domingo, 2 de junho de 2013

"BEL-AMI"

"Bel-Ami" é um romance do escritor francês Guy de Maupassant (1850-1893), de que foi feita recentemente uma adaptação ao cinema - que não vi.
 
A personagem principal é Jorge Duroy, uma criatura calculista  sem nenhuma espécie de escrúpulos que , sendo de uma origem muito modesta , acaba por ascender a uma invejável posição na sociedade parisiense através de artimanhas e traições  , sem preocupações morais nem éticas .
 
Além disso, serve-se da sedução que exerce sobre o sexo feminino para abrir caminho na carreira jornalística e política, dada a enorme promiscuidade entre as duas.
 
Para Duroy só a sua própria pessoa interessa e utiliza  tanto homens como mulheres , desfazendo-se  das relações sem nenhuma espécie de remorsos logo que obtém o que pretende.
 
Além de estar bem escrito,  a sua actualidade mantém-se, por infelicidade nossa. Ao acabar de lê-lo fica-se , pelo menos eu fiquei , com um amargo de boca: lembrei-me de pessoas específicas da nossa vida pública e dos jogos de mercados que nos arruínam a vida.
 
Deixo dois excertos:
 
  » "Era um grande negócio , um complicadíssimo negócio preparado na sombra. Sorria agora, feliz da sua esperteza; exaltava-se , falando como esposa de financeiro, habituada aos jogos de Bolsa, à evolução dos valores, aos acessos de altas e baixas arruinando em duas horas de especulação  milhares de pequenos burgueses , de pequenos proprietários , que colocam as suas economias sobre fundos garantidos por nomes de  homens honrados, respeitados, políticos ou banqueiros."
 
» " Vou atirar o Governo a terra. Só isto! Já é tempo de sobra de expulsar essa tropa...Vou fazer o eco .É preciso redigi-lo com discrição. Mas há-de ser terrível para o ministro. É um homem ao mar, não há bóia que o salve. A " Vida Francesa"  já não tem interesse nenhum em poupá-lo."
 

22 comentários:


  1. De facto, tantas semelhanças infelizes!

    Aqui há tempos comecei a ler um livro e, às duas por três, comecei a pôr em causa a minha estabilidade psíquica... É que as 30 páginas iniciais eram a descrição fiel da minha vida. Fiquei mais descansada quando a narrativa mudou de rumo. Mas deu para ficar " com um amargo de boca"...

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
  2. Realmente, deve ser um choque ver durante tanto tempo num livro a nossa vida ...

    Graças a DEus, nunca me aconteceu, embora já me tenha identificado bastantes vezes com algumas passagens e personagens.

    Lembro-me perfeitamente da minha identificação (ainda hoje ) com a personagem de James Dean em "A Leste do Paraíso".

    Boa semana.

    ResponderEliminar
  3. Tão atual, pois não, São?

    Beijo e ótima semana!

    ;))

    ResponderEliminar
  4. Infelizmente, demasiado actual...

    Bons sonhos, rrrss

    ResponderEliminar
  5. relendo os "clássicos" se recolhem lições para o presente.

    gostei. de verdade.

    beijo

    ResponderEliminar
  6. Por esse motivo Camilo Lourenço, a luminária , pretende abolir o ensino da História( e possivelmente a Cultura)

    Grato beijo.

    ResponderEliminar
  7. É um ótimo livro, São... apesar da carga desagradável das imperfeições humanas. Qt ao filme, tenho a gravação; devo ver por estes dias. Boa semana, amiga!

    ResponderEliminar
  8. O livro deveria ser de obrigatória leitura...

    Do filme me falarás depois, sim?

    Abraço com votos de excelente semana, querido Swami.

    ResponderEliminar
  9. Lendo os excertos, aguçaste-me a curiosidade!

    Mais a mais, tão real!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  10. O livro foi-me oferecido há mais de três décadas e só agora o li, imagina.

    Mas , como não creio em acsos nem coincidências, acho que assim aconteceu por ser este o tempo certo em que todo o enredo faz sentido.

    Beijinhos acerejados, rrss

    ResponderEliminar
  11. Lê e depois me dirás atua opinião, sí?

    Petons

    ResponderEliminar
  12. Mais um que não conheço.
    E que fica em lista.

    ResponderEliminar
  13. O livro até é pequeno e tem uma escrita , acho eu, que faz lembrar Eça.

    E , infelizmente, o protagonista está realmente muito presente nos tempos que correm

    Tudo de bom

    ResponderEliminar
  14. Penso que já ouvi falar.

    e vi filme parecido, cuja temática era similar. Não me recordo do nome.

    Sou péssima para nomes...

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  15. O nome tanto do livro como do filme, recente, é "Bel _Ami", que é a alcunha dada ao protagonista.

    Também sou péssima para nomes, cada vez que me lembro de situações
    embaraçosas que já vivi...

    Abraço

    ResponderEliminar
  16. São
    Eu estou sem assunto. Por isso nao ando postando.
    E nao sei porque nao acho tempo de rever minhas amigas e meus amigos . Mas nao as abandonei. Só estou mais atarefada.
    com carinho Monica
    Vou ver se coloco algo nem que seja um pensamento
    Mas estou com saudades de cada uma de voces.
    Aqui esta um frio d e lascar. E nós mineiros nao temos lareira. E cobertor mesmo!

    ResponderEliminar
  17. MInha querida, é tão bom saber que está bem, que só é falta de assunto e de tempo!

    Tenho todo o gosto de saber de si e de a ver por aqui sempre que puder.

    Aqui , a Primavera já chegou, mas muito pouco agradável e a meteorologia já foi avisando que o Verão terá temperaturas abaixo do que é normal,,,

    Um grande abraço, Móniquinha

    ResponderEliminar
  18. Gracias muy querida amiga Sao por compartirnos esta sensible composicion.

    Fraternal abrazo.

    ResponderEliminar
  19. Se puderes ler o livro, acho que gostarás, meu estimado Ricardo.

    Grato beijo

    ResponderEliminar
  20. leí ese libro y me dejo muy impresionado. Concuerdo con tu opinión.
    Un abrazo
    W.

    ResponderEliminar
  21. Folgo que tenhas sentido o mesmo que eu.

    Boa semana

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...