MALTA

MALTA

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

LIVRES, ASSIM ? !


"Uma pessoa com fome não é uma pessoa livre!"

AMARTYA   SEN
(Prémio Nobel da Economia de 1998)

44 comentários:

  1. A fome é a maior prisão contra o ser humano.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  2. Também assim o considero.~

    Bom final de semana.

    ResponderEliminar
  3. Amiga São!

    Ninguém pode ficar indiferente a este flagelo.
    Como podemos viver ignorando esta verdade aterradora?
    E ainda há quem deite comida fora!
    Dói demais.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Sem as condições mínimas, para se ter uma vida digna... ninguém é livre e já não falo só da fome... essa não é prisão... é estar a morrer por antecipação, e, deixar que isto aconteça é uma vergonha para a espécie humana... tão "inteligente"... e não consegue resolver, definitivamente, este problema e, infelizmente, está em vias de aumentar.

    Bjos

    ResponderEliminar
  5. Totalmente de acuerdo !!
    No se puede vivir, ni pensar, ni soñar en ese lamentable estado de hambruna!!!
    Rogemos por un mundo igualitario.

    Besos

    ResponderEliminar
  6. Não há democracia onde existe fome
    Saudações amigas e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  7. ♥ Olá, amiga!
    Passei para uma visitinha e para desejar um bom fim de semana com muita paz e saúde.
    Diante do exposto o que dizer? Sabe amiga, todos nós somos culpados também...
    Beijinhos.
    Brasil ♥
    ♥♥ °º
    ° ·.

    ResponderEliminar
  8. Impossivél ficar indiferente! é urgente agir.
    Bom fim de semana
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. ASSIM NÃO, NUNCA!

    Totalmente solidário com este teu canto de igualdade...

    Um grande abraço de boa amizade, boa amiga

    ResponderEliminar
  10. São, vc me fez lembrar um poema, que peço licença para postar aqui. O poema não falada fome no Haiti, mas fala de outras fomes pelo mundo. (embora existam fomes maiores que as outras. A do Haiti é uma delas).

    "Mãe eu tô com fome
    eu dizia eu gritava eu mugia
    minha vó zangada respondia
    você não está morrendo e nem tem fome
    Você tem é apetite
    Você sabe que vai comer, aonde comer, o quê vai comer.
    Fome não! A fome, minha neta,
    a fome, meu irmão,
    a fome, minha criança,
    é um apetite sem esperança.
    Quando há certeza de cereais, toalhas americanas,
    guardanapos e alegrias da coca-colândia
    não há fome de verdade.
    Minha vó já dizia pra mim um futuro de Brasil.
    Minha vó nem viu edifício crescer no lugar de pão
    no lugar de trigo
    nem viu criança com infância de semáforo
    vendendo mariola barata, criança que mata
    porque seu quintal tá sempre no vermelho
    criança cujo ralado de joelho
    dói menos do que o não morar, não existir, não contar
    com a fome tenaz
    Não há tenaz na escola
    há só a cola de cheirar a dor doída
    de um monstro estômago a roncar
    um animal doído dentro do corpo a uivar
    todo dia, sem boa vista, sem quinta zoológica onde morar
    Com a fome das crianças brasileiras
    forra-se a mesa, arma-se o banquete
    dos que sempre tiveram apenas apetite.
    A faminta criança foi apenas o álibi, o cardápio, o convite.
    Desmamada ela cresce procurando o peito da pátria amada
    uma banana, uma manga, uma feijoada
    e a mãe pátria diz nada.
    Tem ela apenas o horror, o descalor, a calçada
    um ódio a todos os tênis dos meninos nutridos
    um ódio a mochilas, a saudáveis barrigas
    com contínuo furor de assaltar os relógios
    um deter o tempo que é o seu verdadeiro balão
    um cai-cai balão que só cai à mão armada.
    A fome gera a cilada de uma pátria de não irmãos.
    A gente podia ter gripe, asma, catapora, bronquite
    A gente podia ter apetite mas fome não.

    Minha vó bem que dizia sem errança:
    fome é um apetite sem esperança."

    - Elisa Lucinda -

    (Escrito especialmente para a Campanha Ação da Cidadania Contra a Miséria e Pela Vida/ Betinho / 93)

    ResponderEliminar
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  12. não, minha querida irmã, NUNCA!
    sem palavras, xará...
    beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  13. até devia ter dito... a liberdade, é uma ficção, uma utopia...
    beijinhos, querida

    ResponderEliminar
  14. Não se pode ficar indiferente à fome que infelizmente em vez de diminuir está a aumentar, agora em países onde era suposto não existir.
    E, em tempos de crise, os países com menos recursos são os mais esquecidos, resta a nós cidadãos atentos dar voz a estas pessoas.

    Bom fim de semana

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Querida NÁ: dói muito, realmente. Dói ainda mais por sabermos que não inevitável que assim seja!
    Dói sabermos do desperdício, do esbamjamento, da indogerença!

    Um excelente fim de semana.

    ResponderEliminar
  16. Com certeza, amiga!
    Mas fico a perguntar também: será que quem inflige a fome física e outros sofrimentos aos semelhantes, pode ufanar-se em ser livre?
    É aquela história do prisioneiro e seu carcereiro, qual dos dois é feliz?
    O mundo está doente e precisa de um remédio eficaz para ficar São, isso não foi trocadilho, rsrs.
    Beijos!!!

    ResponderEliminar
  17. Oiêeeeeeeeee, São!

    Descobri que você também é amiga do Zé do Cão.

    Ele não sabe, mas estou fazendo um pedido para cada amigo dele, vamos incentivá-lo a voltar a escrever???

    Ele, como muitos de vocês, está chateado com a vida.... essas coisas de políticos... é o povo que paga o pato sempre, não é?

    Do lado de cá... até já acostumamos com as agruras da vida...

    A tragédia que aconteceu no Rio de Janeiro, foi resposta da natureza ao que nós e o resto do mundo estamos fazendo á ela...

    Fico tristíssima!...

    Já esperávamos deslizamentos nas encostas dos morros e das montanhas... mas, não naquela proporção...

    É claro que também foi irresponsabilidade política...

    Mas, amigo é amigo!
    Incentive-o a adotar o cachorro rafeiro, atual mascote do blog e a voltar a escrever...

    Será muito bom para nós que somos fãs dele...

    Obrigada, São.
    Sou sua fã número 2... porque já sou fã número 1 do Zé.

    Beijinhos carinhosos.
    Dila
    Brasil

    ResponderEliminar
  18. Minha querida, é um anjo!
    Claro que estou de seu lado nessa tentativa de trazer o nosso querido Zé para nosso convívio de novo!

    Mas aqui tudo está mau demais, sabe? Até compreendo a margura dele e seu desconsolo, porque sinto igual face ao descalabro do mundo e às tropelias que estão acontecendo no nosso pobre país.

    Para as vítimas daí, nesta tragédia das cheias, a minha solidariedade e preces a Deus.

    Para si, minha querida, um abraço enorme.

    ResponderEliminar
  19. PHOENIX, a foto é uma acusação tremenda a toda a gente!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  20. Querida VANUZA, concordo. Quem vive obcecado por acumular dinheiro, está doente , embora de um outro modo.

    E obrigada, muito, pela frase derradeira, linda

    Bem haja, minha amiga

    ResponderEliminar
  21. Bem vinda, ISABEL!

    É uma atrocidade tremenda a de alguém morrer de fome nos tempos actuias, porque há como evitar esse sofrimento atroz.

    Denunciemos, sim e sempre!

    Um abraço, linda

    ResponderEliminar
  22. Minha querida xarázinha, a liberdade é aquilo que dignifica a Humanidade: por isso, temos o livre arbítrio!!

    Deus nos ilumine a todos, maninha

    Bem hajas!

    ResponderEliminar
  23. Bem vinda, MALU!

    Obrigada por seu extraordinário poema.

    Há tanta fome, tanta viol~encia, tanto mal por todo esse planeta, como muito afirma, que nós só temos que fazer tudo para denunciar quem tem culpas no cartório.

    Bem haja!

    ResponderEliminar
  24. Pois é, ISA, não resolve porque não quer! O que torna a sua culpa e responsabilidade bem maiores!!

    Qualquer tipo de sofrimento é uma indignidade, acho eu
    E quando é desnecessário , então, é atroz.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  25. Estar nestas condições brutais não é viver...é sobreviver muitissimo mal.

    Todas as pessoas têm direito ao pão de cada dia!!

    Besos, muchos, RODOLFO mio

    ResponderEliminar
  26. Totalmente de acordo, pois a democracia não se resume a colocar votos nas urnas!

    Bem haja, C. VALENTE

    ResponderEliminar
  27. MAGIA DA INÊS:
    Sim, infelizmente, ninguém está completamente inocente nestas vergonhosas atrocidades contra seres humanos indefesos.

    Bem haja, querida.

    ResponderEliminar
  28. Estou esperando há semana resposta de uma Associação Católica para fazer voluntariado em Moçambique...

    Um abraço, querida LILÁ.

    ResponderEliminar
  29. É muito grato ter-te a meu lado nestas lutas, sabes, meu querido amigo?
    Bem hajas, DUARTE!

    ResponderEliminar
  30. O que eu acho, no meio da fome, é, haver pessoas que se aproveita da miséria e da desgraça dessas mesmas pesssoas, para proveito próprio, por isso eu tenho sempre muito cuidado.
    Sei que há pessoas muito sérias, mas também sei que há outras que não o são.
    Mas quem chama a atenção para estas coisas tem sempre o meu apoio.

    beijinhos,
    José

    ResponderEliminar
  31. Boa noite São,
    impressionantes estas imagens, até fazem doer!

    Beijinho amigo,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  32. O que mais de básico tem um ser humano:a comida, comer...

    Um mundo que ainda é tão primitivo e que permite que isto aconteça...

    Indignação levada ao extremo!

    Beijinho doce

    ResponderEliminar
  33. O pior é que não é apenas a fome do corpo, e nem mesmo esta se elimina. É também a fome do espírito.

    ResponderEliminar
  34. Livres?!
    Ninguém é absolutamente livre...penso eu.
    Há muita maneira de ter fome...há muitas "fomes".
    Sempre fiz por abolir sempre que possível a fome de qualquer forma, o "medo" de qualquer forma e o frio...já que sou muito friorenta e ... também há muitas formas de "frio".

    Somos todos "culpados" por estas imagens horrendas.
    O desemprego...é um dos maiores flagelos para o ser humano...poderá dar no futuro imagens destas. Mas quem está bem...vai vivendo a sua vidinha e nem quer "mudar"...os nomes voltam sempre a serem os mesmos...não vá o diabo tecelas!
    Bjs.
    Mer

    ResponderEliminar
  35. Agradeço o apoio, JOSÉ.

    Quando dou donativos, também fico sempre recenado pelo caminho que lhe será dado. No entanto, prefiro correr o risco de serem desviados a não ajudar quem necessita.

    Bom domingo.

    ResponderEliminar
  36. Imagens assim ( e já bem piores...) cortam o coração e enfurecem pelo absurdo.

    Bom domingo, ANA.

    ResponderEliminar
  37. MEU DOCE AMOR, quão duro o karma que quem ISTO provoca está construindo!!

    Um bom domingo.

    ResponderEliminar
  38. Concordo, PENSADOR.

    Mas, em primeiro lugar, temos que mitigar, pelo menos, mitigar a do corpo...porque senão nem as outras terão oportunidade de se revelarem, não é?

    Um abraço

    ResponderEliminar
  39. Não, não há inocentes, querida MER.

    Eu também sou extremamente friorenta e sofro de alguma "fome" pela ternura que nunca me deram

    mas esta, a física, é prioritária, pois pessoas prostradas como as que aí vemos nem capacidade conseguem ter para sentir seja o que for...

    Um abraço grande para si e família

    ResponderEliminar
  40. Minha querida Amiga,
    Nunca haverá verdadeira Liberdade e/ou democracia enquanto permitirmos a existência de fome no mundo!
    Passei por aqui agora porque minha vida profissional e associativa complicou-se de tal maneira que não tenho tido tempo praticamente nenhum para o meu blogue. E, apesar de me lembrar de todos vós, não tenho passeado por cá.
    Mas, como mais vale tarde que nunca, aqui estou eu a desejar-te um ANO NOVO CHEIO DE FELICIDADE, sobretudo com muira Saúde, Amor e Paz.

    Bjinhos
    Maria Faia

    ResponderEliminar
  41. Evidentemente que não! Como é que se pode ser livre, se a própria sobrevivência está em jogo?

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  42. Querida amiga, obrigadissima pelo teu carinho, que retribuo.

    Desejo-te de coração que a tua vida se normalize rapidamente e como desejas eassim regresses ao blog: já tenho saudades tuas, rrss

    Um abraço estreito e longo, MARIA FAIA.

    ResponderEliminar
  43. TETÉ, não posso estar mais de acordo com a certeira análise: prioritário é sobreviver, depois se luta pelo resto.

    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...