MALTA

MALTA

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

"AVÉ, MANHÃ..."

16 comentários:

  1. Ajoelhado.....como nós!

    Pedindo? Como nós.....

    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. De joelhos, não! Recuso-me a ajoelhar seja defronte de quem seja!

    As palavras do teu texto são tão fortes que não precisam de ilustração - lá no teu blogue.

    Um abraço

    ResponderEliminar

  3. Sabes, vou contar-te um segredo. Quando era garota e, na linguagem moderna, pré-adolescente e pensava no que queria ser, houve sempre uma questão que me era bem clara. Nunca de joelhos!

    No entanto sinto a alma muitas vezes ajoelhada de tristeza e/ou siderada perante o Belo.

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
  4. Ajoelhados...de rastos estamos nós!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  5. Querida São ,

    bem hajas .

    Beijo grande ,
    Maria

    ResponderEliminar
  6. Temos, então, isso em comum, rrss

    Eu sou crente, como é sabido, mas nem numa igreja me ajoelho.Não creio que ninguém tenha que se ajoelhar, que perder digindade e altura para se dirigir a quem quer que seja.

    Sabes qie Pio XII exigia que lhe atendessem o telefone de joelhos?

    Perante a beleza e a bondade também fico grata a quem no-las ofereceu.

    Bons sonhos, LAURINHA

    ResponderEliminar
  7. LISA, de pé, e com dignidade!

    De rastos e sem rumo nem vergonha estão os responsáveis por esta situação. Embora, nós não estejamos totalmente isentos de responsabilidade , já que temos o poder do voto e não o utilizámos adequadamente.

    Bons sonhos

    ResponderEliminar
  8. MARIA, o meu estreito e reconhecido abraço.

    Serena noite tenhas.

    ResponderEliminar
  9. De joelhos? Nunca!
    Recuso-me.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  10. Ficaremos, então, as duas em pé lado a lado(já agora com a Laura , que também recusa ajoelhar-se)

    Um noite serena, Adelinha

    ResponderEliminar
  11. Ajoelhemos, então...em branda disposição.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  12. Em tempos eu pensava que nada me faria ajoelhar. A vida demonstrou-me que estava errada, e que quando ela quer, ajoelhamos mesmo.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  13. Amiga e Companheira

    O mal do mundo foi deixar de se ajoelhar! Vergam-se numa atitude "servil" perante o "poder" do dinheiro, deslumbrando-se com quem o possui.
    E quanto mais não ganhariam se trouxessem Deus para as suas vidas! Acabava a guerra nos corações das pessoas!

    Abraço nosso, minha amiga
    M.

    ResponderEliminar
  14. Ou sentemo.nos...semore de coração aberto e branda disposição, rrss

    Beijinhos,PÉROLA

    ResponderEliminar
  15. Posso ir ao fundo, como já tenho ido...mas sempre de pé como as árvores, como dizia Palmira Bastos.

    Bons sonhos, ELVIRA

    ResponderEliminar
  16. Minha querida Companheira: tem toda a razão, Seria bom que todos os corações tivessem humildade e compaixão.
    Um abraço apertado, AMIGA.

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...