MALTA

MALTA

domingo, 19 de maio de 2013

"CANTAR ALENTEJANO" : JOSÉ AFONSO



Chamava-se Catarina
O Alentejo a viu nascer
Serranas viram-na em vida
Baleizão a viu morrer



Ceifeiras na manhã fria
Flores na campa lhe vão pôr
Ficou vermelha a campina
Do sangue que então brotou




Acalma o furor campina
Que o teu pranto não findou
Quem viu morrer Catarina
Não perdoa a quem matou



Aquela pomba tão branca
Todos a querem p´ra si
Ó Alentejo queimado
Ninguém se lembra de ti



Aquela andorinha negra
Bate as asas p´ra voar
Ó Alentejo esquecido
Inda um dia hás-de cantar


"Cantar Alentejano" é uma homenagem de José Afonso a Catarina Eufémia (13/2/1928 -19/5/1954,Baleizão),assassinada a pistola-metralhadora por João Tomás Carrajola, tenente da Guarda Nacional Republicana.

42 comentários:

  1. Lindo cantar! beijos,chica e ótimo domingo!

    ResponderEliminar
  2. Belíssima canção , com imagens condizentes [ amo a dos ninhos das andorinhas ]


    Um abraço , São .

    ResponderEliminar
  3. Parece que Carrajola nunca foi punido. Como nunca foram punidos todos aqueles que cometeram atrocidades antes do 25 de abril. Que revolta!

    ResponderEliminar
  4. Bela homenagem.Infelizmente a violência não é de hj e sempre tira a vida de pessoas preciosas.
    Tenha um lindo domingo.Bjs

    ResponderEliminar
  5. É verdade amiga São
    Mataram Catarina Eufémia
    Quando para comer pedia pão
    E lutava contra a miséria
    Caio no chão, um tiro levou
    Do seu sangue terra vermelha
    O Alentejo sua morte chorou!

    Obrigado pela visita
    resto de bom domingo
    um beijo para você,
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  6. Se passar pelo "são" tem um texto meu sobre o tema baseado em testemunhos presenciais.

    Bom domingo, Edumanes.

    ResponderEliminar

  7. Bom domingo!
    Ótima semana!
    °º✿✿ Beijinhos do Brasil
    °º✿
    º° ✿✿° ·.

    ResponderEliminar
  8. Só que as ditaduras são mais violentas e humilhantes na sua violência.

    SE quiser saber mais pormenores, convido-a a passar pelo "são" e ficará a conhcer o drama de Catarina.

    Bom Domingo, FILHA DE REI.

    ResponderEliminar
  9. LInda INÊS, agradeço que comente os posts, sim?

    Agradeço e retribuo os votos de excelente domingo.

    ResponderEliminar
  10. Se queres saber a realidade do drama vivido em Baleizão, vai até ao "são", que está lá um texto baseado em testemunhos de pessoas que viveram a situação.

    Beijinhos, CATARINA.

    ResponderEliminar
  11. Sim, a interpretação de José Afonso é comovente , mas no facebook pus a de Jacinta, que descobri agora e acho espantosa.

    O meu abraço muito grato, MARIA.

    ResponderEliminar
  12. Amiga, não podemos nem devemos, especialmente neste ataque à própria Democracia que se está vivendo na Europa e a este enorme desastre que a amiba de Belém está consentindo à quadrilha neste momento no Poder e arredores.

    Bom domingo, ELVIRA.

    ResponderEliminar
  13. O cantar é lindo, sim. Mas se passar pelo "são" verá quão trágica é a verdade que o inspirou.

    Abraço, CHICA.

    ResponderEliminar

  14. Temos de lembrar e lembrar! Temos de gritar, São!

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
  15. Se passares pelo "são" ficarás a saber a verdade do que aconteceu e não a lenda.

    Temos que gritar, sim, e cada vez mais alto.

    Beijinhos, Laura

    ResponderEliminar
  16. E nada foi feito...e estamos voltando a uma situação muito semelhante, TORO.
    Besos

    ResponderEliminar
  17. Uma figura incontornável, São.
    Boa semana!

    ResponderEliminar
  18. Que não podemos deixar ter morrido em vão!

    Abraço-o, Pedro.

    ResponderEliminar
  19. Que homenagem tão linda, ainda que triste! "Conheço" bem José Afonso mas não a história do assassinato de Catrina, do Alentejo.
    Obrigada, pela partilha, São.
    Um beijo,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  20. MInha amiga, se quer conhecer a tragédia atrás desta homengem tão sentida de José Afinso é só espreitar o meu blogue"são".

    Abraço grande.

    ResponderEliminar
  21. Muito bom, São; como também as imagens. Obrigado, amiga; boa semana!

    ResponderEliminar
  22. Uma boa homenagem a Catarina Eufémia
    ao pé da sua campa já estive.
    Um beijinho
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  23. morreu com heroísmo, mas as marés nos empurram para situação idêntica. Que venham mais mulheres coragem-
    Saudações amigas

    ResponderEliminar
  24. Querido amigo, obrigada!

    Se quiseres saber a tragédia atrás do canto, espreita o "são"

    Boa semana, SWAMI!

    ResponderEliminar
  25. IRENE, como digo no "são", também fui de propósito orar à sua campa.

    Mas jamais colocarei aqui a foto porque acho que a sua tragédia está muito acima de Partidos.

    UM grato beijo.

    ResponderEliminar
  26. Caro amigo, a Europa está à beira de (mais) uma tragédia e penso que muitas Catarinas se levantarão!

    Boa semana, C VALENTE

    ResponderEliminar
  27. Triste fim. Bela homenagem.
    Meu marido teve uma tia assassinada em tocaia, enquanto levava almoço ao pai. Entrou na frente do assassino do pai, morreram os dois, ela com apenas 18 anos. As antigas brigas por terras...
    Ela mereceria uma homenagem assim, certamente.
    Abraços!

    ResponderEliminar
  28. Simplesmente comovente Sãozita!
    Boa semana querida

    beijinho e flor

    ResponderEliminar
  29. Sempre importante a memória, mais rica no "são" - se te interessar.

    Abraços.

    ResponderEliminar
  30. Pus a canção no facebook!
    Não podemos esquecer!

    Abraço

    ResponderEliminar
  31. Cada vez mais as novas gerações têm que saber os horrores que as ditaduras impôem sobre os seus próprios povos!

    Beijos e que o Dinis tenha todo um futuro radiante.

    ResponderEliminar
  32. Se quiserse saber mais pormenores do drama de Catarina, passa pelo meu outro blogue:"são"

    Abraços, ADELINHA

    ResponderEliminar
  33. Belíssima homenagem, a que quero juntar-me!

    ResponderEliminar
  34. Dramas da nossa terra que assim tratados cobram beleza. Toda uma obra de arte o que aqui nos deixaste, querida amiga. Gosto.
    Um abraço bem brande

    ResponderEliminar
  35. Amigo, se quiseres saber como tudo se passou espreita o "são".


    O meu grato abraço...e assim que puder a Valência me vou, rrss

    ResponderEliminar
  36. SE quiseres saber a realidade do asassassinato vai até ao meu blogue "são".


    Grato abraço, JUSTINE!

    ResponderEliminar
  37. CLAUDINHA, aqui no Norte de Portugal matava-se por um rego de água e, geralmente, queem matava era na igreja que a Polícia apanhava a criatura,

    Uma jovem de 18 anos morrer assim é uma dor de alma.

    Aqui , de certa maneira, o caso é mais grave: é um agente da autoridade que assassina a sangue frio uma mulher de 26 anos, que tinha um dos filhos ao colo.

    Convido-a a espreitar o meu blogue "são", para conhecer a tragédia, que foi puro terrorismo de Estado !

    Um grande beijo.

    ResponderEliminar
  38. Alentejo es como mi Extremadura...una tierra bellísima, con lugares excepcionales....

    ResponderEliminar
  39. Sim, é a continuação : as fronteiras são só invenção humana...

    Fica bem

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...