terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

INCÊNDIO - AL BERTO




INCÊNDIO 

se conseguires entrar em casa e
alguém estiver em fogo na tua cama
e a sombra duma cidade surgir na cera do soalho
e do tecto cair uma chuva brilhante
contínua e miudinha - não te assustes

são os teus antepassados que por um momento
se levantaram da inércia dos séculos e vêm 
visitar-te

diz-lhes que vives junto ao mar onde
zarpam navios carregados com medos
do fim do mundo  - diz-lhes que se consumiu
a morada de uma vida inteira e pede-lhes 
para murmurarem uma última canção para os olhos
e adormece com lágrimas  -  com eles no chão

AL BERTO
(11/1/1948  -  13/6/1997)

30 comentários:

  1. Boa tarde, lindo poema, viver junto ao mar trás-no alivio, ouve-se as palmas de alegria dos antepassados.
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem vindo, António!

      Na próxima encarnação , viverei junto ao mar.

      Saudações :)

      Eliminar
  2. Como vengan mis antepasados me voy yo.
    No quiero verlos.

    Besos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos iguais, Xavi....

      Abrazos

      Eliminar
    2. Um poema elegíaco de Al Berto, certamente inspirado pelo movimento de navios zarpavando para rumos desconhecidos, que desfrutava da sua casa sobranceira à baía de Sines.
      Um abraço,
      Jorge

      Eliminar
    3. Sim, que sorte a dele-...

      Abraços, amigo

      Eliminar
  3. Nascer e viver junto ao mar é privilégio, posso dizer, como Alberto diz no poema.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mar é algo que me diz muitissimo e que adoro.

      Infelizmente, não vivo a vê-lo.

      Abraços

      Eliminar
  4. Lindo poema, não conhecia!
    Não vivo junto ao mar, mas muito pertinho.

    Beijinho Sãozita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu do que estou mais perto ainda assim é do Tejo...

      Beijinhos, querida

      Eliminar
  5. Belo poema para comentar,
    não adianta deixar cair lágrimas no chão
    com saudades gostava de os abraçar
    mas sei que mais não voltarão
    nem a sorrir nem a chorar!

    Desejo uma boa noite para você amiga São, um abraço,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem foi, foi...

      Abraço grande, meu caro Eduardo :)

      Eliminar
  6. Um poema que toca a alma de quem vive perto do mar e dos bons sentimentos...abraços meus.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem vinda !

      Para quem ama o mar e tem bons sentimentos este poema é indicado, sim

      Beijinhos

      Eliminar
  7. Thanks for visiting my blog.
    This is a beautiful poem.
    Best regards, Irma

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Good morning and thank you for your visit.

      Saudações :)

      Eliminar
  8. Um poema pleno de nostalgia. Muito bonito e criativo.
    Beijos, Élys.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grato abraço por ter gostado e pela agradável visita !

      Eliminar
  9. Tudo azul, que bonito!
    Versos que entoam cantares, que até me fizeram recordar o cego do restêlo, será o esplendor do fogo?
    Abraços de vida, querida amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Azul é a minha de eleição.

      Quanto ao poema...cada um de nós decifra-o à sua maneira, não é ?

      Abraço apertado, querido amigo :)

      Eliminar
  10. São , agradeço a partilha do poema que não conhecia . O mar me acalma e me aconselha . Não o tenho por perto mas também não muito longe . 90 kilometros que percorro com prazer para encontrá-lo . No vai e vem das mares mato as saudades dos que já se foram . Beijos , amiga .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mar é também muito importante para mim tanto calmo como tempestuoso.

      Essa distância aí nesse seu imenso e lindo país não é nada, mas aqui é muito longe...rrss

      Amiga, grande abraço :)

      Eliminar
  11. Amiga São,

    Belo poema onde o Mar, o nosso elemento, tem presença marcante.

    Gostaríamos de te convidar para o próximo “Os Desafios do Farol”, evento que se inicia hoje, dia 13, no nosso Farol.

    Seria um prazer para nós poder contar com a tua presença e participação nesta iniciativa que, à semelhança da anterior, promete ser animada e ao mesmo tempo contribuir para que nos aproximemos e fortaleçamos os nossos laços de Amizade.

    Beijinhos e abraços dos amigos,

    Argos, Tétis e Poseidón

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por gostarem do poema e pelo convite.

      Grande abraço :)

      Eliminar
  12. Ei moça! kkk Que poemaço, heim? Incendiou-me o coração tal beleza e profundeza das palavras!

    O Sibarita

    ResponderEliminar
  13. Al Berto era um grande e sofrido poeta, sem dúvida. No "são" tenho , também dele, "Sida"

    Grande abraço para si :)

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...