quinta-feira, 19 de novembro de 2015

CITAÇÃO - PAUL KRUGMAN

"Para quem já não se recorda(custa a crer há quanto tempo isto decorre): em 2010, mais ou menos de repente, a elite política de ambos os lados do Atlântico decidiu deixar de se preocupar com o desemprego e começar a ralar-se , em vez disso,  com os défices orçamentais.

Esta deriva não foi motivada por provas ou uma análise cuidada. De facto, ia até contra as noções básicas de economia. Ainda assim, a conversa sobre os perigos do défice começou a ser uma coisa que toda a gente  fazia porque toda a gente dizia e os que fugiam à norma  deixavam de ser respeitados - razão pela qual comecei a chamar aos paroquianos da ortodoxia do momento VSP, Very Serious People(Pessoas Muito Sérias).

Alguns de nós tentámos em vão sublinhar o facto de que o fetiche do défice era ao mesmo tempo mal orientado e destruidor, de que não havia provas de que a dívida estatal fosse um problema para as grandes economias, enquanto era por demais evidente que o corte nas despesas numa economia já deprimida só aprofundaria  a depressão.

E os acontecimentos deram-nos razão."

PAUL  KRUGMAN
(Nobel da Economia em  2008)

24 comentários:

  1. Este Senhor é dos únicos que tem chamado à atenção par o grave da situação que se vive em certos países e pela fobia dos mercados.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E tem o peso de ser Nobel da Economia !

      Abraços

      Eliminar
  2. Muito bom. É só a opinião de um Nobel da Economia que se tem dedicado a mostrar a possibilidade de uma alternativa à austeridade como a que conhecemos. No mínimo a ouvir...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho também isso


      Fui até ao seu blogue, mas não sei como comentar naquele modelo.

      Eliminar
  3. Ora cá está um senhor, que tem sempre razão... e raramente se engana... ao contrário de outros... que nos representam, por cá... muito pouco...
    Beijinhos, São!
    Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo em tudo , menos num ponto: essa criatura não me representa rigorosamente nada, pois nunca lhe dei o meu voto em tempo algum nem para nenhum cargo.

      Um bom fim de semana, Ana, e grande abraço :)

      Eliminar
  4. A ver si la gente empieza a despertar y deja de votar a los que nos llevan a la catástrofe.

    Besos.

    ResponderEliminar
  5. Olá Sãozita

    Hoje vim apenas deixar o meu beijinho.

    Até breve.

    Adélia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom ver-te aqui, querida.

      Mas , sim, vai com calma e quando estiveres mesmo recuperada voltamos às nossas conversas virtuais.

      Abraço com todo o carinho , desejando rápida e definitiva recuperação, Adelinha :)

      Eliminar
  6. Ele sabe. Não foi por acaso que ganhou o Nobel.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro, mas para cabeças iluminadas tipo reformado de Boliqueime a sua suprema inteligência de ignorantes soberbos sobra.


      Bom fim de semana e beijos..

      Eliminar
  7. Um burro esse tipo :))))
    O que Krugman diz é dos livros, São - quando há recessão o Estado deve injectar dinheiro na economia, não é o contrário.
    Bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu penso, sinceramente, que esta crise foi intencionalmente mal gerida para alicerçar aquilo que os Senhores do Mundo andam a preparar há décadas, isto é, a Nova Ordem Mundial.

      Obrigada, também +ara si e família, Pedro.

      Eliminar
  8. Amei o post querida :)
    Mil beijinhos
    http://teensfashionloom.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que reflicta sobre ele, pois é o seu futuro que está em causa, Madalena.

      Beijinhos

      Eliminar
  9. Belas palavras
    A imagem é encantadora
    .
    Deixo cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais do que belas, inteligentes!

      Obrigada pela vinda e bom fim de semana

      Eliminar
  10. Depois da porta arrombada, é que se lembram de a trancar. Para que servem tantas preocupações em cumprir o défice, sem antes terem atenção em dar um bocadinho de pão a quem o não tem. É por essas e por outros que tanta revolta está acontecendo. O governo francês, agora mais preocupado em se defender da tempestade proveniente dos ventos que semeou! Já avisou de que não vai cumprir com o défice!

    Tenha uma boa noite amiga São, um abraço.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Eduardo, os Donos do mundo não se preocupam com as pessoas e , às tantas, nem com dinheiro sequer pois já têm muitissimo : o que pretendem é o Poder para conseguirem moldar a nossa vida .


      Bom fim de semana e um abraço

      Eliminar
  11. São, os défices devem preocupar os políticos sim, mas pelo lado das despesas escandalosas de que só os políticos são culpados, a mediocridade que a sociedade vem criando. Então porque são sempre os impostos dos mais desfavorecidos a contribuir para o aumento das receitas?
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta criaturas, Daniel, perderam todos os calores se é que alguma vez os tiveram...e o nosso amigo Eduardo tem razão : a FRança arma-se em vítima e para gastar dinheiro na guerra já o défice não conta !!

      Beijinho e bom fim de semana

      Eliminar
  12. ✿ه°
    Os déficits orçamentários nunca atingem as grandes fortunas, somente a nós povo, que temos que carregá-los nas costas por anos e anos.

    Ótimo domingo! Boa semana!
    Beijinhos.
    ♪♫˚·.♩

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão, amiga.

      Aqui em Portugal tem sido um abuso intolerável a actuação do Governo PSD/CDS com a cumplicidade de Cavaco.

      Beijinhos, muitos, linda

      Eliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...