quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

"LUSÓFONA FORA DO GUIÃO"

" Em Setembro de 2012, os órgãos que tutelam as praxes em nove Universidades e Politécnicos
subscreveram uma «carta de princípios», assente em dois pilares: «respeito pela dignidade humana» e «responsabilização individual pelos actos».
 
Cada uma das academias manteve a autonomia para redigir os seus códigos de praxe, adequando-os ao guião acordado.
 
O Conselho de Praxes da Universidade Lusófona foi um dos que não aderiram àquele movimento."
 
                           "VISÃO", 23-29/1/2014
 
 
Talvez esta recusa de respeitar a dignidade humana e a responsabilidade dos actos praticados , aliada a uma omertà mafiosa, explique as seis mortes do Meco em Dezembro de 2013.

E é esta gente que chegará ao Poder, é bom não esquecer essa realidade.
 
Respeitando a morte terrível que tiveram e a dor dos familiares, se estavam preparando praxes que iriam colocar em risco as vidas de outros jovens antes , então, a sua morte.
 
Segundo agora dizem, algumas famílias estavam contra as praxes. Assim não se compreende como permitiram o envolvimento dos jovens sob a sua responsabilidade nesta coisa bárbara que deveria ser  proibida totalmente!
 
O "Dux" , responsável máximo, sobreviveu e , segundo o psicólogo, está com amnésia selectiva. Convenhamos que , neste momento, é uma situação muito conveniente.
 
No entanto, não me parece justo torná-lo  em bode expiatório do acontecido, pois todas as pessoas eram adultas.
 
Mas se for condenado por homicídio involuntário não me chocará rigorosamente nada.
 
Acho indigno o silêncio público do Governo e do Presidente da República sobre o tema , passado já cerca de um mês sobre o drama.
 
Seria excelente que desta tragédia , resultasse algo de positivo:
 
- As famílias enlutadas tomarem posição pública e forte contra as praxes.
 
- Que todas as praxes fossem pura e simplesmente proibidas.
 
Devo dizer que sempre levantei a voz contra estes comportamentos , que considero bárbaros e sem sentido. Tanto mais que a única Universidade com  tradição em todos os campos é a de Coimbra, porque tem uma existência de largos séculos. Tudo o resto é mera estupidez!
 
Além disso, em Coimbra nunca houve mortes , enquanto nas outras instituições de ensino já ocorreram várias, além de situações inauditas e traumatizantes.
 
 

36 comentários:

  1. Com é possível em pleno sec XXI fazerem estas barbaridades.
    Todas as praxes devem ser proibidas.

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque os maus exemplos vêm de cima, porque as famílias acham que gostar da criança, de adolescentes, de jovens, é dizer a tudo que "sim" - mesmo quando deveriam dizer "não" para seu próprio bem, porque cada vez mais o ser humano não tem valor aos olhos da sociedade.

      braço, Fê

      Eliminar
  2. Sempre achei as praxes uma barbaridade. E o pior é que cada vez os jovens se tornam mais violentos e audazes. Sempre a fazer subir a adrenalina.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se , após tandos dramas e mortes, o Poder continua quedo, mudo e sem tomar medidas , só podemos esperar que mais tragédias aconteçam.

      A competitividade e a maneira como , neste momento, o péssimo exemplo de se não respeitar nada nem ninguém vem de cima , nada mais natural que estes jovens pensem que não devem respeitar nem regras nem seres humanos.

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Tenho dois filhos que foram praxados e que até acharam graça ao que fizeram pois não foi nada violento nem contra a sua dignidade. Mas foi há mais de vinte anos. Numa época em que tudo era mais suave. Como diz a Elvira, cada vez os jovens são mais violentos e sempre à procura de sensações fortes e, até, de humilhar os outros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acabei de ver há pouco uma entrevista com os pais da Joana , um programa sobre o Meco e parte de um documentário premiado sobre as praxes.

      Pode crer: fiquei chocadíssima.Como é possível ser permitido aos energúmenos que comandam as praxes humlhar e maltratar os eus colegas desta maneira cobarde e asquerosas???

      E o POder consente?! E as Universidades ignoram?! Voltámos à Juventude Hitleriana?! Mas que gente é esta que se está formando e que tomará o país em mãos?! E as famílias não se informam?!

      Que se matem a si mesmos ou se firam é lamentável, mas que destratem e insultem caloiros é uma vilania, que deve ser proibida e já!!

      Bons sonhos

      Eliminar
  4. Boa noite!
    Pois... coisas esquisitas que nunca deviam de ser autorizadas, e agora???

    Tristes deste Pais...

    beijinhos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora ? Caso se mantenha o silêncio inaudito do Governo e o desleixo das Universidades continuaremos a assistir a mais mortes, mais humilhações, mais insultos e à formação de criaturas sem respeito pelo seu semelhante e convencidos da sua superioridade e de que não têm que respeitar regras, pois estas Comissões não respondem perante ninguém!!

      Bom fim de semana

      Eliminar
  5. Oi, São!
    Aqui chamamos "trote" e já aconteceram tragédias. Acho absurda a conivência de algumas universidades. A faculdade que estudei era proibido o praxe e quem o fizesse, era expulso. Essa era a consequência do ato e as universidades deveriam tomar caução antes do ato acontecer, como forma de também se prevenir e aos pais também!
    Lamentável que houveram mortes e a que sobrou falta-lhe coragem.
    Beijus,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem vinda!

      Obrigada pela achega, muito importante.

      Acho óptima essa ideia da expulsão assim como o do pagamento de uma caução, porque assim também responsabiliza as famílias.

      É perfeitamente intolerável que estas Comissões de Praxes não tenham que responder perante ninguém e que possuam Códigos permiyndo e incentivando comportamentos brutais e violentadores da dignidade humana.

      Não esquecer que , infelizmente, esta barbaridade cria uma espiral de continuidade.

      Como se não bastasse, quando as coisas correm mal ( desta vez foi aos próprios, antes assim) o responsável máximo acobarda-se!! Embora eu creia que não esteja bem, então - como diz uma familiar de quem morreu - alguém que fale por ele: advogado, mãe/pai, psicólogo.

      Acho que as famílias têm direito a saber o que se passou, mas a mim já nem é isso que me importa ( eram todos adultos e estavam lá porque assim o quiseram) : o que eu quero saber é como é possível desenvolver um processo semelhante ao da Juventude Hitleriana e chegar a um desfecho daqueles!!

      E quero que esta selvajaria seja proibida de vez!!

      Abraço grande, Luma

      Eliminar
  6. São,
    Em Coimbra, a praxe nunca passou por estas perfeitas parvoíces.
    Até porque não seriam toleradas.
    Perfeita estupidez!!
    BFDS!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pior que estupidez, muito pior!

      Depois do que ontem foi revelado pela mãe de uma das mortas, estou aterrada!!

      Como é possível as Universidades, o Governo e as famílias não tomatem posição clara contra isto?!

      Há Petições para tudo e mais alguma coisa, mas quanto a Praxes tudo em santa paz!!

      Bom fim de semana

      Eliminar
  7. Odio las novatadas.
    Son propias de humanos repugnantes.
    Deberían acabar con ellas en todas partes.

    Besos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo totalmente: só seres humanos muitos vis e mesquinhos podem sentir prazer em humilhar os seus semelhantes.

      Lamentavelmente, parece que é para continuar. E , segundo me disseram, até já no Secundário, existem praxes!! Que pessoas está esta sociedade a formar?!

      besos, xavi

      Eliminar
  8. Todos eram maiores e vacinados mas esta tragédia tem de ser explicada aos pais que nunca mais viverão em paz e isso só poderá ser feito pelo sobrevivente que, acredito, se encontra em estado de choque!
    Há que lhe dar mais tempo para ele poder "processar" a morte dos amigos mesmo à sua frente.
    Seguramente que as vítimas estariam de costas, por isso mais vulneráveis! :(


    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo que as famílias têm direito a saber o que aconteceu.

      Acredito que o Dux esteja perturbado, mas duvido muito que tenha amnésia selectiva, pois implica uma situação bem mais grave e diferente do que a que ele viveu.

      Mas, sinceramente, a mim já nem me importa sequer como aconteceu.

      O que me está a preocupar e muito -e é isso que eu quero saber - como é que é possível um processo que leva a tal desfecho.

      E cada vez mais me indigno e revolto com a continuação das praxes, que - pelo que me dizem - até já no Secundário existem!!

      Que pessoas estamos nós a formar , quando o futuro está nas suas mãos?

      Bom fim de semana

      Eliminar
  9. Um triste e lamentável acidente, originado por uma estúpida e repugnante brincadeira, de muito mau gosto e nenhum bom senso.
    Culpados?!
    Nada pagará a perda de vidas e o sofrimento familiar.
    Atitudes a tomar? Acabar de uma vez por todas com determinadas "praxes", que de praxes não têm nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos de acordo: as praxes deveriam ser proibidas e as Universidades responsabilizadas.

      As soluções de que Luma fala penso que são boas. Incluindo a expulsão .

      Culpados foram todos, pois eram adultos e sabiam perfeitamente o que estavam a fazer.E pagaram bem alto pela irresponsabilidade.

      Mas penso que o Dux deverá assumir as suas responsabilidades, pois não se ocupa um cargo em vão, seja ele qual for.

      Acredito que não esteja bem, mas amnésia selectiva duvido muito que a tenha, até porque resulta de um traumatismo craniano e afecta certa parte do cérebro.Que se saiba, não foi isso que sofreu.

      Além disso, as famílias têm todo o direito a saber o que se passou e como.

      Se não se toma uma decisão ao mais alto nível, não será este o derradeiro drama, desgraçadamente

      Eliminar
  10. Sempre consegui escapar, mais ou menos, ás praxes; creio não ter podido ser tão inventivo aquando do Serviço Militar.
    Frontalmente, sou (sempre fui) contra.
    A humilhação que é imposta aos praxados dá-lhes um "direito adquirido" de se tornarem insensíveis ao sofrimento dos demais humanos e outros seres.
    O exemplo desta insensibilidade, já nos governa.
    O que se seguirá mais tarde?


    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo totalmente as suas preocupações e comentário.

      Todo o tipo de praxes deveriam ser totalmente abolidas e com duras consequências para quem desrespeitasse a lei.Porque esta proibição tem que vir do Governo!

      Praxes no Secundário?! A que propósito?!

      mas que sociedade estamos nós a dar origem ao permitir estes violências brutais sobre seres humanos??

      É indispensável conhecer o processo que leca a situações destas e cortá-lo de vez, porque se assim não for, muitas lágrimas ainda vão correr.

      E enquanto se matarem a si mesmos, é muito lamentável, mas paciência . O que não é admissível é colocarem outras pessoas em situações perigosas e humilhantes!!!

      Bom fim de semana

      Eliminar
  11. Com culpas ou sem elas nas mortes do Meco, as praxes deviam ser crime, crime público até!
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acho!

      Agora, depois de saber que a Lusófona, por exemplo, tem um Código secreto em que, entre ouras coisas, exige uma obediência cega dentro da hierarquia, considero que já se está ao nível da Juventude Hitleriana.

      Estas criaturas ficam convencidas da sua pseudo-superioridade, sem capacidade de pensarem por si e assim recusarem ordens sejam ela quais forem ( os nazis também alegaram que só cumpriram ordens) e criam um espírito de grupo que lha dará lugar ao mais alto nível de Governo se um dos elementos lá chegar.

      A partir do momento em que tiverem Poder, pobres das pessoas sobre quem o exercerem, porque esta gente não sabe o que é respeito pelo seu semelhante, nem compaixão, nem solidariedade, nem sequer sabe que existem valores humanitários , além de achar que não existem regras para eles.

      Beijinhos

      Eliminar
  12. Depois deste lamentável acidente não há que duvidar, as praxes deveriam ser proibidas, não entendo como a própria faculdade não é primeira a tomar a decisão! seis mortes não é brincadeira!
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Principalmente, porque não é primeira vez que pessoas morrem
      Neste caso lamentável ainda foram os responsáveis pela estupidez das praxes que morreram, mas noutros casos foram os praxados, o que é pior, acho eu.

      Também não entendo como continua tudo em brancas nuvens sem que ninguém decida acabar de vez com este disparate!

      E depois ficam muito surpreendidos quando um senhor , que acompanhou a filha à Universidade e assim que viu os praxantes aproximarem-se , tirou uma arma de fogo do bolso e disse :"Nela ninguém toca!".

      Não sei se a arma era real ou não, mas compreendo perfeitamente a atitude: se nem o Governo nem as universidades tomam as devidas medidas , cada pessoa tem o direito à defesa!!

      Beijinhos

      Eliminar
  13. Subscrevo integralmente.

    Tudo dito.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por pensar também que tudo isto é um absurdo que deve , pura e simplesmente, acabar.

      Abraços

      Eliminar
  14. A luta pelo poder , porque quem promove a praxe deseja - o , sobrepõe - se a
    " respeito pela dignidade humana» e «responsabilização individual pelos actos»."
    O poder , sempre o poder !
    Um beijo , São .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O pior é que estas criaturas , algumas delas com o treino que têm e a sede de opressão sobre os outros, chegarão a lugares de Poder real ( Governo, por exemplo) e serão déspotas que se julgam superiores e acima de todas as regras!!

      Beijinhos, Maria

      Eliminar
  15. Continua a dizer que a culpa é dos reitores, pois as leis são para serem cumpridas e fiscalizadas.

    As praxes de hoje são pura humilhação!

    Vivemos numa anarquia encoberta.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  16. Não conheço a legislação.

    Concordo que a culpa é dos reitores, mas não só.Para mim, a principal responsabilidade é a do Governo, que não acaba com esta brutalidade em definitivo.

    E passa também pelas famílias, sem dúvida.Se , inclusivamente, @s jovens passam a vida a fazer relatórios de praxes, se têm muitos fins de semana fora relacionados com praxes, se notam até alterações de personalidade, ...penso que tudo isto deveria funcionar como campainha de alarme.

    Anarquia no país, porque nas Comissões de Praxes está tudo muito bem codificado e com hierarquia bem definida!

    Como é possível que estas Comissões não respondam perante ninguém ? Nem Reitores, nem Associações de Estudantes, nem Governo, nem famílias...mas que é isto?!

    Beijos

    ResponderEliminar
  17. Olá, tudo bem ?
    Hoje é feriado na Cidade de São Paulo - Brasil. Uma cidade onde tudo é longe, e tudo é perto, ao mesmo tempo. Ainda assim, uma selva de pedra, acolhedora e agradável, ao olhar poético.
    É com este espírito, que lhe saúdo, desejando, um fim de semana muito bom.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  18. Sou absolutamente contra as praxes académicas, pela forma humilhante e pouco respeitosa de tratar as pessoas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E também pela repetição das brutalidades, porque violência só gera mais violência!

      O documentário (premiado ) transmitido durante o serão na RTP-1 deixa bem claro as bestialidades cometidas sobre colegas e a total falta de respeito que quem praxa tem relativamente à dignidade humana e alguns destes energúmenos já têm o Poder nas mãos actualmente.

      Bons sonhos

      Eliminar
  19. Quando ouço estes estudante universitários, a defender as praxes, tendo como argumento a tradição, e vejo que a tradição são humilhações, violência, a imposição de regras dos mais fortes sobre os mais fracos, não posso deixar de sentir um arrepio ao pensar que vão ser estas pessoas que vamos encontrar nos escritórios de advogados, nas empresas, nos consultórios, etc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assino por baixo, Daniel, pois partilho essa tua inquietação por completo.

      A Praxe é em si mesma malévola: não há praxes nem más nem boas: são todas para abolir!

      Crato descobriu hoje que existem "abusos intoleráveis" nas praxes(mais vale tarde que nunca) . Mas que medidas vai tomar após esta sua estrada de Damasco?

      Dorme bem

      Eliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...