sexta-feira, 15 de junho de 2012

O HORROR DAS GUERRAS, DE TODAS AS GUERRAS

   

          "Segunda-feira, 8 de Novembro de 1943


É aborrecido ser-se dependente da disposição de momento , aqui no anexo.

De noite, deitada na cama , tenho visões terríveis.Vejo-me na prisão, sózinha, sem meu pai nem minha mãe.Por vezes ando a vaguear por qualquer parte, não sei onde, ou vejo o anexo a arder, ou eles vêm , de noite, para nos buscar. Sinto tudo isto como se fosse realidade e a ideia de que me vai acontecer alguma catástrofe não me larga."


ANNE FRANK

( Junho 1929 - Março 1945) 

24 comentários:

  1. Se o mundo fosse mais feminino, por certo as guerras seriam menos, talvez até não existissem... Nós, mulheres, odiamos derramamento de sangue, somos da paz, da serenidade, da verdade e da justiça! Queremos as pessoas felizes, alegres, satisfeitas... Sabemos que isso é possível, desde que os políticos, os governantes, os donos de grandes negócios não impeçam que isso seja feito com suas artimanhas guerreiras e de acúmulo de riquezas...
    Grande abraço, amiga São!
    Parabéns pelas lindas fotos e pelas magníficas jornadas a que assisti nas postagens anteriores!

    ResponderEliminar
  2. *
    anne,
    sabes que eu,
    desde os anos cinquenta,
    sigo este teu "escrevinhado" ?
    ,
    quando escrevo, sinto um alívio, a minha dor desaparece, a coragem volta. Mas pergunto-me: escreverei alguma vez coisa de importância? Virei a ser jornalista ou escritora? Espero que sim, espero-o de todo o meu coração! Ao escrever sei esclarecer tudo, os meus pensamentos, os meus ideais, as minhas fantasias.
    ,
    in - anne franke.
    ,
    SÃO
    um Diário de conchinhas,
    ficam,
    *

    ResponderEliminar
  3. Por muitos anos que passem, um livro inesquecível e que me relembra um dos motivos porque nunca gostei de alemães ;)
    Devemos também recordar que se não fossem os americanos, hoje, se calhar, andávamos a falar alemão ;)

    Bjos

    ResponderEliminar
  4. O relato pessoal mais emocionante sobre o Holocausto.

    GUERRA é sinónimo de HORROR!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  5. Uma lição de vida e coragem que esta Menina nos dá , ainda que enfiada num anexo .
    Tantas pessoas que precisavam ler este livro .


    Um beijo , São , e bom fim de semana ,
    Maria

    ResponderEliminar
  6. Querida amiga o Diário de Anne Frank é um livro inesquecível, uma história que todos deviam ler para ter pelo menos uma breve noção do horror que uma guerra é.
    Um excelente fim de semana.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  7. a guerra é a brutificação dos homem
    Saudações amigas

    ResponderEliminar
  8. Uma época negra na história da humanidade, que convém nunca esquecer.

    beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  9. Pois é São!
    Sempre os pesadelos que não dão tréguas.
    O sol está aí.Pelo menos quando nasce é para todos!
    Abraço

    ResponderEliminar
  10. Tristes pesadelos que assombram...Guerras, tristezas...beijos,chica

    ResponderEliminar
  11. E qye , para desgraça maior, poderiam ser evitados.

    Um bom fim de semana

    ResponderEliminar
  12. MANELA, valha-nos o Sol...mas não chega.

    Bem haja.

    ResponderEliminar
  13. E que os próprios judeus, infelizmente, continuam sobre os palestinianos.

    Gaza é um campo de concentração a céu aberto, só lhe faltando os fornos crematórios.

    Bom fim de semana, FÊ.

    ResponderEliminar
  14. Sem dúvida, VALENTE, sem a mínima dúvida.

    Bom serão.

    ResponderEliminar
  15. Querida MARIA RODRIGUES, também acho: taçvez assim não houvesse tanto egoísmo e as pessoas entendessem que todo ser humano deve ser respeitado.

    Uma noite serena, amiga minha

    ResponderEliminar
  16. MARIA, o Diário deveria ser de leitura obrigatória até em Israel, para terem a noção do que sofrem as crianças e adolescentes palestinianos.

    Uma serena noite.

    ResponderEliminar
  17. Dada a idade de Anne, sim.

    Porque já li testemunhos bem tocantes, além do dela.

    Um abraço, MONA LISA

    ResponderEliminar
  18. Fico com medo, sabes?
    Nem gosto de me lembrar "dessas coisas" e me faz perder a fé, NÃO QUERO perder a minha fé.
    Ainda não li o livro, e não gosto de ver filmes de guerra, sinto medo "pânico...
    Beijinhos São* , adoro vocês todos e vamos torcer pela Seleção na Eurocopa.
    Só pra esquecer esse assunto de horror, tá.
    Mery*

    ResponderEliminar
  19. Acabei de o ler recentemente pela segunda vez...e também este massacre de ciganos, republicanos espanhóis, judeus, prisioneiros de guerra e políticos de todas as nacionalidades - incluindo a alemã, me é é uma das razões porque não aprecio alemães.

    Devemos isso aos EUA, mas aquela sociedade também tem características doentias.


    Bom serão , ISA

    ResponderEliminar
  20. Escrever para mim não é libertação quando estou "blue"...e tenho pena que assim seja.

    Um apertado abraço, meu amigo POETA

    ResponderEliminar
  21. Querida amiga, assino por baixo suas sábias palavras.

    A mulher sabe quanto custa dar à luz, o homem não e , por isso, pouco lhe importa matar ...seja de que forma for e só vê lucro e números e nada mais, infelizmente.

    Um abraço grande e grato, VERA

    ResponderEliminar
  22. Querida MERY, compreendo tua relutância ...mas não podemos esquecer, para que estejamos alerta e não permitamos a repetição destes horrores.

    Deus deu ao ser humano o livre arbítrio e se este o utiliza mal a responsabilidade é sua exclusivamente.

    Um abraço apertado... e veremos o que faz a Seleção amanhã

    ResponderEliminar
  23. É um livro inesquecível, já por duas vezes visitei a casa de Anne Frank, de ambas as vezes senti um arrepio!
    Bjs

    ResponderEliminar
  24. Acredito!

    Eu saí de Auschwitz-Birkenau arrasada:nada nos prepara para estar naquele sítio de sofrimento, principalmente porque nos lembramos do que os judeus estão a fazer sofrer aos palestinianos.

    Um abraço

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...