quarta-feira, 28 de abril de 2021

Jacques Prévert - Déjeuner du matin (sous-titré en français)

24 comentários:

  1. Olá, São!
    Lamento não saber francês. Imagino que seja uma excelente mensagem, que é transmitida neste vídeo.
    De qualquer forma, deixo aqui o meu voto de um bom resto de semana.

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva , Mário!

      O poema fala sobre a indiferença de um dos parceiros dum casal e o sofrimento que isso causa ao outro parceiro.

      Abraço

      Eliminar
    2. Olá, São!
      Obrigada, pelo exclarecimento. Assim é mais fácil fazer um comentário.
      Sem dúvida, que existem muitas situações destas em muitos casais. Está indiferença pelo sofrimento do outro. Que leva muitas vezes a ruturas.

      Excelente mensagem!

      Beijinho e ótima quinta feira!

      Eliminar
    3. Eu vou publicar a tradução muito proximamente.

      Grato abraço, tudo de bom :)

      Eliminar
  2. Infelizmente não percebo francês mas, pelas imagens, percebi que falava de café e o cigarro.
    Esses, sempre foram uma (boa-ou não) companhia para o homem ( e mulher).
    Já fumei muito, mas mesmo muito, e bebi muito café. Sei do que falo por experiência própria.
    .
    Cumprimentos poéticos
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fumei pouco , sem engolir o fumo , desde os 17 aos 55 anos .Café bebo desde criança.

      Quanto ao poema , que foca o sofrimento causado pela indiferença, publicarei a minha tradução dele daqui a uns poucos dias.

      Saudações

      Eliminar
  3. Excelente poema, São!
    Grata por o ter divulgado.

    Agradeço também o seu comentário no Dia da Terra...
    Não conhecia o termo 'pachamama', nem sabia da língua Quíchua.
    Fui investigar e gostei de saber.

    Saúde e dias agradáveis. Beijinhos
    ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem vinda, Majo !

      Eu fico-lhe grata pela presença pelo apreço .

      Eu tive conhecimento mais profundo quando visitei o Peru, país que me encantou pelo mistério que paira sobre ele.

      Grato abraço, retribuindo :)

      Eliminar
  4. J'ai pas pleuré.
    J'ai aimée bien ce poéme.

    ResponderEliminar
  5. um pouquinho deu pra entender, e como me emociono com esta língua tão melodiosa. Gostei muito, abraços.

    https://mulheresquecorremcomsapos.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou publicar a tradução muito em breve deste poema que fala sobre a o sofrimento provocado pela indiferença.

      Também gosto imenso do Francês.

      Abraço, tudo de bom.

      Eliminar
  6. ¡Qué pena que esté en francés! no lo entiendo...deberías colocar un traductor a todos los idiomas, eso ayudaría mucho, Sao. En mi blog yo tengo uno con banderas, si quieres hazle clic y podrás hacer un traductor muy lindo para tu blog. Un abrazo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou publicar a minha tradução para Português daqui a dias .

      Te agradeço muito a informação, mas , como sou um desastre com máquinas , tenho que pedir a alguém para me colocar um tradutor neste blogue.Aliás, como tenho no outro.

      Beijo e bom final de semana, In grid.

      Eliminar
  7. Gostei desta declamação, numa voz profunda e bem combinada com as ilustrações. Parabéns.
    Merci.
    Besitos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gostei, mas ainda mais do tema, porque a indiferença é a pior coisa que se pode fazer....

      Grande abraço, meu amigo :)

      Eliminar
  8. Parece que tudo o que é declamado em francês, ganha uma profundidade acrescida!
    Um poema que adorei saborear por aqui... e que, uma vez mais, ainda não conhecia!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto imenso de francês e de ler livros em francês.Só tenho pena de não o dominar bem.

      Ainda bem que gostou.


      Beijinho grande, bom dia :)

      Eliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...

CITAÇÃO : ADORNO, FILÓSOFO ALEMÃO, 1949

 "Escrever poesia depois de Auschwitz é bárbaro e a educação tem como objectivo que se não repita!"