MALTA

MALTA

sábado, 5 de setembro de 2009

POEMA DE PAPINIANO CARLOS

Sob as estrelas, sob as bombas,

sob os turvos ódios e injustiças,

no frio corredor de lâminas eriçadas,

no meio do sangue, das lágrimas,

caminhemos serenos.

De mãos dadas,

através da última das ignomínias,

sob o negro mar da iniquidade,

caminhemos serenos.


Sob a fúria dos ventos desumanos,

sob a treva e os furacões do fogo

aos que nem com a morte podem vencer-nos,

caminhemos serenos.

O que nos leva é indestrutível,

a luz que nos guia connosco vai.

E já que o cárcere é pequeno

para o sonho prisioneiro,

já que o cárcere não basta

para a ave inviolável, que temer, ó minha querida?

Caminhemos serenos.


No pavor da floresta gelada,

através das torturas, através da morte,

em busca do país da aurora,

de mãos dadas, querida, de mãos dadas,

caminhemos serenos!

36 comentários:

  1. Cara amiga e companheira de Caminhada.

    Muito sinceramente não sei se deverei dar-lhe os parabéns por tão magnífico poema, embora se denote um grito disfarçado de serenidade,
    ou....
    se por outro lado, e num
    acompanhamento das fotos, cujas frases se espelham nelas,
    lhe estenda as minhas mãos e aperte as suas com firmeza de quem sabe perceber o silêncio.

    Deixo o meu olhar de interrogação, por não estar por dentro do que pretenda realmente fazer passar... -
    por isso deixo estes duplos sentires.

    Sempre....
    Mariz

    (grata pelo comentário deixado lá).

    ResponderEliminar
  2. Que belleza mi querida Sao.

    Pense que estaba en el principado de Monaco.

    Eres especial.

    Un beso grande con mucha fraternidad y amistad

    ResponderEliminar
  3. São,
    Após algum tempo, aqui estou para contemplar um acontecimento que vos marcará por uma longa vida, a dois.
    Que tudo se concretize.
    Felicidades
    Beijinho,
    um abraço

    ResponderEliminar
  4. Bem vinda seja, amiga !

    Sinceramente, eu própria fiz o post um bocado por intiução sem saber muito bem aquilo que pretendia fazer chegar a quem me dá o gosto de (me) ler.

    Quando isto me acontece , geralmente (já) não me tento opor. pois algum sentido terá.

    Um fraterno abraço, MARIZ.

    Ah! E nada há para agradecer.

    NAMASTÉ.

    ResponderEliminar
  5. Olá, querido RICARDO.

    Não, não é o Mónaco...é o Alentejo, em Portugal continental.

    É onde vive o casal , que espera criança para breve.

    Fuerte abrazo.

    ResponderEliminar
  6. Meu caro JO RA TONE, estou errada ou pensa que sou eu a noiva?...Não, fui em 1970 ...e após o divórcio em 1983 nunca mais casei!

    Agradeço os votos de felicidade, extensivos à criança que esperam para breve.

    Bem haja!

    ResponderEliminar
  7. Olá, casei em 77, divorciei-me em 86, casei mais tarde de novo e..casamento é para quê? Que esses belissimos jovens da foto, saibam viver no amor e na plenitude da graça e felicidade, porque o amor, quando existe, é lindo, belo, e leva-nos pelo mundo de mãos dadas, sempre, sempre, no perigo e na bonança...felicidade para eles, e, para ti também...laura..

    ResponderEliminar
  8. Deus te ouça. LAURA...até porque esperam uma criança para breve: obrigada!

    Quanto ao resto estou em absoluto acordo contigo: casamento, para quê?!

    Um abraço, linda.

    ResponderEliminar
  9. Que lindo São, um hino ao amor. E lendo os comentários aqui deixados sei do nascimento do bebê para logo. que venha trazer mais alegria para o casal e o mundo.Felizes sejam, e você também minha amiga.
    Beijos no coração, abraços na alma.
    Cleo

    ResponderEliminar
  10. ...nem tropecem!
    Fica bem , RAFEIRO!

    ResponderEliminar
  11. Que seja tanbvém feliz, CLEO.
    Obrigada e boa semana.

    ResponderEliminar
  12. Muito bonito o poema e os noivos!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  13. linda reportagem de casamento, boas fotos e um poema na floresta...
    tá bem!
    parabéns e felicidades
    beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Tudo muito belo as fotos e o poema.

    Desejo do coração que façam por constituir no futuro
    "Uma Sagrada Família"

    se se trabalhar nesse sentido com algum sacrifício tudo é possível ao que crê.

    Abraço
    Mer

    ResponderEliminar
  15. Espero que a caminhada a dois seja longa e feliz, cara amiga!
    Tenho andado um tudo-nada afastado destas lides, mas em breve reactivarei o blog. Tal ausência deve-se sobretudo a ter decidido dedicar mais tempo aos livros. Ainda este mês lançarei mais um.
    Forte abraço e muito obrigado pelo carinho.

    ResponderEliminar
  16. Mesmo com amor a caminhada é por vezes bem difícil. Nem sempre serena. Mas, caminhar, caminhar olhando em frente.


    Alice, a fininha

    ResponderEliminar
  17. SÃO é o teu filho? O casal e muito bonito!

    ResponderEliminar
  18. e essa caminhada pode ser muito agradável...eu caminho há mais de 40 anos e só me lembro das boas coisas...lindo e diferente poema, este.

    ResponderEliminar
  19. Bela escolha, São. Que a felicidade acompanhe o casal a quem homenageias. :) Meu abraço, amiga; fica bem!

    ResponderEliminar
  20. non hai mellor consello e desexos para unhas vidas que deciden camiñar xuntas que iste da serenidade,porque nas inquedanzas e a fraxilidade do amor vaille moi ben a serenide,de mans xuntas...
    Sâo confesoche que cando caseí miña tía Maruxa deume máis ou menos o mesmo consello,sentidiño e calma moita calma...
    beijhos e prabéns para os noivos.

    ResponderEliminar
  21. *
    quando os noivos
    se confundem com o poema
    no mar da serenidade
    cantam as marés da PAZ,
    ,
    conchinhas deliciadas, deixo,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  22. Olá, linda!
    Que bom teres gostado.
    e que a felicidade também te acompanhe em altos voos, GAIVOTA!

    ResponderEliminar
  23. RETIRO DO EDEN
    A sagrada familia parece estar a ser construída, já que estão esperando um menino...

    Fique bem.

    ResponderEliminar
  24. Caro SPECTRUM, que linda surpresa vê-lo aqui!
    Fico contente com o seu regresso, que espero não demore.

    Obrigada pelos votos para o casal.

    E , de coração, muito êxito para o seu livro.Não quer dizer o título?

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  25. CASA DE PASSE
    Sim, a caminhada não é lá muito fácil, não!

    A minha , por exemplo, interrompeu-se ao fim de treze anos...

    Um abraço, Alice.

    ResponderEliminar
  26. Não, é o filho de uma amiga minha.

    Mas até são parecidos, incluindo o feitio...ou não fossem Touro, rrss

    Um abraço, PITANGUINHA.

    ResponderEliminar
  27. Bem vinda , ÂNGELA!

    Como eu gostaria de poder dizer o mesmo! Mas treze anos sobraram para saber o que pode ser um casamento...

    Um abraço

    ResponderEliminar
  28. Muito grata te fico, amigo!
    Bem hajas, ÁRABE!

    ResponderEliminar
  29. Querida VERMELLA, que sábia essa tua tia...

    O pior é que a srenidade não costuma ser apanágio das pessoas jovens, rrss

    Unha aperta e graciñas.

    ResponderEliminar
  30. Também deliciada, muito te agradeço, meu querido POETA!

    Bem hajas!

    ResponderEliminar
  31. Maravilha, o ter gostado.

    Bom final de semana.

    ResponderEliminar
  32. Olá São, boa tarde. Embora com muito atraso, pois tenho estdo enroscada na minha concha, como de vez em quando acontece, venho agradecer a sua visita à mina casa e as palavras que lá deixou.
    Gostei muito do que vi nesta sua e além de tudo, AMEI as palavras de Papiniano Carlos, tão esquecido; que bom Amigo, que bom!
    Obrigada; voltarei.
    Beijos
    Maria Mamede

    ResponderEliminar
  33. POis volte, que será sempre bem vinda!
    Um abraço.

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...