifeira de Portugal
    E o som da bigorna como um clarim do céu
    Vão dizendo em toda a parte o pintor morreu
    Teu sangue, Pintor, reclama outra morte igual
    Só olho por olho e dente por dente vale
    À lei assassina à morte que te matou
    Teu corpo pertence à terra que te abraçou
    Aqui te afirmamos dente por dente assim
    Que um dia rirá melhor quem rirá por fim
    Na curva da estrada há covas feitas no chão
    E em todas florirão rosas duma nação,
    ,
    Marés de cravos, deixo-te,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  41. O QUE ME VIER Á REAL GANA
    Sim, tudo verdade. Infelizmente!
    Bom final de semana.

    ResponderEliminar
  42. O ESPÍRITO DO TAI CHI
    O pensamento e o éspíriot são , como diz, indestrutíveis. Graças a Deus!
    Bom fim de semana, meu caro.

    ResponderEliminar
  43. JO RA TONE
    É sempre boa ideia recordar Zeca, não é?
    Feliz final de semana.

    ResponderEliminar
  44. POETA EU SOU
    Conheceste Dias Coelho?...
    Eu fui aluna do Zeca em Setúbal.
    Bom fim de semana, companheiro!

    ResponderEliminar
  45. Uma bela homengem a um grande senhor da nossa lingua musical.
    Belo tranalho.
    Bjs amiga e um bom fds,
    Nuno

    ResponderEliminar
  46. A revolução começa primeiro em nós... A revolução exterior é fruto da interior....

    ResponderEliminar
  47. Bem vindo NUNO!
    Obrigada, também para ti.
    Feliz semana.

    ResponderEliminar
  48. Não posso deixar de estar de acordo, DENNIS
    Feliz semana.

    ResponderEliminar
  49. Bellas letras y linda inspiracion, mi muy querida amiga Sao.

    Un beso...

    ResponderEliminar
  50. Jamais será esquecido. Um símbolo inconfundível de Abril.

    ResponderEliminar
  51. Olá São

    Estas quadras retumbantes,
    tocaram meu coração,
    e deveres provocaram
    em mim, uma revolução.

    Um abraço,
    Dalinha

    ResponderEliminar
  52. Ainda bem, linda!
    Amei a quadra!!
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  53. Bom-dia! Sou o Carlos

    Vi o seu blog e fiquei agradado com o tema "José Afonso". Para além de ser uma das vozes de Abril, também foi o seu rosto. Abril que foi à 35 anos, Abril amigo, fraterno, Abril que solta as amarras de opressão, Abril de ideias novas, Abril de tanta coisa para se dizer.Foi um Abril que não assisti, mas guardo em mim toda a história do mesmo.Abril do presente e do futuro, sim! Haverá sempre Abril.
    Já agora nasci em Abr...
    Parabéns e continuação de bons trabalhos.

    O meu blog:http://raizdopensamento-sameiro.blogspot.com/
    Carlos Sameiro

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...