MALTA

MALTA

sábado, 17 de julho de 2010

REVOLUÇÃO IMERECIDA



"A crise é ideológica.As pessoas são colocadas em situações tão vulneráveis, que se pode exigir tudo.O terror está instalado.

Não merecemos a revolução que tivemos.Os pides andam todos aí, nada foi purgado.

Hoje não se pode ter a certeza de que alguma atitude seja clandestina. O capitalismo só se aguenta assim: mantendo as pessoas a acreditar no inacreditável. Todas as lógicas vão contra as liberdades individuais e colectivas. A televisão é um prenúncio de campo de concentração em casa."

JOÃO MÁRIO GRILO
(Realizador de cinema, Julho 2010)

Nota: Tirei a foto na Avenida da Liberdade(Lisboa) na manifestação de 29/Maio/2010.

60 comentários:

  1. São, fez uma fotografia bem enquadrada neste tema. Mudança.
    Muitos dias dou comigo a pensar naquele discurso de Sócrates no parlamento.
    - É preciso mudar... todos estão de acordo..., mas têm medo...
    Isto foi o que a minha memória visual guardou desse discurso.

    A minha opinião é que para mudar deveriam pensar bem o quê e o porquê e não é preciso serem muito espertos que acabaram por mexer só em coisas sem interesse e transferiam-nas de um para outro lado- caso da DGV e outras mudanças...
    Essa coisa das Fundações...? ninguém mexe. São propriedade dos poderosos.
    Governadores civis... ninguém mexe...
    Políticos reformados aos cinquenta anos quando os outros tem de trabalhar até depois dos 65 anos, com indicação de que vão aumentar para os 67.......
    Falta de vergonha é o que eles tem e não mudam em nenhum dos seus interesses nem dos seus amigos....
    Para eles foi bom Abril.
    Muitos certamente teria sido mortos em Angola, na Guiné ...
    Muitos políticos hoje deveriam ter vergonha de se candidatar a qualquer cargo pelo seu passado vergonhoso .....

    ResponderEliminar
  2. Concordo de todo, meu caro.

    Aliás, Abril nem foi uma revolução, foi um golpe de Estado militar.

    Apesar de tudo, prefiro esta situação à da ditadura, claro.No entanto, considero que demasiada coisa ficou por resolver e que estamos a pagar o preço dessa negligência nestes tempos que correm.

    Mas também acho que o povo português, como é costume, se molda facilmente às circunstâncias. O que nem surpreeende, dado que o fado é considerado canção nacional (!!!).

    E obrigada pelo apreço.

    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  3. Já nem vejo nem oiço telejornais.
    Nem vale a pena.
    Tenho tristeza pelo nosso povo, no que se tornou (ou já era) e como estamos...quero ter esperança em melhores dias...mas já não consigo vislumbrar essa "senhora esperança".
    Forte abraço.
    Mer

    ResponderEliminar
  4. Amiga,siempre vendrán mejores día.Esta realidad que tan bien exhibes es una constante mundial..

    Besos y buen fin de semana!!!

    ResponderEliminar
  5. Querida MER, eu a esperança ainda não perdi. Sabe? É que tudo acaba e , consequentemente, este sistema que nos violenta acabará também!
    Veja-se o que tem acontecido ao longo da História...

    Devo ser masoquista: não consigo cortar definitivamente com os telejornais e afins!

    Que seja muito agradável o seu fim de semana,

    ResponderEliminar
  6. Querido amigo, também não perdi ainda a certeza da mudança a nível mundial: ISTO está a tornar-se insustentável!!

    Um abraço grande, RODOLFO.

    ResponderEliminar
  7. Há de se mudar, nada de continuíssimo. Gostei da série de fotos debaixo. Magistrais! Abraço

    ResponderEliminar
  8. Obrigada por gostar. Também creio na mudança, viu?
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  9. Amiga, a situação no país não está nada boa.
    A Revolução que se queria para libertar o corpo e o espirito da escravidão, acabou por não acontecer. Ou aconteceu pela metade. Há liberdade de pensamento. Há. Muito embora se comece a cercear essa liberdade embora de uma forma encapotada. Liberdade fisica é que já quase não existe. Não há corpo que se sinta livre quando a fome se enrosca nele. E com a situação actual a fome deixou de ser um espectro que se vislumbrava para ser uma presença diária na casa de muitos portugueses.

    À margem. A mãe está cada dia pior. Agora tem delírios de que a queremos matar e leva dias a gritar com medo.
    As idas ao psiquiatra não têm resolvido nada.
    Um abraço e obrigada pelo carinho

    ResponderEliminar
  10. Perfeitamente de acordo com o João Mário Grilo.

    Quanto à foto do dia 29 de Maio também estive lá, fiz milhentas fotos e participei / acompanhei o descontentamento das pessoas que têm muitooooos motivos para estarem descontentes (leia-se desesperadas!)

    ResponderEliminar
  11. ________________________________


    ...o assunto é muito polêmico! É preciso cavar muito fundo, para se encontrar algo razoável...


    Gostei! Beijos de luz e o meu carinho!!!!


    _________________________________

    ResponderEliminar
  12. .

    . e será sempre tão tarde quando já não se puder voltar atrás .

    .

    . ir.remediavel.mente tarde .

    .

    . um beijo .

    .

    ResponderEliminar
  13. por isso é que a palhaçada continua! e o nosso querido e lindo país está cada vez mais mal frequentado...
    querida xará, sabes o que te digo? "viva o MFA!" onde tentam agora ir buscar algumas ideias...
    regressa salazar, que estás perdoado! já que os campangas desse tempo continuam vivos e cada vez mais à solta!
    eles comem tudo, eles comem tudo,eles comem tudo e não deixam nada...
    beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Bem regressada seja, amiga, que já estava estranhando o tamanho da ausência!

    Que penosa e que dura essa situação de sua mãe, MARIA ELVIRA!Uma pena que o ser humano chegue a tal estado, meu Deus!

    O estado de Portugal é uma tristeza imensa, sim.

    os sonhos e a alegria de 1974 esfumaram-se nesta realidade escura e dramática que nos sufoca. E ainda dói mais , porque não é inevitável que assim seja!

    As futuras gerações vão ter que tomar uma atitude, sem dúvida, e eu estou convencida de que isso acontecerá!

    No meu abraço amigo, todo apoio e os votos de que sua mãe recupere o mais depressa possível.

    ResponderEliminar
  15. Meu caro SOFÁ, assim fiz eu também: coincidimos na manifestação e nos propósitos, também no acordo com Grilo

    Excelente semana.

    ResponderEliminar
  16. Só que, por vezes, quanto mais se escava mais coisas feias vêm ao de cima, infelizmente.

    Mas não percamos a esperança, minha amiga!

    Um semana feliz e em boa companhia num Mundo Azul.

    ResponderEliminar
  17. Querido PAULO, que bom ter aqui as tuas palavras sempre interessantes.

    Esta a situação muito mal, sem dúvida...mas não podemosn perder a esperança : o futuro está aí!

    Um abraço apertado e Intemporal.

    ResponderEliminar
  18. Minha querida, a Revolução foi totalmente recuperada por quem viveu sempre muito bem na ditadura, como se está vendo!

    Só nos resta - e a quem virá após n
    os - começar de novo a luta e não repetir os nossos erros!!

    Um abraço amigo, abrangendo as tuas lindas e doces crianças, xarázinha.

    ResponderEliminar
  19. Não será uma forma de violência fisica (fome, etc), aliada à psicológica, do desemprego a crecer cada vez mais?

    Mas quem já acredita nas promessas destes Senhores Políticos, ou do próprio Governo?

    Eu não!

    Mas, mantenho a esperança que um dia ( não muito longe)... a mudança terá que ser radical.

    Bom Domingo.

    ResponderEliminar
  20. Bem vinda!

    Concordo plenamente: é também uma forma de violência, como é de igual modo uma falta de respeito pelo Outro.

    Espero que me dê o gosto de aparecer poraqui sempre.

    Uma excelente semana.

    ResponderEliminar
  21. Estamos a perder dignidade como País que se aventorou e assim tem o seu prenúncio "por mares nunca antes navegados...".
    Fomos tão grandes, estamos tão pequenos.

    bji

    ResponderEliminar
  22. Concordo: Portugal está encolhendo, infelizmente!

    Um abraço...e parabéns pelos "rabiscos"

    ResponderEliminar
  23. Vim retribuir a visita e gostei muito do blog, principalmente das fotos e lugares. Viajar, ah viajar é preciso! abs

    ResponderEliminar
  24. Vim retribuir a visita e gostei muito do blog, principalmente das fotos e lugares. Viajar, ah viajar é preciso! abs

    ResponderEliminar
  25. Bem vinda, Ângela!
    Obrigada por apreciar e espero que me dê o gosto de aparecer sempre.
    E, concordo, viajar é necessário: abre-nos os horizontes em todos os campos.
    Uma semana bem agradável e em boa companhia.

    ResponderEliminar
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  27. *
    amiga,
    ,
    liguei, a quente, ao ex-da
    Educação Marçal Grilo, porém,
    considero o QI do realizador
    muito superior, feitios . . .
    ,
    conchinhas,
    ,

    ResponderEliminar
  28. Oi, amiga!
    Você está correta, sem mobilização popular as mudanças não irão ocorrer. Mas o povo precisa estar consciente e saber escolher bem seus representantes. É um processo educativo, eu acho. Não posso ir mais fundo na questão portuguesa por não conhecer seus meandros políticos e sócio-culturais, mas torço por uma solução que faça o país caminhar para um futuro promissor.
    Obrigada pelo se carinho entre nós, amiga!!!Bjsss

    ResponderEliminar
  29. Ah, nem me lembrei desse. Vi-o um destes dias na Gulbenkian e achei-o muito descaído!

    Nas funções que desempenhou, parec-eme que , ainda assim, não foi dos piores. Mas, estou como tu, concordo mais com o citado no post.

    Um abraço grande, POETA NAZARENO.

    ResponderEliminar
  30. Querida VANUZA,pois concordo: o pove deve saber escolher. Infelizmente, parece que a mior parte anda perdido...

    Um abraço apertado.

    ResponderEliminar
  31. AMIZADE
    Não é receber, é dar.
    Não é magoar, é incentivar.
    Não é descrer, é crer.
    Não é criticar, é apoiar.
    Não é ofender, é compreender.
    Não é humilhar, é defender.
    Não é julgar, é aceitar.
    Não é esquecer, é perdoar.
    Amizade..
    É simplesmente AMAR.
    Feliz dia da amizade.

    ResponderEliminar
  32. Bem vinda e agradecida fico pela terna mensagem, que retrubuo com estima.

    Um abraço amigo.

    ResponderEliminar
  33. Tenho a convicção de que as mudanças de posturas em todos os tempos se move por uma máquina "devoradora" de vidas . São sacrifícios invisíveis, literalmente tragados em ciclos longos da história . Vivemos um tempo de crueldades banalizadas. A vida é banal - trivial - os valores fervem no caldeirão dos interesses ... amei o post ! Beijos do sul do Brasil !

    ResponderEliminar
  34. Obrigada pelo apreço, viu?
    Quanto ao comentário, estamos sintonizados.

    Uma noite serena.

    ResponderEliminar
  35. Olá São:

    Revolução imerecida...não sei.Acho que foi importante, mas tenho vergonha.A sério que tenho.

    Somos um povo "que se cala".Falamos e protestamos de voz baixa, nos cafés,etc...mas encolhemo-nos, quando já deviamos estar na rua em Mega Protestos.

    Claro que a mudança é inevitável.Temos que evoluir,mas creio que este não é o caminho.Não há qualidade nas reformas,pois o objectivo é "poupar"...dá vontade de rir!

    Beijinho doce e obrigada pela visita:)

    Vai bater no fundo?Dá-me a sensação que a teia já é tão grande, que ela se fechará um dia sobre aqules que a teceram.

    ResponderEliminar
  36. Sabes? Penso que Miguel Torga tinha razão ao dizer, na linha do que agora escreveste, que - em resultado de séculos de opressão -somos m povo a fazer figas quando pensa!

    Começo a achar que não sabemos gerir a liberdade e essa falha é agravada pela falta de qualidade na classe política mundial( com excepção de Obama).


    Crise? Só para alguns, pois quem a provocou continua impune.

    Nada tens a agradecer, linda, mas a melhor maneira +e me dares o prazer da tua vinda.

    Bem hajas!

    ResponderEliminar
  37. Amiga São,

    Mudam-se nomes em políticas mas propósitos perversos permanecem e um deles é justamente que as pessoas acreditem no inacreditável. " Salvar um povo" é complicado, uma vez que é o povo que deve salvar-se e ter consciência deste fato.


    Beijos, amiga!

    ResponderEliminar
  38. De acordo, os objectivos malsãos permanecem sob os vários regimes, porque estão inscritos na natureza humana.

    E ninguém salava ninguém, efectivamente.

    Um enorme beijo, querida.

    ResponderEliminar
  39. Mais uma bela escolha, amiga. Texto e foto nos dão o que pensar! :) Boa semana, fica bem.

    ResponderEliminar
  40. São, obrigada por sua visita.
    Datas comemorativas aparecem "do nada" e a gente se vê cada vez mais envolvida por ter que cumprimentar, presentear, quase por imposição. Gosto de dar carinho, amor, atenção todos os dias, não só em datas estabelecidas sem qualquer motivo (a maioria).
    Depois volto pra ler mais!
    Abraços!

    ResponderEliminar
  41. Desculpa! nem falei sobre o post.
    Sei que Portugal passa por dias delicados, como nós também, aqui no Brasil. O que sei, por tantos anos de "estrada", é que a política nunca será do nosso gosto e os governantes nunca terão como prioridade o povo, o bem estar geral. Querem mais é encher os bolsos e nós que aceitemos ou não.
    Mas acho que guerra, revolução, nunca irão adiantar.
    Mais vale a nossa rebeldia pacífica. Tem jeito, sim. Esperemos.
    Abraços!

    ResponderEliminar
  42. Querido Árabe, obrigada...pena é que os poderos deste mundo não reflictam, não é?

    >Um terno abraço.

    ResponderEliminar
  43. Bem vinda , LÚCIA!
    Estamos ambas em sintonia Pessoalmente, não me agradam Dias especiais, embora por ves os comemore.
    Volte sempre.

    ResponderEliminar
  44. Obrigada pelo comentário ao post, pois me interessa saber o que pensou.

    Eu também creio que a situação, mesmo mundialmente, sofrerá mudanças, pois se encontra insustentável. Oxalá seja de maneira não sangrenta, mas aí duvido...

    Fique bem, LÚCIA.

    ResponderEliminar
  45. São, os meus parabéns por fazeres estes posts, os blogues também podem servir para abanar as pessoas, que andam muito alienadas e muito baralhadas com a «palhaçada» que grassa neste país!
    Beijinhos,
    Manuela

    ResponderEliminar
  46. Agradeço e retribuo os parabéns, pois me parece que fazes exactamente o mesmo.

    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  47. SÂO

    Deixo um beijo e tenho para si...Um selo que tambem é seu...


    Beijos...

    ResponderEliminar
  48. quis o acaso que o ângulo do fotografo não era o melhor e do cartaz apenas se lê

    "caridade
    no emprego"
    efectivamente também há quem a prefira.
    São. Isto já lá não vai com caldinhos de borrachos.
    Prevejo que tirem o caldinho e quem tudo acabe aos "borrachos"
    jimhos, meu amiga

    ResponderEliminar
  49. O Luís Coelho fala nas mudanças da DGV.
    Nos departamentos da DGV acabaram com o tesoureiro. Queriamos qualquer papel e deixou de se poder comprar naquele sítio. Todos os empregados vendem os ditos, desde que esperamos a nossa vez. Em resumo é assim. Tiramos senha para tratar qualquer assunto, esperamos que sejam atendidos todos que estejam à nossa frente e que vão tratar de toda a espécie de documentação e ao fim de 2,3,4 horas, compramos o papelito, e voltamos depois outra vez.
    Quis meter na caixa de reclamações
    o meu protesto, foi impossível não entrava,às 9 da manhã estava completamente cheia. O quer dizer que não a abriam sequer.
    É o que se pode chamar "PORTUGAL NO SEU MELHOR"

    cá vamos vivendo ao sabor das ondas que a escumalha nos impõe.



    com amizade

    ResponderEliminar
  50. Minha querida LILI, agradeço-lhe imenso e o selo já está no "Compagnon-de-Route".
    Desejo-lhe felicidades tanto no blogue como na vida pessoal.
    Um fraterno e grande abraço.

    ResponderEliminar
  51. Amigo ZÉzinho, a fotógrafa pede desculpa, mas não lhe foi possível fazer melhor...

    E acho que tens razão, isti ainda caba em pancadaria!

    Beijos, muitos.

    ResponderEliminar
  52. Mas podes ter a certeza, se o Passos e companhia lá chega ( desde que sei quem é uma das criaturas com grande peso nesta actual equipa - e que eu conheço muito bem - entrei em pânico)será bem pior!!

    Um grande abraçooooo, meu bem.

    ResponderEliminar
  53. Pior que ideológica, na minha opinião a crise é forjada e totalmente especulativa.
    Mas o fato é que as crises são a própria essência do capitalismo.
    Estou de volta para chatear os amigos. Ou acho que estou de volta.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  54. Bem regressado seja, amigo.
    Um bom fim de semana em companhia de sua LOba.

    ResponderEliminar
  55. SÂO

    Minha querida
    Obrigada pela visita.
    Gostei de saber do gosto pela música de Zeca Afonso acho que todos gostam pois é linda...


    Também ele foi em Mangualde no Colégio S.José professor do meu marido.
    Como vês o mundo é grande mas...é pequenino...

    beijos

    ResponderEliminar
  56. Nada há para agradeceres, linda. Mas a melhor maneira é me dares o gosto da tua presença por aqui.

    Pois é, o mundo está envolto por teias apertadas, que se cruzam .

    Um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  57. Amiga São!...

    Toda a gente tem essa noção. (Até eles...). Apesar de sermos um povo pacifico isto está a ficar "escaldante". E quando a "panela rebentar" não há nada que a vede.
    E, se calhar, já não falta tanto tempo assim...

    Abraço,

    António Serra

    ResponderEliminar
  58. Bem vindo!

    POis, seria bom que não se deixasse a panela estourar!

    Boas férias.

    ResponderEliminar
  59. Cara SÃO
    Entrei com todo o respeito.
    Peço licênça para assinar por baixo.
    Obrigado pela visita
    Gaspar de Jesus

    ResponderEliminar
  60. Nada tem a gardecer, mas se o quiser fazer amelhor maneira é dar-me o gosto da sua presença por aqui

    Saudações.

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...