quarta-feira, 25 de agosto de 2021

INCÊNDIO DO CHIADO (LISBOA) : 25/8/1988

 




Completam-se hoje trinta e três anos sobre um dos maiores dramas que Lisboa sofreu ao longo da sua história  centenária: o incêndio que devastou  a zona do Chiado.

Lembro-me perfeitamente onde me encontrava  e o objectivo que tinha quando vi repentinamente as assustadoras imagens  televisivas de uma cidade coberta de fumo e que eu nem  queria acreditar ser a capital portuguesa.

Senti um choque enorme quando, bem mais tarde, percorri aquelas ruas e espaços.

Além dos prejuízos materiais , há a lamentar  a perda de vidas humanas e as pessoas  cujos empregos desapareceram.

A zona foi reconstruída , mas sem  os entraves que , na rua , dificultaram o trabalho dos bombeiros.

Que tal tragédia nunca mais se repita!

28 comentários:

  1. Tragédia!Que nunca mais aconteça! Deus ajude! beijos, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi , a seguir ao terramoto de 1755, a maior tragédia da cidade.

      Grato abraço e tudo de bonito para si, Chica!

      Eliminar
  2. Leía que era de las peores catástrofes vivida por la capital lusitana, después del terremoto de 1775-Un abrazo. Carlos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Terramotos é, desgraçadamente, uma tragédia cíclica em Lisboa, pois além do que referes, já houvera um também enorme em 24 /8/1356 e em 1969 houve um forte tremor de terra. Haverá mais desastres assim, dada a localização da cidade.

      ESte incêndio foi uma desgraça terrível.

      Te abraço

      Eliminar
  3. Muito triste uma tragédia, principalmente um incêndio que devasta tudo, além dos bens matériais, também leva vidas.

    Abraço e boa noite!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi realmente trágico...

      E agora temos os incêndios florestais , infelizmente, e alguns por mão criminosa.

      Abraço, tudo de bom

      Eliminar
  4. Mas da reconstrução resultou um espaço fabuloso.
    Resta-nos essa pequena consolação.

    ResponderEliminar
  5. Triste esta lembrança amiga, que marcam nossos olhos.
    Um incêndio desta proporção deixa sempre um rastro terrível.
    Cidades antigas e ruas estreitas e velhos casarões é sempre um prato cheio para as labaredas e um martírio para o combate.
    Carinhoso abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão e , como se não fosse suficiente, Nuno Abecassis, então presidente da Câmar, colocou ao longo da rua umas estruturas de pedra - ficando muito satisfeito porque num exercício de bombeiros tudo correu bem...O pior foi quando o incêndio aconteceu mesmo!

      Agradecido e retribuido , Toninho

      Eliminar
  6. Também me lembro muito bem dessa tragédia. E corroboro os seus votos.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um marco negro na história lisboeta e do país


      Beijinho, desejando que já esteja bem

      Eliminar
  7. Tantos anos se passaram e mesmo não sendo de lisboa ainda tenho na memória essa tragédia.
    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que (quase) toda a gente terá memória das imagens terríveis do incêndio....

      Eliminar
  8. Cada ciudad tiene sus propias tragedias, Sao. No recuerdo aquella noticia de Lisboa....pero en mi país, también han ocurrido cosas terribles, sobre todo en el tiempo del terrorismo...donde murieron en la década de los años 80, más de 70,000 personas. Un abrazo y feliz fin de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho bem gravado na memória esse horroroso período peruano das lutas travadas entre o Sendero Luminoso e o Governo da altura e sempre tive imensa compaixão das pessoas apanhadas inocentemente no fogo cruzado.

      Paz às vítimas !

      Te abraço , tudo de bom

      Eliminar
  9. Lembro-me tão bem! Foi um horror! :(
    .
    A coisa mais certa da vida...
    .
    Beijo, e um excelente dia

    ResponderEliminar
  10. É verdade,amiga São.
    Uma tragédia ímpar. Com consequências brutais em todos os aspetos. Esperemos que tragédias assim nunca mais aconteçam.

    Continuação de ótima semana.
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oxalá , pois causam muita dor e sofrimento...

      Abraço, bom final de semana, Mário

      Eliminar
  11. Ojalá que nunca más.
    Qué horror.

    Besos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi mesmo pavorosa, esta tragédia!

      Besos, amigo mio

      Eliminar
  12. Estava de férias na Beira Alta, quando tal aconteceu! Tenho bem presente esse dia! E depois desse dia... aquela zona do Chiado, nunca mais foi a mesma... Muito comércio tradicional, deu lugar... ao comércio de Shopping... que podemos encontrar em todo o lado... E a reconstrução... descaracterizou por completo aquele pedaço bem lisboeta de outros tempos, em que não houve muita vontade em recuperar...
    Muito bem lembrado tal acontecimento! As floreiras de pedra espalhadas pela rua... ideia de génio, que impossibilitou os carros dos bombeiros de agir rapidamente...
    Beijinhos, São! Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gostava mais de como era, mas ...enfim , ficou construída, ao menos isso.

      As floreiras foram mesmo , como bem diz, "ideia de génio de Nuno Abecassis, que ainda conheci pessoalmente.

      Beijinho, bom final de semana

      Eliminar
  13. Parece que foi ontem, como o tempo voa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade: o tempo tem uma velocidade maior do que a da luaz...

      Boa noite :)

      Eliminar
  14. Tragédia!Que nunca mais aconteça! Deus ajude! beijos, chica

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...