sexta-feira, 29 de outubro de 2010

"LAÍS"


                                                 1989  -  2000


A tua doçura
Apagou-se
E deixou-me
Afogada
Ainda
Em maior solidão
Porque
Quase sem aviso prévio
Partiste
De maneira
Discreta e suave
Num já
Tão distante tempo
Que o seu deslizar
Sómente aviva
O  vazio da tua presença
Ausente.

108 comentários:

  1. Lindinho, parece meigo, beijinhos.


    Espírito Santo
    O Espírito Santo esta descendo agora
    Derramando tanta paz
    Em nossos corações

    O Espírito Santo sempre nos acalma
    Nos momentos que passamos,
    Pelas provações

    O espírito santo é tão maravilhoso
    Que renova a sua vida
    Basta você crêr
    Seu poder é tão divino e precioso
    Que sentimos sua presença
    Mesmo sem te ver

    Guarda-me o pai
    Com a unção do teu espírito
    Sua palavra diz que eu sou mais que vencedor
    Guarda-me o pai
    Como a menina dos teus olhos
    Seja o meu escudo
    Minha proteção, meu salvador

    ResponderEliminar
  2. Era a cadela mais doce que conheci e foi-o até na morte. Tenho imensa saudades dela.

    Que o Santo Espíritos nos guarde.

    Um abraço amigo.

    ResponderEliminar
  3. Pessoas que não esquecemos, momentos que ficam.
    É assim que vivemos para suportar.

    Bjs.
    ______
    Obrigado amiga por me visitar e comentar. Estarei lhe acompanhando.

    ResponderEliminar
  4. Doce e dellicado o poema, suave e carente de uma presença,,,sempre sofremos pela ausencia de alguem,,,prazer em conhecer, muito bom receber sua visita,,,volte sempre que desejar,,,um belo final de semana pra ti querida. e um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Bem vindo , GUARÀ!
    Neste caso,a saudade se referes à cadela dálamta da foto, que era minha compamheira dedicada e querida.
    Volte sempre.
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  6. Bem vindo , EVERSON!
    Laís, a cadela dálmata que está na foto, me faz uma falta enorme, porque foi minha compnhia durante a sua vida inteira.
    Obrigada e espero que regresse sempre.
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  7. Ela merecia, pois era a minha doce companhia.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  8. Querida São

    Laís era doce como a mãe dela era. Companheiros fiéis e incondicionais esses nossos pequenos amigos, que só são pequenos no tamanho.
    Muita saudade da Leila também tenho, aliás como pudeste testemunhar na entrevista que me fizeste não fazendo.
    Um preito merecido. Junto-me na tua voz.

    Um saudoso abraço

    ResponderEliminar
  9. Os animais afeiçoam-se a nós e nós a eles. Geralmente os cães conhecem os donos pela percepção de que são amados e aceites.
    O meu kiko deixou-nos muitas saudades.
    Agora tenho outro que se adaptou muito bem. É muito carinhoso.

    ResponderEliminar
  10. Foi a LEila, a tua meiga Leila, que me reconciliou com a espécie canina.

    Estão as duas, de certeza, no paraíso dos cães.

    Um abraço, Amigo.

    ResponderEliminar
  11. Ah, LUÍS, mas eu é que não quero passar outra vez pelo desgsto que tive.
    Que esse seu novo amigo de quatro patas lhe dê muitas alegrias.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  12. Pois...entendo.É assim a vida.Mas por vezes não a sentes ao pé de ti?

    Beijinho doce

    ResponderEliminar
  13. Ah, sim! Sem dúvida.

    Bom fim de semana prolongado, linda

    ResponderEliminar
  14. Linda homenagem á ela
    Beijos em teu coração!

    ResponderEliminar
  15. Se a conhecesses , irias gostar muito dela ...de certeza!

    Uma braço apertado

    ResponderEliminar
  16. pois é, por vezes o tempo não consegue apagar a saudade...

    ResponderEliminar
  17. A saudade só faz aumentar...

    um abraço de até sempre

    ResponderEliminar
  18. Estes amigos , que amamos e nos amam incondicionalmente , deixam de ser vistos , mas continuam em nós .
    Sinto isso ...
    O poema é lindo assim como a Laís .

    Um beijo

    ResponderEliminar
  19. Um sabado cheio de paz pra ti querida,,,beijos e beijos.

    ResponderEliminar
  20. Bem vinda LILAZDAVIOLETA!

    Ah, sim, a minha Laís continuará sempre comigo, sem dúvida...mais até do que algumas pessoas.

    Um abraço grande e grato

    ResponderEliminar
  21. Bem, vim à procura de outro dos seus fabulosos posts.
    E, que encontro?
    Hoje, uma poesia doce e bela.
    Obrigada pela partilha.

    Por aqui, estou melancólica...
    lá fora a chuva cai, molha e gela as nossas almas, dia feio, cinzento e frio, um verdadeiro dia de Inverno e ainda estamos em Outubro...

    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  22. Minha querida, obrigada por ter vindo e pelo apreço.

    Estou também tristinha por vários motivos e , como até vivemos relativamente perto uma da outra , o tempo que me desgosta é o mesmo que o seu.

    No entanto, lhe desejo bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  23. e ela há-de sempre sempre olhar para ti como cadela fiel que foi..beijo grande *

    ResponderEliminar
  24. E, quem não entende esses sentimentos.
    A minha "Nina" uma dálmata com 6 anos, dentro em pouco, vai partir, é Diabética, cadíaca, e, ainda tem outra doença grave que a vai levar certamente em breve.
    Coisa mais dócil ainda não encontrei. Meiga e, depois de ver uma pessoa jamais se esquece.
    Posso ter a porta do meu quintal aberta que ela não sai. Não nos larga um só momento.
    Afeiçoamo-nos tanto a ela que custa-nos pensar em arranjar outra companhia. Ainda esta semana, a Veterinária levou-nos 250€ em exames.Para nós é como se fosse um familiar.
    Abraço amigo e, bom resto de semana prolongado

    ResponderEliminar
  25. Espero bem que sim, e que nos (re)encontremos...
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  26. Já tinha sentido a tua falta por aqui,JOÃOzinho.

    Os dálmatas são uma raça muito suave, de muito boa companhia.

    A tua "Nina" , pelas fotos que já vi, parece-me ta,bém uma doçura. E compreendo que tu e tua esposa não queiram mais nenhuma, porque eu também não quero. Nenhum oitro animal a poderá substituir.


    Um fim de semana bom em companhia do casal teu amigo.

    ResponderEliminar
  27. Era muito bonita a Laís.
    Os animais e acho particularmente os cães
    marcam muito as pessoas porque são os seus amigos mais fieis.
    Beijinhos
    Verdinha

    ResponderEliminar
  28. São,

    que bonito estes versos dedicados como reconhecimento de quem tanto bem te fez e permanece no seu coração

    Um beijo carinhoso querida amiga

    ResponderEliminar
  29. Je suis d´acord. Os cães são espantosos de fidelidade e aceitação, indubitavelmente

    E era linda, de facto: as pintinhas pareciam ter sido pintadas à mão!

    Bisous, mon amie

    ResponderEliminar
  30. Mina querida SAM, a Laís foi o único ser que me aceitou incondicionalmente até hoje e isso marca muito, sabes?
    Um grande e apertado abraço.

    ResponderEliminar
  31. Boa noite São,
    lamento a morte da sua cadelinha, nós afeiçoamo-nos aos animais e, depois, quando eles partem, fica um vazio inexplicável.

    Beijinhos,
    Ana Martins
    Ave Sem Asas

    ResponderEliminar
  32. Tem razão, a falta que se sente é enorme.

    Aqui lhe volto a desejar muito sinceramente que o seu livro seja muito bem sucedido.

    Bom domingo

    ResponderEliminar
  33. Um lindo domingo pra ti minha querida, otimo feriado e otima semana tambem...beijos e beijos.

    ResponderEliminar
  34. Grata, retribuo os beijos e os votos.Junto o desejo de que a eleiçºao aí corra bem.

    ResponderEliminar
  35. SEI BEM O QUE É PERDER UMA ANIMAL DE ESTIMAÇÃO. NUNCA MAIS SE ESQUECE.

    BEIJO

    ResponderEliminar
  36. Assim é, Por isso, não penso ter mais nenhum.
    Boa semana.

    ResponderEliminar
  37. Nada dói mais que a ausência presente...

    ResponderEliminar
  38. Poxa, esses bichinhos são mesmo preciosos na vida da gente. Caramba, lembro da minha pastora alemã que viveu quinze anos, o que foi muito para um cão da raça dela. As lágrimas me ocorreram, e curioso como me ocorrem agora mesmo.

    ResponderEliminar
  39. Obrigada pela presença, DELAFONTE.
    A moret destas criaturas nos abalam muito, sim, Estarão ambas brincando no paraíso dos caninos, não acha?
    Até breve.

    ResponderEliminar
  40. São, querida amiga, como dói e entristece o silencio, e o vazio, que deixa a sua ausência...
    Quanto recordo a Hannah!

    Um grande abraço de boa amizade

    ResponderEliminar
  41. Estimado amigo meu, é um vazio tremendo e que jamais passa...
    Uma feliz semaana para ti e pata os teus,

    ResponderEliminar
  42. Um bom feriado e uma excelente governação de Dilma te desejo, meu bem.

    ResponderEliminar
  43. Sei bem o que é isso...Fica bem!beijos,chica

    ResponderEliminar
  44. Gostou! Muito grata fico.

    Bom feriado.

    ResponderEliminar
  45. Todos perdemos e lastimamos a perda de um animal de estimação.

    Bjgrande do Lago

    ResponderEliminar
  46. Sim, quem gosta de animais sim...mas os que os maltratam e abandonam?!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  47. ¡Oh qué alegría también es usted poeta de Dios!!
    gracias por su amable visita.
    Reciba mi ternura
    Sor.Cecilia

    ResponderEliminar
  48. São

    Sinto muito o teu desgosto e te entendo muito bem.

    Há um ano morreu a minha cocker, Maggie, com 16 anos.

    Viveu comigo 16 anos, preencheu os recantos vasios da minha casa.

    Quando meu filho foi para o Brasil,
    eu sabia que ele ia bem e queria ir. Não sofri, pois a minha linda Maggie ficou comigo e nos adorava
    e com sua alegria e simpatia, fazia esquecer (quase) a ausência de um dos donos.

    A amei muito, lhe fiz uns versos,
    lindos e mais a amei e continuo a amá-la até meu fim.
    E acredito que um dia, a torno a encontrar à minha espera. Tenho
    a certeza!

    Que o Espírito Santo as guarde

    E me guarde a mim e ao meu amor que foi embora há um ano.
    E continuo a chorar por ela!

    Peço desculpa, mas ao ler a notícia
    senti a dor e desafoguei a mágoa.

    Obrigada,

    Mª. Luísa

    Maria Luísa

    ResponderEliminar
  49. Bienvenida y gracias!
    Hasta siempre.

    ResponderEliminar
  50. Bem vinda , LUÍSA!

    Percebo isso muito bem, pois a minha casa ficou mais vazia com a morte da Laìs, que vivia em minha casa, do que com a morte de meu Pai, que vivia no mesmo prédio, mas no andar inferior.~

    Aqui é espaço livre e , portanto, podes escrever tudo quanto sentires,

    Um abraço grande

    ResponderEliminar
  51. Já perdi uma e sei o que vc está sentindo.

    Obrigado pela sua companhia.

    beijooo.

    ResponderEliminar
  52. É uma dor funda e uma saudade que só cresce..

    Agradecida, envio um beijo

    ResponderEliminar
  53. *
    recordei o meu Norte,
    deixou-me aos doze anos,
    a idade que eu tinha !
    ,
    registo a tua sensibilidade,
    bem-hajas !
    ,
    conchinhas,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  54. Os animais nos cativam e são nossos amigos. Enquanto estiveram juntos, foram felizes. Pense nos momentos bons. Fará bem ao seu coração. Beijos e obrigada pela visita.

    ResponderEliminar
  55. Amigo meu, grata, muito gratam te fico mais uma vez.
    Um abraço fraterno

    ResponderEliminar
  56. Bem vinda, MARIA JOSÉ.

    Sim, mas esse consolo não evita a saudade, linda.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  57. Que palavras lindas,
    quantas coisas ditas
    que serão afloradas
    em meu pensamento.
    Fico deveras feliz
    com esse seus proclamares
    Espero que continue assim
    desprovida de sentimentos ruins.
    Adoro vir aqui e agradeço suas visitas. :D

    Atenciosamente,

    Dan M.

    ResponderEliminar
  58. Obrigada pelo seu apreço, que retribuo, e pale vinda.
    Bem haja!

    ResponderEliminar
  59. quando o nosso amigo "bicho" desaparece... é uma dor, sei bem!
    a minha nancy teve que ser abatida, foi terrível, e o meu king desapareceu de saudades dela!
    há 2 anos rubaram-nos o patitas (coelhinho)... depois a minha filhota ofereceu-me este tonho, que é um dos meus "netos", fofinho, amigo, lindo
    sei bem o que é a falta de uma companhia assim, minha irmã
    beijinhos

    ResponderEliminar
  60. Querida São, a saudade fica-nos sempre, e com ela a sensação permanente de um vazio, num espaço sempre dificil de preencher.
    Belo poema á cadelinha, tua fiel amiga.

    Bjs

    Sãozita

    ResponderEliminar
  61. Ah São sei muito bem a dor que é essa perda. Não vai passar nunca. Lamento imenso.

    Também quero agradecer a tua presença ontem no meu cantinho. Foi muito bom ver-te lá.
    Obrigada.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  62. Os cães são um pouco como nós... Gostei desta manifestação sentimental tão genuína e tão pura...

    ResponderEliminar
  63. São!
    A Lais, enquanto viveu foi feliz, com uma dona assim, só podia ter sido.
    Eu tenho aqui um em casa, com 14 anos, tirei o do caixote do lixo, estava dentro de um saco de plástico, valá que estava aberto,talvez por eu lhe ter salvo a vida, ele se preocupa tanto comigo, basta eu tossir fica logo aflito, e quando estou doente não sai do pé de mim.

    Um beijo,
    José.

    ResponderEliminar
  64. Mana, eu tremi quando me vi quase na situação de ter que mandar abater a Laís, porque se decofiou de uma doença, que afinal não tinha , graças a DEus! Imagino o sofrimento...

    Eu, como sofri por causa da ida dela e não tenho apoios logísticos nenhuns, optei por não ter mais animais.

    Querida , um abraço bem apertado para ti.

    ResponderEliminar
  65. Bem vinda, SÃOZITA!
    A saudade é coisa que poira com o passar do tempo, não é?
    Um abraço grato.

    ResponderEliminar
  66. OUTROS ENCANTOS:
    Nada a agradecer, mas vir aqui dar a alegria de uma palavras é a melhor maneira de o fazer.

    Já passaram dez anos, mas é sempre algo tão presente o desaparecimento dela...

    Feliz semana te desejo.

    ResponderEliminar
  67. Obrigada, ROUXINOL!

    É os cães sentem muito como nós, também acho...e nalguns casos até mais do que nós!

    Boa semana.

    ResponderEliminar
  68. Esse animalinho também teve muita sorte em ir parar às mãos de uma pessoa sensível como o José! Ainda bem.

    Um abraço grande

    ResponderEliminar
  69. Muito grata te fico, CHANA!
    Um abraço

    ResponderEliminar
  70. Sei quanto doi perder a companhia de um animal que fez parte integrante da nossa vida durante anos a fio. Sei melhor do que ninguém, digo eu, e estou contigo nessa fase saudade e de carência, que o tempo suavizará.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  71. TE agradeço o apoio, mas - sabes? - nestes dez anos que já passaram a saudade só tem vindo a aumentar.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  72. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  73. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  74. Para quem não tem tempo, surpreende-me que escreva três comentários longos e , ainda por cima, dizendo o que já dissera!!

    Aprecio o Japão desde antes até de seu nascimento, dado ser muito mais velha do que o ALEXANDRE.

    O se blogue me agradou.Não me agrada nada é o tipo de pessoa que , além de não ter tempo para responder nem para retribuir pelo menos uma ou outra visita,tem tempo e disposição par vir debitar considerações desafradáveis e injustas!

    Mas isso fará parte da sua maneira de se comportar, não da minha.

    O assunto morre aqui.

    Lhe desejo felicidades.

    ResponderEliminar
  75. .

    . deixo.te um beijo .

    .

    . por ora emocionado .

    .

    . e des.peço.me d` olhos rasos na certeza deste até já .

    .

    . paulo .

    .

    ResponderEliminar
  76. De coração te agradeço , meu querido Paulo!
    Bem hajas!

    ResponderEliminar
  77. Que posso dizer, São? Sentimento intenso; saudade que não passa, mas se integra às lembranças. Boa semana, amiga; fica bem!

    ResponderEliminar
  78. Saudade é algo que jamais se apaga...e , por vezes, custa a suportar.

    Beijos, meu amigo.

    ResponderEliminar
  79. Deixa lembranças, e saudades, um fiel amigo(a). Beijos linda.


    E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo, assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação"

    ResponderEliminar
  80. Que a Luz nos acomnpanhe, companheira.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  81. Olá

    ...Fica um vazio imenso, que nem o tempo cura. Beijinho

    ResponderEliminar
  82. Ola Sao, estou de volta, depois de um ano muito dificil de gerir, finalmente sinto-me com tempo outra vez para voltar por aqui.
    A saudade e' um sentimento muito nobre, porque se anda intimamente ligado com sentimentos nostalgicos, tambem tem a capacidade de trazer ate nos as lembrancas maravilhosas do que nos da saudade. E saudade sente-se por pessoas, animais, lugares, cheiros...

    ResponderEliminar
  83. Pois é , nada cura a perda ou mitiga a saudade.

    Espero que tenha entrado no blogue a minha admiração escrita peala espectacular foto que vi lá.

    Um abraço, AnTÓNIO.

    ResponderEliminar
  84. Oh, TAGARELAS, mas que óptima surpresa!

    Finalmente , de volta!! E espero que para ficar de vez.

    Saudade também senti de si,, sabe?

    Um caloroso abraço lhe dou.

    ResponderEliminar
  85. Também sinto muitas saudades do meu Maguila.
    Já tive gato, cachorro, peixe... rsrsrs
    Adoro os bichinhos!

    Bom final de semana, querida!
    Bjos
    =*

    ResponderEliminar
  86. Também gosto imenso, mas não tenciono ter mais nenhum.
    Bem hajs, meu bem.

    ResponderEliminar
  87. Querida amiga

    Como comungo consigo tamanha dor...mais até aquando de humanos.
    Sabe que a alma comum deles vigiam sempre os donos que lhes querem bem e que outros animais há que são adoptados e trazem consigo um pouco da alma do nosso amigo/a que partiu, porque tendem regressar aos donos que ficaram desolados - também eles sentem saudades.
    Eu não tomo isto como certo, mas encanta-me que assim seja...
    isto porque fiquei doente de ver agonizar o meu cão em 48h antes de morrer e não poder fazer nada. a não ser andar com ele ao cólo. Foi dos momentos mais marcantes, por terríveis, que passei.
    Como tal, sei bem o que sente e as saudades que traz no coração.
    Mas tudo isso será contabilizado um dia e quando esse momento chegar, podemos estar juntos de novo...pelo bem que lhes queremos. Aposto!

    Deixo o meu abraço comovido
    Sempre...
    Mariz

    ResponderEliminar
  88. MARIZ,querida Amiga e Companheira, bem haja por esse consolo que me traz!!

    Um fraterno abraço.

    NAMASTÉ!

    ResponderEliminar
  89. Muito grata te fico ClaRINDA

    Bem hajs, linda

    ResponderEliminar
  90. Só quem tem Amigos destes é capaz de apreender em toda a sua dificilmente exprimível extensão a pungente dor que uma 'coisa' destas causa!

    ResponderEliminar
  91. Tem razão, só depois de ter convivido com esta doçura é que percebi determinados comportamentos...

    Boa noite.

    ResponderEliminar
  92. Acabei de deixar num post mais acima sobre a saudade do tempo que não tive oportunidade de viver com o meu Pai, e a seguir encontro este seu poema.

    E aquela sensação de ter relacionado o poema com o seu outro post.

    Grato

    A.

    ResponderEliminar
  93. Eu é que agradeço sua presença.
    E lamento não ter podido conviver com seu pai.
    Abraço.

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...