segunda-feira, 2 de novembro de 2015

FOLCLORE AÇORIANO






Oh, meu bem  se tu te fores
como dizem que te vais,
deixa-me o teu nome escrito
numa pedrinha do cais.

Quando o meu mano se foi,
sete  lenços alaguei
mai-la manga da camisa
e dizem que não chorei !

 Meu amor vem sobre as ondas,
meu amor  vem sobre o mar,
ai quem me dera morrer
nas águas do teu olhar.

40 comentários:

  1. Já de viagem outra vez?
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, meu bem, estou em casa e por muito tempo estarei...aliás, está lá a data , rrsss

      Beijinho e bom Novembro

      Eliminar
  2. Me dan ganas de entrar en la foto y empezar a nadar.

    Besos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem imaginas a vontade que , lá, eu tive de fazer isso: nadar naquele azul magnífico do Mediterrâneo...

      Bom Novembro, Xavi

      Eliminar
  3. Eu gosto deste folclore, e dos blogues. Por isso regressei :) ;)

    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E ainda bem que regressou.

      Só não percebo porque motivo mudou para o Sapo, onde apareço como Anónima, coisa que nunca fui , sou ou serei, rrss

      Feliz Novembro , meu amigo Alberto

      Eliminar
  4. Bom dia
    Tão lindo... =)

    Beijo e uma excelente semana

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Respostas
    1. Abraço reconhecido e votos de feliz Novembro, Marisa!

      Eliminar
  6. Gostei muito desta poesia açoreana.
    Portugal tem um folclore muito rico.
    Desejo que a amiga esteja bem.
    Bjs.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que lhe agradou, amiga.

      Esperando que esteja de saúde, a abraço

      Eliminar
  7. Fizeste-me retornar São ... rs já estava ensaiando e seu empurrãozinho me provocou a coragem_ gosto dos blog's e da calma que transmite! revigora a alma parar ler entender o que vai na alma dos amigos e escrever seja o que for e como for. Faz bem melhor que 'curtir' simplesmente. rs A vida está muito corrida e aqui a gente tem tempo,,,
    Esse mar ... sempre inspira e carrega no azul todas as delícias que um olhar merece.
    e os amores ... sempre se vão deixando água nos olhos ... rs
    beijinhos São

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Feliz decisão a sua , essa de voltar ao blogue!

      Aqui temos tempo mesmo, no facebook é um corre-corre desgraçado.

      Beijinhos, lindinha :)

      Eliminar
  8. É lindo esse poema,
    da cidade da Horta
    fui abraçar a Madalena
    na Ilha do Pico, outrora.

    Num barco a navegar,
    da Ilha do Faial à Ilha do Pico
    por que não estou a aldrabar
    acreditem no que eu digo!

    Tenha uma boa noite amiga São, um abraço.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também fui de barco do Faial até ao Pico e do Faial até S-Jorge.

      Tudo, porém , está difrente.

      Abraço , meu caro amigo

      Eliminar
  9. A malta cantava isto nos meus tempos de juventude.
    Saudades desses tempos?
    Algumas....
    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantava canção de Coimbra, Pedro?

      Natural é que se tenha alguma saudade...

      Obrigada, igualmente

      Eliminar
  10. Mar y amor: como las olas es cada verso.
    Feliz semana, querida amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mar é uma paixão minha desde sempre...

      Amor andou sempre longe dos meus caminhos...

      Gracias, amigo mio, también para ti :)

      Eliminar
  11. Bonito poema.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  12. Oh, o quanto eu adoro as nossas ilhas açorianas! Beijos São *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom partilharmos essa paixão pelos fascinantes Açores, menina!

      Abraços

      Eliminar
  13. As trovas têm uma beleza única, na sua simplicidade; não é, São? :) Boa semana, amiga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho isso.

      Aqui ainda mais, porque fala do drama da emigração açoriana , por vezes feita com risco de vida...

      Obrigada, meu amigo, para ti também

      Eliminar
  14. Linda a poesia de Açores e um mar de extrema beleza

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostou, amigo.

      O Mediterrâneo é belissimo no seu azul forte.

      Abraços

      Eliminar
  15. Respostas
    1. Grato abraço por gostar, Maria da Graça :)

      Eliminar
  16. Bom dia São
    Os versos deste poema é maravilhoso e azul deste mar me deu vontade de dar um belo mergulho
    Um lindo dia para você
    Beijos e sorrisos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem vinda!

      Ainda bem que o poema lhe agradou e qaunto ao amr nem imagina a pena que tive de não poder nadar neste azul profundo...

      Boa semana e grande abraço, Gracita

      Eliminar
  17. Adorava pode voltar aos Açores um dia...


    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não perca a esperança, eu também pensei que não voltaria e voltei...

      Tudo de bom

      Eliminar
  18. Simplesmente lindo este poema.

    Uma belíssima escolha.

    Bom resto de semana

    Bjgrande do Lago

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lindo , principalmente porque toca no drama do abandono forçado das ilhas em busca de melhor vida...

      Beijnhos :)

      Eliminar
  19. Belíssima imagem, deste mar... que trazemos no coração... mas que reclama algumas vidas, e outras vezes nos dá preocupação...
    Palavras e imagem, em pura harmonia!
    Adorei!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Mediterrâneo neste momento é uma dor que nos atravessa a alma, por causa das pessoas que fugindo da Morte, afinal a encontram aqui,,,

      Grato abraço

      Eliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...