sexta-feira, 26 de março de 2021

TEXTO MEU : "FALA DO TOUREIRO" ( "EM OURO CRU")


                        (Paquirri)


 Entre nós ambos

a fronteira da morte.

Daquela morte

que é só nossa,

mas de quem 

não sabemos

a escolha

irrevogável e única

no fugaz momento da decisão.


O mistério da trágica dança

envolvendo os nossos corpos

só terá fim no centro do dia

no interior do círculo

sob o peso ávido da multidão

que nos cerca 

e ao mesmo tempo nos liberta..

34 comentários:

  1. Excelente poema, amiga São!

    Uma dança singular, entre o homem e o animal
    Onde o bailar dos corpos se desenrola
    Numa dança fatal!

    Bom fim de semana, amiga São!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muita grata pela generosidade das suas palavras, Mário!

      Abraço , retribuindo o voto.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Agradeço o apreço, Ci.


      Beijo de bom fim de semana :)

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Muchissimas gracias, querido amigo mio :)

      Tu , si, escribes muy y muy bien!!

      Besos , buen finde

      Eliminar

  4. Caro Sao ... por acaso ontem eu estava assistindo no youtube a morte do toureiro Paquirri ... aconteceu em 1984 ... um touro o matou em um povoado da cidade de Córdoba ... um dia que ele nunca imaginou. Seu poema é muito bonito, que se não me engano tem a ver com um toureiro e um touro. Uma saudação fraterna.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paquirri foi um excelente toureiro, além de um homem muito bonito. Os dois filhos que teve com Carmen Ordoñez também o são.

      Aquela tarde em Pozoblanco foi trágica e o toureiro morre com apenas 36 anos.

      Nunca o vi pessoalmente, mas assisti a corridas dele na arena de Lisboa pela televisão portuguesa.

      Sim, o poema aborda o desafio que todos os toureiros fazem à morte de cada vez que enfrentam um touro em praça.

      Abraço caloroso e bom fim de semana, Ingrid

      Eliminar
  5. Este duelo por vezes é fatal.
    Foi-o para Paquirri, lembro-me bem!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E no caso de Paqurri (ambos os folhos mais velhos herdaram-lhe a vocação) a morte ocorreu por falha humana, na opinião de um dos seus irmãos.

      Incrivelmente , a enfermaria da Praça de Pozoblanco não estava devidamente equipada e o toureiro esteve uma hora esvaindo-se em sangue antes de o médico decidir que deveria ir para Córdoba....

      Beijinho e bom fim de semana

      Eliminar
  6. Gostei do poema mas eu sao antitaurina!
    Agradezo sua visita.
    Abraço e boa fim de semana, amiga Sao

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço o apreço pelo poema, Beatriz , e a visita também.

      Também sou contra o actual modelo de touradas, mas aprecio muito o que segue o original - em que não há nem cavalos nem touros feridos .

      Beijinho e bom fim de semana , minha amiga :)

      Eliminar
  7. Sou fã dos seus poemas há muitos anos. E nunca me desiludo.
    Abraço, saúde e bom domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha amiga, estamos em situação igual.


      Bom domingo , tudo de bom, abraço grande :)

      Eliminar
  8. Boa noite, minha linda São!
    Palavras duras e ao mesmo tempo tão sensíveis!
    Um doce abracinho!
    Megy Maia👄💗👄

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem vinda, minha amiga!

      A tourada, mesmo no infeliz modelo actual com sofrimento par os cavalos e para os touros, tem um significado profundo, exige muita coragem e é um enfrentamento de morte.

      O touro sempre teve , desde a antiguidade, um lugar muito importante na bacia do Mediterrâneo.

      Beijinho abraçado, Megy.

      Bom domingo :)

      Eliminar
  9. Uma das profissões mais arriscadas que há...

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida!

      E machista, porque não admite mulheres naquele mundo.

      Abraço e bom domingo :)

      Eliminar
  10. Sou contra as touradas. Não conseguia assistir a uma.

    Isabel Sá  
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Contra este modelo actual em que ha´ sofrimento de cavalos e de touros também sou e também não assisto a touradas.

      Porém, não deixo de reconhecer a coragem que é necessária para enfrentar ,por exemplo, um Miura, que sendo animais relativamente pequenos são de extrema combatividade e os que mais causam a morte de toureiros.

      Bom domingo.

      Eliminar
    2. Confesso que acho desnecessário a luta entre homem e animal a troco de espetáculo.

      Eliminar
    3. Presumo que, tal como eu, deve detestar a exibição de animais amestrados, que é uma violência ainda maior e mais continuada no tempo.

      Boa semana, Isa! :)

      Eliminar
  11. Olá São!
    Passei por aqui, para desejar uma boa noite e ótima semana!

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva !

      Grato abraço, retribuindo os votos, Mário ! :)

      Eliminar
  12. Um poema que tráz , além da beleza dos versos, concisos e breves, a dramaticidade que existe entre um touro e o toureiro, a vida e a morte. Parabéns ! Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito grata pelas amáveis palavras.

      Sim, a tourada é uma dança entre a Vida e a Morte e tem um profundo simbolismo. Particularmente no modo antigo em que homem e animal se enfrentavam.

      Neste modelo actual cavalos e touros sofrem e , por esse motivo, há muitas décadas que não vejo touradas.

      Beijinho.

      Eliminar
  13. Grande desafio as danças entre toureiro e touro.
    Precisa sangue frio assistir essas touradas e imagina vive-las !
    Nunca interessei pelo espetáculo, que acho bastante deprimente e cruel.
    Exatamente assim: ' a fronteira da morte' que o homem escolhe e o touro Não.
    grande abraço São _ estou retornando de uma pausa e já com saudade dos amigos.
    Boa semana .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem vinda, Lis! Tão bom vê-la aqui!

      Não aprecio o actual modelo de touradas nem a exibição de animais amestrados e , portanto, recuso-me a ver.

      Estou absolutamente de acordo, os animais não têm escolha e, no caso das touradas, o sofrimento dos cavalos é maior ainda do que o dos touros ... e , infelizmente, ninguém se preocupa com isso.

      Beijinho e bom regresso :)

      Eliminar
  14. Tudo o que é tourada não vai comigo.
    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O modelo predominante deveria acabar assim como o sofrimento dos animais amestrados ....

      Agradeço e retribuo

      Eliminar
  15. Respostas
    1. Também não assisto de modo nenhum.

      Por mim o modelo predominante - onde cavalos e touros estão em sofrimento - acabariam.Tal como a exibição de animais amestrados, que considero ainda pior.

      Fico muito grata pelo apreço e desejo-lhe uma doce Páscoa.

      Abraço. :)

      Eliminar
  16. O universo taurino, é um mundo à parte, para mim, confesso! Não acompanho, nem aprecio...
    Mas apreciei o poema, que captou o espírito do confronto... embora sempre desigual no meu ponto de vista... pois os animais, até chegarem à arena... já passaram por bastante...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No caso dos cavalos sofrem antes , durante os treinos , e na arena, pois estão entre os cornos de um animal que temem e as esporas do cavaleiro. Pior ainda no caso dos picadores.

      Quanto aos touros sofrem na arena e , nas touradas à portuguesa, sofrem após as touradas também.

      POr tudo isso, não aprecio este modelo de touradas, mas não deixo de reconhecer a coragem e a beleza estética da lide a pé.

      Bom sábado , Ana, beijinho grato pelo apreço :)

      Eliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...

Trouble of the World PARA BOA SEMANA !