quarta-feira, 22 de maio de 2013

POEMA: SÁ DE MIRANDA

14 comentários:

  1. Magnífico e actual poema.

    Andamos todos desenganados, esperando males maiores...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. E ainda temos de ouvir o papá do "moço sobredotado"...

    Beijinhos e as melhoras da tua rinite.

    ResponderEliminar
  3. De tanto cuidado temos, já não conseguimos desligar do estado de alerta.

    Mas cuidado... cuidado é preciso e recomenda-se.

    Tudo e bom.

    ResponderEliminar

  4. Sá de Miranda!... A Poesia clássica tem este dom - o da intemporalidade. Surpreendemo-nos, não raras vezes, com a atualidade de textos escritos há longo tempo.
    Ou será que isto tem a ver com a ineficácia dos homens, a sua falta de capacidade de evolução quanto às relações humanas e sociais?


    Um beijo

    ResponderEliminar
  5. Cuidado sim amiga, mas já andamos todos assim para o tramados.

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  6. Também gostei e também desconhecia.Além disso, acho que está muito adequado ao momento terrível vivido em Portugal actualmente.

    Tudi de bom, Pedro.

    ResponderEliminar
  7. Que o conhecimento não tarde...senão será tarde demais...
    Bj
    BlueShell, agora também em
    www.omocho.info
    com o nick
    Whiteball

    ResponderEliminar
  8. E que o povo, este povo que não pensa e que tudo aceita, se revolte !!

    Beijinhos, linda.

    ResponderEliminar
  9. ADELINHA, só ficaria satisfeita se pudesse pôr esta corja a viver durante um ano com 485 euros por mês!!

    Beijinhios, amiga.

    ResponderEliminar
  10. ALBERTO, estamos numa tragédia grega e sem vermso quando acaba, embora saibamos que o o Governo e o Presidente nos estão destruindo o país e a massacrar a população, sem tocar em quem deveriam tocar nem nos offshores.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  11. intemporal!...

    mas quem o lê, hoje em dia?

    beijo

    ResponderEliminar
  12. Como diz a minha amiga Ana: será que esta gente sabe ler?

    Bons sonhos.

    ResponderEliminar
  13. Talvez tenha a ver com ambas as coisas...

    Entretanto, deliciemo-nos com estes belso escritos.

    Bons sonhos, LÌDIA

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...