terça-feira, 3 de julho de 2012

POESIA: VITORINO NEMÉSIO

Levou a vida de cão
No seu coração de pomba
(Pobre até fede!)
Agora cheira a cação
E a neve tomba
No caixote que o expede.

Perdeu dois filhos no mar
E teve uma neta pública:
Mas soube ustir e durar
Com meia rede e uma súplica.

Disto sim! limpo o grão
Leva a companha ao Senhor!
E, bem pesadas no caixão,
As cinco arrobas de fedor.

Era o Mestre Negrinho:
Agora, clareou.
Alguém desceu um fio de linho
À cova aberta, e lá o pescou.

VITORINO NEMÉSIO


18 comentários:

  1. Mi querida Sao, el pescador anda raudo hacia la busqueda del sobrevivir. Madruga y no logra nada. Persiste y...al fin...obtiene su triunfo.

    Gracias por compartirnos este poema y esta magnifica foto.

    Un beso..

    ResponderEliminar
  2. Quem mata pelo anzol, morre pelo anzol... ou pela espada...

    ResponderEliminar
  3. Pescadores e mineiros são das profissões mais duras e que respeito infinitamente.

    Un abrazo fuerte, mi querido RICARDO.

    ResponderEliminar
  4. A isso se chama lei da causa-efeito...

    Enquanto aguardo o teu filme te envio um abraço, Daniel

    ResponderEliminar
  5. Excelente poema muito bem ilustrado.

    ::))::))

    LUIZ

    ResponderEliminar
  6. Muy buena fotografía, complementada con este excelente poema.
    Un cordial saludo.
    Ramón

    ResponderEliminar
  7. Ainda bem que te agradou, LUIZ

    Fica bem

    ResponderEliminar
  8. Bienvenido, RAMÓN!

    Muchas gracias pelo apreço.

    Cordial saludo también.

    ResponderEliminar
  9. VITORINO NEMÉSIO tem uma poesia muito peculiar, que retrata sempre o povo sofrido.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Não conhecia esse poema de Vitorino Nemésio. Gostei muito!!
    Boa semana!! Beijus,

    ResponderEliminar
  11. Aprecio muito a poesia dele.

    Se passar pelo "são" encontrará uma sessão fotográfica com um gato, rsss

    Tudo de bom, BIRD

    ResponderEliminar
  12. Gosto muito deste poeta, realmente.

    Bons sonhos, LUMA

    ResponderEliminar
  13. Aprecio muito a poesia de Vitorino mas essa não conhecia!
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. E eu conheci recentemente através de um volume das suas poesias completas.

    Bons sonhos, rrss

    ResponderEliminar
  15. São,

    Aqui entre nós que ninguém nos ouve, vou publicar online dentro de algum tempo, ainda não sei precisar quando, um argumento para uma longa-metragem...

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...