domingo, 25 de abril de 2010

ABRIL, SEMPRE ! !

Eu vi este povo a lutar
Para a sua exploração acabar.

Nós queremos trabalho e casa decente,
A carne no talho e pão para toda a gente.

Só a nosso mando há liberdade,
vamos lá lutando para mudar  a sociedade!

VIVA A LIBERDADE !!

44 comentários:

  1. Ámen.
    Os erros ficam para quem os pratica...terão de dar contas deles...a justiça será feita, por vezes não é visível aqui ... mas um dia.
    A Justiça Divina nunca falha.
    Forte, Forte, Abraço.
    Mer

    ResponderEliminar
  2. eu também... mas a linha de parida foi-se desviando do seu percurso...
    agora, nem sem cravos!!!
    infelizmente, xará querida
    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Estou em total acordo: as traições à esperança de Abril recairão sobre quem as praticou,inexoravelmente!

    Um apertado abraço, companheira.

    ResponderEliminar
  4. Querida xará, apesar de tudo a liberdade ainda aí está e a liberdade das colónias concretizou-se.

    Os cravos foram abolidos até por esse democrata de sempre chamado Cavaco, imagine-se!!!

    Um grande e fraterno abraço.

    ResponderEliminar
  5. Minha querida São,

    Venho devolver-te o cravo... o meu trouxe-o da Avenida, a própria, a da Liberdade... cheguei há pouco. E está um dia lindo :))).


    Beijos, muitos, cheios de carinho.

    ResponderEliminar
  6. Viva o 25 de Abril.

    Inesquecível.

    Bjs

    ResponderEliminar
  7. GRACINHA, infelizmente, não pude estar contigo pessoalmente, mas o espírito de Abril está sempre em mim.

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  8. Sim, inesquecível, mas muito esquecido por alguns, desgraçadamente.

    Fica bem, GATO.

    ResponderEliminar
  9. Y siempre viva la libertad!!!

    Pero la auténtica libertad, aquella que nos permite pensar libremente,respetar al otro ,vivir en paz y armonía con los demás y con uno mismo...

    Beijos mi buena amiga!

    ResponderEliminar
  10. Querida São

    Com a permissividade de muitos de nós têm vindo a fechar as Portas que Abril Abriu, como escreveu o Ary.

    O Abril foi adiado... há que lutarmos para o pôr de novo "em dia".

    Estou pronto para continuar a lutar pela esperança de uma vida melhor para todos.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  11. SEMPRE!!!
    Convém que essa chama de esperança não esmoreça jamais...

    Um grande abraço de vida

    ResponderEliminar
  12. Olá São, belo post com Zé Mário Branco...Espectacular....
    Abril Sempre !!
    Beijos

    ResponderEliminar
  13. Cantemos siempre por la libertad, luchemos por ella, querida amiga. Feliz semana.

    ResponderEliminar
  14. Meu estimado RODOLFO, mas essa é que é a verdadeira Liberdade, não é?

    Besos.

    ResponderEliminar
  15. Se me deres o gosto de aceitar a minha companhia nessa luta, pois conta comigo para defender Abril, meu caro VIKTOR.

    Bem hajas!

    ResponderEliminar
  16. Não, essa chama só tem que ser fortalecida e animada, claro.

    Bem hajas, amigo DUARTE!

    ResponderEliminar
  17. Caro CHANA, Abril sempre, sim!

    E fico contente por saberes quem é Zá Mário Branco.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  18. Obrigada...e fiquem bem, NÒS DO BLOG.

    ResponderEliminar
  19. Bienvenido, querido Amigo.

    Sim, vale a pena lutarmos e cantarmos o que realmente dá valor à vida.

    Um forte abraço, PEDRO mio.

    ResponderEliminar
  20. Viva, São. Que por ela sempre sejamos capazes de lutar! :) Boa semana, amiga; fica bem.

    ResponderEliminar
  21. São,
    vivo em Valência desde o 19 de março de 1968.
    Tudo o que sei foi pelo pouco que deu aqui na TV, o que me contais, alguns livros que adquiri, ao que agrego o filme de Maria Medeiros que tenho aqui em casa. Que não tem nada que ver com vivê-lo.
    Sim, foi uma pena...
    Boa semana e beijinhos

    ResponderEliminar
  22. Sim, SWAMI, que nunca nos façeça a coragem para lutarmos por aquilo que vale a pena.

    Um abraço par ti, àrabe.

    ResponderEliminar
  23. DUARTE, meu bom amigo, de facto nada substitui a viv~encia da realidade.

    Eu tenho desde a adolescência imensa informação sobre o regime nazi e os campos de concentração e nada disso me preparou para o choque brutal que foi estar dentro de Auwschwtiz-Birkenau.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  24. Olá! Boa tarde!

    Vim do amigo Poeta das Conchinhas e decidi visitá-la.

    Foi 25 de Abril, mas a sua escolha para a celebração fascinou-me.
    Voltarei e espero que venhamos a ser amigas.

    Abraço,

    Na Casa do Rau

    ResponderEliminar
  25. A esperança é a ultima a perder, no meio de tanta injustiça ainda vou acreditando que algo pode mudar
    beijinhos

    ResponderEliminar
  26. Querida Sâo,

    Depois de me ter comovido nesta madrugada de 24 por vários sítios, peço desculpa de só hoje chegar aqui, mas a comoção é sempre a mesma, sobretudo olhando para o que entretanto se perdeu, mas também muito se conquistou que já difícilmente nos é tirado, como a liberdade de expressão e muito, muito mais, que nem é explicável para quem não viveu o antes, mas que é nossa obrigação saber transmitir, porque hoje à distância e olhando para o que existia antes de Abril de 1974, ainda assim tudo tem mais côr agora, é preciso sim estar atento e sobretudo nestes tempos difíceis, "ir lutando para mudar a sociedade!
    VIVA A LIBERDADE !!"

    Obrigada por este momento.
    Beijinhos.
    Branca

    ResponderEliminar
  27. Querida Sao,

    Libertad de pensamiento...de vida...de TODO.

    Un gran beso

    ResponderEliminar
  28. La pobreza siempre existira y la misma es mantenida por los que luchan por abolirla. El dia que la pobreza desaparezca muere automaticamente la izquierda y sus lideres; y estos no quieren morir y por eso seguira la explotación, el latifundio y todo aquello que ahonda la diferencia entre ricos y pobres. Esto es verdad y siempre será la verdad. Lula, Correa, Chavez, Morales y Lugo ¿estan haciendo algo por los pobres?

    ResponderEliminar
  29. Boa noite São,

    Ganharam a liberdade , sim, mas também tiveram a liberdade de desgastar o país e de fazer uma dívida pública assustadora...

    Beijinhos

    Verdinha

    ResponderEliminar
  30. Bem vinda, FERNANDA.

    Talvez não tenha dado conta, mas sigo-a há algum tempo e até já deixei marca de passagem nos seus espaços.

    Agradeço a amabilidade e gostarei de a ter aqui.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  31. Partilho também essa tua esperança. amiga-
    Bem hajas, LUNA.

    ResponderEliminar
  32. Amiga, não posso estar mais de acordo contigo do que estou.
    Apwsar de tudo, o 25 de Abril valeu a pena, sem dúvida. E nós só temos que ir lutando par consolidar o que temos e conseguir o muito que ainda falta.

    Beijo-te carinhosamente, BRANCA.

    ResponderEliminar
  33. Queridao e estimado RICARDO, sim: Liberdade para sempre e para todos os aspectos da vida!
    Fuerte abrazo,

    ResponderEliminar
  34. ELTAUROCOMQUICO:
    Se bem compreendi, é a Esquerda a responsável pela exploração e pela desigualdade . Estou completamente em desacordo, evidentemente.Embora não seja maniqueísta .
    Quanto aos que enunciou, penso que alguma coisa estão fazendo, sim.

    Bom dia.

    ResponderEliminar
  35. Querida VERDINHA, nada é perfeito. Apesar de todas as coisas feias que nós sabemos, ainda acho que o 25 de Abril valeu a pena.
    Até porque vivi toda a ditadura em Portugal - e sendo mulher, as coisas ainda eram piores.

    Beijinhos carinhosos.

    ResponderEliminar
  36. Querida São,
    Orgulhosamente, deixo-te a letra da canção do meu patrício, poeta e compositor, Chico Buarque...música composta por este "Eterno Abril" no coração dos portugueses:

    TANTO MAR
    Composição: Chico Buarque

    Sei que está em festa, pá
    Fico contente
    E enquanto estou ausente
    Guarda um cravo para mim
    Eu queria estar na festa, pá
    Com a tua gente
    E colher pessoalmente
    Uma flor no teu jardim

    Sei que há léguas a nos separar
    Tanto mar, tanto mar
    Sei, também, que é preciso, pá
    Navegar, navegar
    Lá faz primavera, pá
    Cá estou doente
    Manda urgentemente
    Algum cheirinho de alecrim

    Foi bonita a festa, pá
    Fiquei contente
    Ainda guardo renitente
    Um velho cravo para mim
    Já murcharam tua festa, pá
    Mas certamente
    Esqueceram uma semente
    Nalgum canto de jardim

    Sei que há léguas a nos separar
    Tanto mar, tanto mar
    Sei, também, quanto é preciso, pá
    Navegar, navegar
    Canta primavera, pá
    Cá estou carente
    Manda novamente
    Algum cheirinho de alecrim
    ____________

    Que sempre seja a Liberdade em nós.
    Beijos,
    Genny

    ResponderEliminar
  37. Obrigadisssima , minha querida, desde que a ouvi pela primeira vez que adoro esta canção!

    Bem haja!

    ResponderEliminar
  38. Querida amiga,

    a sinceridade deste dia no coração de um povo emociona , fortalece e motiva para a realização que objetivaram e continuam a objetivar nobres , fraternais e essenciais direitos de todos. Mas esta verdade e vontade estão vivas nos corações e mantêm a chama acesa da esperança de um governo que seja grato e honrado neste ideal nobre e a significação para todos deste dia.


    Beijão estalado, São!

    ResponderEliminar
  39. Felicito-a pela análise e agradeço-lhe a sensibilidade, minha linda!

    Bem haja!

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...