quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

"ANÚNCIO"


Trago os olhos naufragados
em poentes de sangue...

Trago os braços embrulhados
numa palma bela e dura,
e nos lábios a secura
dos anseios retalhados...

Enroladas nos quadris
cobras mansas que não mordem,
tecem serenos abraços...
E nas mãos, presas com fitas,
azagaias de brinquedo
vão-se fazendo em pedaços...

Só nos olhos naufragados
estes poentes de sangue...

Só na carne rija e quente,
este desejo de vida!

Donde venho ninguém sabe,
e nem eu sei!

Para onde vou, diz a lei
tatuada no meu corpo...

E quando os pés abram sendas,
e os braços risquem cruzes,
quando nos olhos parados,
que trazemos naufragados
se entornarem novas luzes,

Ah! quem souber,
há-de ver
que eu trago a lei
no meu corpo!...

ALDA LARA


NOTA: a foto, tirei-a em Buarcos, 19/9/2009.

82 comentários:

  1. Fica repetitivo, mas não tenho outra coisa a dizer senão elogiar a poesia e a escolha para postagem.

    abraço

    ResponderEliminar
  2. Querida São

    Magnífica partilha... grato te fico.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. *
    Amiga,
    Gostei do teu Post,
    ,
    Desculpa corrigir-te,
    o poema é da poetisa Alda Lara
    mas talvez eu faça bem,
    recordar uma grande antifascista,
    que morreu muito nova, 32 anos,
    de seu nome Alda Lara, deixou
    uma vasta obra, que não foi
    publicada na altura, 1962,
    por motivos óbvios, pertenceu á
    Associação dos Estudantes das
    Colónias, era Angolana e casada
    com um também Poeta, de momento
    não me lembro do nome, todos
    estes dados são do meu imaginário,
    tenho a certeza que estão certos,
    o meu interesse, deve-se a um
    Professor Cabo Verdeano, de cor,
    o meu grande amigo, Dr. Miranda,
    que me ensinou a ser Português,
    a amar Portugal e ELE e uma
    irmã, foram perseguidos só
    porque eram Negros.
    Espere por mim Proff. Miranda !
    ,
    conchinhas saudosas, deixo.
    ,

    ResponderEliminar
  4. O ser repetitivo não implica ser cansativo nem enfastiante. De coração, lhe estou grata. Pela visitas e pelo cumprimento.
    Bom final de semana, DONA.

    ResponderEliminar
  5. Sempre...

    Feliz final de semana, BÁRBARA!

    ResponderEliminar
  6. Grata fico eu por teres vindo e teres gostado, Bom final de semana, caro VIKTOR.

    ResponderEliminar
  7. Muito belo tudo por aqui.
    A foto e o poema escolhido.
    Cheio de força e talento.
    Bjs.sinceros
    Mer

    ResponderEliminar
  8. Obrigadissima pela informação. Aliás, eu já deixara no blog da Maria Elvira pedido para ela me informar se o poema era dela ou não.Porque foi através dela que o texto me chegou às mãos há três décadas atrás.
    Como podes constatar , a rectificação foi fita: o seu a sua dona.

    Alda Lara foi injustiçada como esse teu professoe e tantos molhares de outras pessoas, infelizmente. A coonização foi uma tremenda tragédia...e a que os portugueses efectuaram não foi melhor do que as outras.

    Um abraço fraterno, amigo POETA

    ResponderEliminar
  9. Querida MER, grata pela presença e pelo apreço.
    Que seja sereno o seu final de semana.

    ResponderEliminar
  10. Olá São. Obrigada pela visita ao meu humilde espaço. Seja bem-vinda. seguirei o seu blog se me permitir. Obrigada. Mas o que me diz da verificação? não sei. Tem algo para verificar?

    ResponderEliminar
  11. Fico muito satisfeita por me querer seguir.
    E se me der o gosto de ir conhecer o meu espaço principal, isto é, o "são", agradecida.
    Eu fui até lá, por sugestão do nosso caríssimo amigo comum João(ESpaço do João)
    As letras de verificação são uma série aleatória de letras que aparecem para quem está a comentar copiar para um rectãngulozinho. Caso contrário nada feito.
    E, que no seu caso, está activada.

    Bem vinda é e bem vinda será.

    ResponderEliminar
  12. Maus Deus! Alda Lara! Que lindeza!!!! Que poema!!! Obrigada querida São. Estou apaixonada por este poema ( não conhecia). Muito obrigada amiga. Vou guardar este belo poema, sim? A foto, linda também.

    Meu carinho e afetuoso abraço, amiga.

    ResponderEliminar
  13. Tudo quanto está nesta casa é seu, querida!

    Um apertado abraço.

    ResponderEliminar
  14. Mas...Que belo anúncio!!. Que veia poetica Deus meu. Se dizem que um poeta é um sonhador, que bem me sentiria dentro desses sonhos. Entre a poesia e a prosa, creio que não há diferenças mas, muitas das vezes o poeta diz mais numa quadra que um bom escritor num livro de muitas páginas.

    Já agora que estou presente perante uma elequência, gostaria de saber a lenda do Narciso. Suponho que provém de "Narciso",um jovem de rara beleza que segundo a mitologia grega mirava a sua própria beleza na água,enamorando-se dela. No entanto gostava de saber mais detalhes. bj et bom fim de la semaine.

    ResponderEliminar
  15. Adorei o poema, e a foto :)).

    Sabes, este ano fiz umas aulas só com poesia dos Palop... e levei um de Alda Lara. É por tudo isto que adoro ter-te encontrado, por estes caminhos... os teus gostos também são meus gostos.

    Um beijo no teu coração, querida São, e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  16. Que engraçado encontrar aqui um poema de Alda Lara!...
    É emocionante este tipo de encontro com homens e mulheres, de um modo ou de outro, quase ignorados pela generalidade dos leitores mas que alguém sensível e paciente carinhosamente impede que morram de todo!...
    Parabéns pela lembrança, São!
    Talvez outros te sigam e se faça justiça com esta notável mulher de letras cuja obra conheci no "Boletim" da extinta Casa dos Estudantes do Império, há mais de [imagina!] cinquenta [!] anos!
    Meio século!
    Um beijinho!
    Carlos

    ResponderEliminar
  17. Mon cher JEAN, é como dizes , a qualidade é a única marca-de-água de tudo quanto se realiza e escreve. Mas quem tem poesia, consegue construir imagens completamente extasiantes, até porque goza de mais liberdade na escrita. Por isso se diz metaforicamente de alguém que excedeu os limites que teve uma liberdade poética.

    Foi pena esta mulher ter morrido com apenas 32 anos e não ter ainda o reconhecimento que, sem dúvida, merece.

    Quanto a Narciso, o essencial já o contaste.O jovem enemorou-se da sua própria belezae como passava o tempo a olhar o reflexo de si mesmo na água, os deuses castigaram-no: caiu , afogou-se e voltou na forma dessa flor. Que, parece, só se dá bem à beira-água...mas disso sabes bem melhor do que eu, rrss

    Um fim de semana com muito sol e perfumadas flores.

    ResponderEliminar
  18. GRACINHA; minha linda, o prazer é também meu, pois é muito bom encontrar pessoas com as quais temos afinidades grandes.
    E como foi a recepção da turma?

    Um fim de semana com solinho.

    ResponderEliminar
  19. Meio século?...Permite-me o lugar comum : o tempo flui-nos como água por entre os dedos.

    Este poema foi-me dado a conhecer há cerca de trinta anos por uma amiga que viveu em Angola durante a comissão militar do marido.

    É triste Alda não ser reconhecida ne imenso valor que tem como poeta, sim. E morreu muito jovem...


    Um fim de semana com muito sol por aí,meu caro CARLOS.

    ResponderEliminar
  20. Querida amga.
    Podes crer que se há indivíduos que mais me metem nojo, é precisamente esse personagem. Conheco-o de calções, e não nutro por qualquer admiração. Conheço toda sua família e, uma ou duas pessoas tenho alguma simpatia, a designar:- su mulher que se envergonha de comparecer junto de ele e seu primo Carnal o Dr. França Jardim , excelente psiquiatra com quem tenho grandes relações de amizade e, não consegue compreender seu primo. Também nutro uma simpatia diabólica por seu tio O senhor jardim gonçalves que tal como o seu sobrinho AJJ deviam habitar as ilhas desertas a pão e água ( salgada, pois claro) Por estes motivos há algo entre nós 8Eu e tu) que se conjugam. Pobre povo madeirense que quando abrir os olhos já é muito tarde. Um beijo e um abraço deste Madeirense que adoptou o Alentejo como sua Pátria.

    ResponderEliminar
  21. Meu amigo, o tio banqueiro é ainda mais hipócita, o que nem surpreende dada a sua arreigada relação com essa sinistra organização que se chama OPus Dei!
    O povo madeirense, coitado, é bom que desperte...já parece o rei enfeitiçado de "o senhor dos Anéis"!

    Acho incrível é a sabujice de todos os políticos continentais face à criatura e à sua grande obra! Caramba, era só o que mais faltava é que não a tivesse feito, com tanto milhão de euros idos daqui, apesar de todos os insultos debitados.

    Pois, eu estou contigo: iriam a pão e água para as Desertas!!

    Bem hajas, cher ami.

    ResponderEliminar
  22. Alda Lara é a minha paixão. Que bom encontrá-la por aqui.
    Amiga, não entendi o seu recado.
    A que poema se refere?
    Estou regressando para a semana, mas não sei por quanto tempo. A situação tem-se complicado cada vez mais. Arranjei uma senhora para me ajudar umas horas, mas não é solução.
    Um abraço e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  23. Minha querida, sei oerfeitamente o que está de complicada a sua vida: pasei exctamente por essas bolandas,
    Sinceramente lhe desejo que as resolva depressa e bem e , particularmente, que a sua mãe tenha um feitio bem maís fácil do que a minha.

    O poema era este, que a minha amiga me fez chegar às mãos há muiiitos anos atrás e que eu fiquei sem saber se era de sua autoria.Pelo que coloquei o seu nome, interrogado.

    Só que o nosso caro POETA EU SOU me corrigiu e repus a udentidade da autora.

    No meu abraço, o meu sincero desejo de que tudo se resolva como deseja e que regresse depressa e definitivamente.

    Obrigada por ter vindo, apesar de todas essas complicações.

    ResponderEliminar
  24. Olá São!

    Depois de breve consulta aos seus vários blogs, escolhi este - por nenuma razão especial - para lhe agradecer a visita que fez ao meu; obrigado!
    Não sei se estarei enganado, mas parece-me que seremos ambos da Figueira; eu sou de Vila Verde.
    E quanto ao selinho, o convite é-lhe extensivo; terei muito gosto em que o leve consigo.

    Um abraço, bom domingo!
    Vitor

    ResponderEliminar
  25. Muito grata, fico esperando vê-lo por aqui muitas vezes.

    Quanto à amável oferta do selo, lá o irei buscar para o blogue que criei especificamente para esse tipo de coias: Compagnon-de -Route.

    Fique bem, meu caro.

    ResponderEliminar
  26. Um poema lindíssimo.

    Bem hajas!

    Saudações

    ResponderEliminar
  27. Pena ter-nos abandonado tão depressa, não é?

    Um abraço, Gato.

    ResponderEliminar
  28. Querida São! :)

    a título particular, a neta (cantigueiro) tem 5 anos e é filha da minha mais velha.
    possui uma sensibilidade à flor da pele... está-lhe nos "génios" :))))...

    beijocasssss
    vovó Maria

    ResponderEliminar
  29. trazemos alguma coisa pelo corpo, nas caminhadas da vida e nos passos que damos, mesmo fora de tempo...
    beijinhos, e boa semana xará linda

    ResponderEliminar
  30. Mais uma bela escolha. E muito bem ilustrada! :) Boa semana, amiga.

    ResponderEliminar
  31. Querida São,

    Belo este desejo de vida e linda a tu fotografia.
    Peço imenso desculpa se te entristeci com a minha pergunta sobre qual São. Acredita que não foi por mal mas acho que se o João tivesse acompanhado com um link com o teu blog, era muito mais fácil ASSIM
    Problemas de coluna me afastam um pouco da blogosfera e vou sempre a correr fazer uma visita, se calhar estava bem visível que eras tu e não vi.... Mais uma vez desculpa-me

    Beijinhos

    Verdinha

    ResponderEliminar
  32. São,

    tentei explicar-te aqui como fazer mas não dá porque é uma linguagem informática e se eu escrevo a formula, aparece-me o link !
    vou te deixar um link onde encontrarás as explicações : vê o nº 12. É simples.

    clique aqui

    Boa sorte !
    Se souber me explicar como se faz para não ter um blog tão pesado, agradeço a informação !

    Beijinhos

    Verdinha

    ResponderEliminar
  33. Um poema que é um anúncio de força e de vida. Óptima selecção!

    Abraço amigo.

    ResponderEliminar
  34. Bem vinda, VoVÓ!

    meia década? Que engraçado: tem a idade do meu neto, rrss

    é neste período que são a minha paixão total, por causa destas saídas deliciosas...

    Pois foi mesmo por saber dos "génios" ( feliz criança , que os tem de raiz em toda a árvore da geneologia!) que deixei aquela resposta.

    Quanto á tua filha mais velha , vi-a há tempos no Ikea , mas achei melhor não a interromper para lhe dizer que é ainda mais bonita ao vivo.

    Gostei muito de te receber e fico esperando o regresso.

    Bem hajam!

    ResponderEliminar
  35. É, não é?
    Pois é!

    Um abraço amigo, querida GAIVOTA, xará minha não só no nome.

    ResponderEliminar
  36. Querido ÀRABE, muito grata te fico pela vista.
    Um abraço por sobre o oceano.

    ResponderEliminar
  37. Obrigadisssima, VERDINHA linda!

    Aborrecida? Não, valha-nos Deus. Se me aborrecia por uma ninharia assim...evidentemente, nunca!

    Tentarei, sim, mas sou uma desastrada com estas tecnologias, desgraçadamente.

    Penso que quanto menos figuras tiveres no blogue, melhor. Porque, segundo me disseram, quanto mais coisas , mais tempo leva a abrir o programa.

    Desculpa responder aos dois em um.

    Desejo-te sinceramente as melhoras.

    Um abraço amigo.

    ResponderEliminar
  38. ...duma vida que acabou tão cedo para Alda, lamentavelmente.

    Uma felzi semana

    Ah, gostei muito do poema que deixaste na Magymay, rrss

    ResponderEliminar
  39. Hermoso...mi querida Sao, con un acompanamiento espectacular.

    Un beso grande

    ResponderEliminar
  40. Muchas gracias por tu aprecio, querido amigo.
    Bem hajas!

    ResponderEliminar
  41. O poema tem bom ritmo e sonoridades.

    Está muito bem escrito.


    Saudações.

    ResponderEliminar
  42. Boa fotografia, oportuna! No ocaso do dia uma esperança!

    Poucas vezes se pode deparar com um poema que expresse tanto.

    Gostei e agradeço... não conhecia.

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  43. Olá
    Cá estou de novo. Já tirei a verificação. porta aberta nada a barrar a entrada. kisses

    ResponderEliminar
  44. Por alguma razão Alda Lara é apreciada.
    Saudações caro VIEIRA.

    ResponderEliminar
  45. Gosto que tivesses gostado.
    Fuerte abrazo, amigo DUARTE.

    ResponderEliminar
  46. Obrigadissima, AVOGI!

    Tem uns filhos lindos. Certamente que assim continuam,,,

    Abraços.

    ResponderEliminar
  47. olhos
    lagrimas

    enroladas

    poentes ed sangue


    pes-.-- sendas...

    poesia

    abrazo serrano y europeo

    ResponderEliminar
  48. Gosto imenso de te aqui ver, caro amigo.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  49. olá, são, aqui venho novamente pra te agradecer a sempre instigante visita e igualmente te desejar uma semana cheio de novos atos nascentes.
    b
    luisdelamancha

    ResponderEliminar
  50. Meu caro , a melhor maneira de agrdecer é dar-me sempre o prazer de sua vista.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  51. São,
    Passo para lhe agradecer a sua presença no meu cantinho!
    Apreciei também o seu espaço e gostei imenso da força que emana deste poema de Alda Lara.
    A sua foto muito bela.
    Bem-haja pela partilha.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  52. Que lindo, São!
    Sensual e sentido...

    Olha: sobre o vídeo 'que força é essa' - tentei enviar-te, para aqui, o código html que aparece no youtube. Mas dá erra e não aceita. Não sei porquê. Não me aocnteceu isso, de facto. Eu vou pesquisar mais Alda Lara. Fiquei encantada!:)
    >

    ResponderEliminar
  53. Bem vinda, AILIME!

    Nada há a agradecer, mas se o quiser fazer, a melhor aneira é a de me dar o gosto da sua visita muitas vezes.

    Folgo que lhe tenha agradado.
    Bem haja!

    ResponderEliminar
  54. Obrigada, LÙCIA!
    Quem sabe muito sobre Alda, é a Elvira CArvalho, que tem um espaço só para poesia escrita por mulheres.

    Um grande abraço, linda.

    ResponderEliminar
  55. São um beijo grande...
    PALAVRA


    O amor...
    Palavra pequena...
    Palavra simples...
    Mas palavra...

    ......

    Palavra...
    Que é...
    Forte...
    Palavra...
    Que é...
    Imprescindível...

    ......

    Que todos querem...
    Pois quem não sabe...
    ...Amar...
    Não sabe também...
    ...Viver!...

    LILI LARANJO

    ResponderEliminar
  56. Espero que esta seja a primeira de muiiitaaas visitas

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  57. Bom dia.
    Bela poesia.
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja um BOM CARNAVAL.
    Saudações Florestais !

    ResponderEliminar
  58. Obrigada , tamb+em para si, linda!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  59. Eu também me interesso pela espiritualidade. Temos que estar sempre em equilíbrio com nós mesmos e com o mundo que nos cerca. Saso contrário, o que será de nós ?
    beijo grande e obrigada pela visita.

    ResponderEliminar
  60. Sim, que seria da Humanidade sem essa tentativa de equilibrio?

    Beijinhos, companheira.

    ResponderEliminar
  61. Um poema forte,boa foto
    Saudações amigas

    ResponderEliminar
  62. Conheci a poesia de Alda Lara há pouco mais de um ano e não há um único poema dela que não seja fonte da vida que deu e viveu - intensa.
    Este não conhecia e mais uma vez fiquei impressionada, bebi cada verso como um copo de água fresca, que me trouxe vida...
    Beijinhos , São.
    Branca

    ResponderEliminar
  63. olá ternura

    un beso e poesia!!

    grato pelas tuas palavras.

    ResponderEliminar
  64. a lei...
    num corpo sentido
    serenos braços...

    os pés... abrem sendas e caminhos

    poesia, amiga linda,

    abrazo serrano de um pastor em paris, buscando a sua amada :)

    ResponderEliminar
  65. MODINHA

    Tuas palavras antigas
    Deixei-as todas, deixeia-as,
    Junto com as minhas cantigas,
    Desenhadas nas areias.

    Tantos sóis e tantas luas
    Brilharam sobre essas linhas,
    Das cantigas — que eram tuas —
    Das palavras — que eram minhas!

    O mar, de língua sonora,
    Sabe o presente e o passado.
    Canta o que é meu, vai-se embora:
    Que o resto é pouco e apagado.

    Cecília Meireles

    ResponderEliminar
  66. Bem vinda, BRANCA.

    Eu conheci a Alda através da Elvira Carvalho, que me deu este poema dela há cerca de trinra anos, imagina!

    Um Carnaval sem chuva e com alegria para ti, linda.

    ResponderEliminar
  67. Viva BRAULIO!
    Obrigada pela presença, que espero se repita.
    Bom Carnaval.

    ResponderEliminar
  68. Bem vindo !
    Meu amigo, desejo sinceramente que essa tua viagen seja o início da concretização de tudo quanto sonhas.

    Fico esperando o teu regresso.

    Uma viagem feliz a todos os títulos, é o meu voto para ti.

    ResponderEliminar
  69. Viva, JAIME!
    Obrigada pelo bonito poema de Cecília, este desconhecia.

    Já fui conhecer o Tomé,

    Um Carnaval alegre.

    ResponderEliminar
  70. Um lindo poema
    E então a foto também
    É de Buarcos à vela,
    onde sempre que vou,
    há tempo para passear pelas passadeiras sobre aquele extenso areal.
    Beijinho
    Bom carnaval, boa diversão

    ResponderEliminar
  71. Que agradável surpresa!
    Eu, que nunca estivera em Buarcos e há muito tempo não fora à Figueira da Foz, gostei imenso.

    Divertido Carnaval, sem a chuvinha daqui.

    ResponderEliminar
  72. A obra é vasta, só a vida foi curta.
    Li alguma poesia e não me esqueço mais de,
    Testamento

    "À prostituta mais nova
    Do bairro mais velho e escuro,
    Deixo os meus brincos, lavrados
    Em cristal, límpido e puro..."

    Bela homenagem aos poetas (e poetisas) anónimos que estiveram enterrados muitos anos.

    Lembrei-me e vou enviar-lhe uma "encomenda".
    E tem que ser já, antes que acabe a tinta ou o tempo.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  73. Para mi, esse Testamento é o melhor poema dela, dos que conheço.

    Cá aguardo a "encomenda", agradecida

    Meu caro, o tempo ainda não está em vias de extinção, rrss

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  74. Grato pela sua visita. Volte sempre.
    Bonito poema. Toda a descida em nós mesmos é simultaneamente uma ascenção, uma assunção, uma visita do verdadeiro exterior.
    Cordialmente, tudo de bom também para si.

    ResponderEliminar
  75. A foto está mesmo em simbiose com as palavras! *

    ResponderEliminar
  76. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  77. JORGE: quando quiser voltar, terei todo o gosto de o receber.

    Boa noite.


    ANDREIA:
    Acha que está boa a ligação? Que bom!

    A casa é sua.

    Tudo de bom.

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...