segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

EDUCAÇÃO - HENRY PETER


26 comentários:

  1. E é por isso mesmo que é tão temida.
    Boa semana!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E por ser temida é que Crato está atentar destruir tudo o que é público e ainda nem abriu a boca sobre esta barbaridade das praxes!

      SEmana feliz

      Eliminar
  2. Há por aí quem queira acabar com ela...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro, como não? Um povo domesticado é muito mais fácil de enganar e manipular. E se cair sob o mando de um grupo de desatinados vindos deste obscuro mundo da Juventude Hitleriana em que parece que muitas praxes se tornaram...

      boa semana

      Eliminar
  3. Pura verdade essa!! bjs praianos,chica

    ResponderEliminar
  4. Por isso é melhor dar samba, carnaval e Copa ao povo, pensam...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...mas pensam mal, até porque o Brasil já acordou, não foi?

      Por aqui, parece que ainda se anda meio ensonado, desgraçadamente!

      Eliminar
  5. Será?!

    Impossíveis de escravizar?
    Veremos!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É!

      Falamos , porém, de Educação em sentido abrangente , não só ensino nem boas maneiras sociais.

      Educação pressupõe preparar a pessoa para ser livre e , consequentemente, responsável pelos seus actos; respeitar o seu semelhante , ter capacidade de escolher entre o Bem e o Mal.

      Só que, lamentavelmente, não me parece que seja isso que se faz em Portugal...

      Bons sonhos

      Eliminar
  6. Está tudo explicado! Por isso está a dar cabo dela.

    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Evidente, minha amiga, claro como água.

      Até esta transformação das praxes em humilhação e obediência canina a uma hierarquia autoritária , sujeita a uma ignominiosa lei de silêncio e a que ninguém parece estar disposto a proibir em definitivo dá muito jeito ao Poder.

      Os nazis sempre disseram que cumpriam ordens superiores, não foi?

      Beijinhos

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Sim, ainda bem que assim é...O pior é a intenção de tudo destruir para que assim não seja!

      Boa semana

      Eliminar
  8. Por isso é que alguns querem acabar com a educação!
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida!

      E para terem um povo a obedecer sem discutir até deixam passar em branco as selvajarias praxísticas!

      Bom serão

      Eliminar
  9. Uma explicação brilhante para o estado da educação em Portugal. É tão mais fácil governar quem tem os olhos fechados e não se esforça por os abrir...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E se houver assim umas praxes à maneira da Juventude Hitleriana para obedecer caninamente a chefes e tudo ficar silenciado por uma omertà como na Mafia, que maravilha!!

      Abraços

      Eliminar
  10. Num país em que impera o gosto por tudo que é pimba desde a música aos programas de televisão, que podemos esperar senão ser arrastados e escravizados? Já começou...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece que sim, que há criaturas que , sendo jovens, nasceram retrógradas e gostam de chicote e , muitíssimo mais grave, de chicotear seres humanos!

      Bons sonhos

      Eliminar
  11. Tá rebocado que o Henry está certo, faça fé! kkkk

    Essa frase serve para qualquer pais em que a educação não é levada a séria,

    PORRETA!

    O Sibarita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou então onde sabem a sua importância e por isso a tentam destruir de todas as maneiras...

      Beijinhos

      Eliminar
  12. Que assim seja, enquanto não for lhes colocarem obstáculos difíceis de ultrapassar.

    Boa semana Sãozita

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Educação engloba o Ensino, mas vai muito para além disso e , portanto, nunca existem obstáculos inultrapassáveis, Adelinha!

      Fica bem

      Eliminar
  13. Este:

    http://www.disfrutaberlin.com/campo-concentracion-sachsenhausen

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...