MALTA

MALTA

terça-feira, 27 de março de 2012

A IMPORTÂNCIA DA VERTENTE SOCIAL NA EUROPA




" A União Europeia conseguiu aumentar o emprego, embora não tenha conseguido reduzir o número dos cidadãos em risco de pobreza ou exclusão social.


A crise económica contribuiu para o problema, mas o facto é que a situação já antes se estava a degradar. A crise não é culpada pelo falhanço da Europa em reduzir a pobreza.


O Estado Social constitui uma pedra basilar da sociedade europeia e é muito importante que a agenda Europa 2020 tenha reafirmado o compromisso de garantir protecção social a todos os que vivem e trabalham na União Europeia.


É possível reduzir a pobreza sem reduzir a desigualdade, claro que sim."


ANTHONY  ATKINSON
Professor universitário em Oxford
(Maio, 2011)

18 comentários:

  1. Claro que é possível, se não se extremarem as desigualdades e o egoísmo e quem pode fazê-lo tenha a clarividência de aceitar que os seus impostos são importantes e devem ser pagos como ponto de honra e generosidade para estabelecer um estado social mais justo. Há muita gente que não entende isto, não quer entender esta partilha. Tomara eu pagar muitos impostos, era sinal que ganhava muito, em contrapartida com o pouco que ganho e porque os que devem não os pagam ando eu a penar para pagar os meus porque não posso fugir ao trabalho dependente do próprio estado e como não são os ricos que pagam o justo valor, lá terei como muitos que continuar a contar os tostões para os ver muito mal aplicados.
    É deveras importante mudar este estado de coisas. Brado aos céus com aquelas pessoas como ouvi uma vez uma colega que por sinal era muito limitada de raciocínio achar furisamente que deveria receber tudo o que descontou só para si e cada qual deveria receber só isso, portanto os que não tinham tido a possibiliddae de contribuir com nada ou muito pouco também deveriam ter só o equivalente, ou seja nada. Com almas tão generosas o mundo seria uma loucura.

    Beijos e boa semana.
    Branca

    ResponderEliminar
  2. São
    Ficarei feliz o dia que olhar para o lado e nao ver nenhum mendigo na sarjeta como vejo aqui em BH.
    Voce escolheu uma bela cidade para conhecer.
    Também a fizemos. Fortaleza é um paraiso da natureza que Deus fez para nós.
    com carinho e amizade de Monica

    ResponderEliminar
  3. Querida São, mas o estado social, não terminou definitivamente neste últimos seis anos, em Portugal pelo menos?
    É que eu não consigo, mesmo dar por ele. Eu e mais uns milhares de pessoas que achávamos que o estado social, seria no futuro, aquele que traria bem-estar e qualidade de vida, a todos nós.
    Beijinhos, minha amiga.

    ResponderEliminar
  4. Sãozita minha querida
    Cada dia que mais pobreza vejo e, também a vivo de muito perto, tenho 55 anitos trabalhei desdes os 13 e estou no desemprego desde maio do ano passado, agora tenho uma filha e os seus tres filhotes para sustentar e, mais não digo estou a ficar chorona.
    desculpa querida.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  5. A "vertente social" é de extrema importância, em meio a qualquer povo. De longe torcemos para que tudo vá se aprumando, na Europa. Aqui, no Brasil, não temos o "paraiso" cantado em verso e em prosa, a "miséria rola solta", principalmente na região Nordeste. Acontece, que o que é mostrado ao estrangeiro, como se costuma dizer, é "para inglês ver".

    Gostei dessa e outras postagens, que hoje li (dada a minha ausência).

    Um abrço, São,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  6. A amiga Lúcia Bezerra de Paiva disse tudo, aqui no Brasil há muitos mascarados; eu garanto que aqui é pior do que aí, coisa minha. A vida no Brasil é cara, só pensam no turismo...a corrupção está demais, os ladrões governam e por aí vai..Eu amo Portugal e desejo de todo o meu coração que vocês superem essa crise, se Deus quiser, penso<: "já se pode ver uma luz*; não?
    Torço por todos! Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Estoy de acuerdo, mi querida Sao. Es posible,siempre y cuando los mas ricos acepten serlo un poco menos. Un besooooooooo

    ResponderEliminar
  8. É possível se quem tem poder político quiser.

    Beijo

    ResponderEliminar
  9. Só que , como estão enredados em interesses económicos e não só, não querem e nada fazem...

    Bom dia para ti, melhor boa tarde, rrss

    ResponderEliminar
  10. E seria tão fácil, não é?

    Ninguém quer acabar com os ricos, meu Deus, queremos é que todas as pessoas tenham uma vida digna!!

    Besos, querido RICARDO.

    ResponderEliminar
  11. Sim, maie que preocupante: injusta e sem sentido, CaTARINA

    Fica bem

    ResponderEliminar
  12. Essa tua colega , coitada, tinha uma lógica de bradar aos céus!!

    As pessoas deficientes profundas, segundo ela, acabariam por morrer à fome, não?

    Os offshores são uma fuga criminosa aos impostos , mas permitida pelos Governos. Gostaria de saber a razão disso. Sugiro que leias "Suite 605"...é de arrepiar!


    Quando insultam os funcionários públicos, esquecem que são os únicos que pagam todos os impostos e a tempo.

    Um abraço, BRANCA

    ResponderEliminar
  13. Só lamento não ter podido ficar mais tempo...achei aquela região muito bonita e as pessoas muito simpáticas.

    Mendigos e pessoas com fome e em sofrimento - ainda por cima provocad por ganância desmesurada . me cortam o coração.

    Beijinhos, MÓNICA

    ResponderEliminar
  14. Querida MANELA, já conhecia a travessia do Algarve, embora nunca a tenha feito assim e dou-lhe parabéns pela divulgação.

    Não culpemos Sócrates por tudo e pode crer que nunca morri de amores pela criatura.

    Se este Governo quissesse poderia emendar os erros anteriores dos Governos que o antecederam.Mas não quer, como está demonstrando.

    Voltaremos ao Estado Novo em que não havia cobertura social alguma e assim imitaremos o pior dos EUA...

    Beijinhos, amiga.

    ResponderEliminar
  15. Adelinha, que situação a tua, minha querida!!!

    Mas não percas a esperança. amiga!

    Um abraço longo e apertadinho

    ResponderEliminar
  16. O Nordeste sempre me impressionou pelo sofrimento e pela durezade vida de seu povo, que aprendi a conhecer através de Jorge Amado e de Cabral Neto.

    E quando vistei a região, linda, de Fortaleza entristeceu-me ver crianças e adultos mendigando, por exemplo.

    Aqui , a ânsia pelo lucro desmesurado - através da especulação e da exploração - está arrasando tudo: a economia, a preocupação com os mais desfavorecidos, ...

    Um abraço enorme, LÚCIA

    ResponderEliminar
  17. Não, minha amiga, não há luz ainfa...e penso que durante muitos anos viveremos em escuridão.

    Neste momento está decorrendo um debate na Assembleia da Repúlica sobre o novo Código Laboral; é de estarrecer!!

    Um abraço, querida MERY

    ResponderEliminar

Grata pela vinda!

Não saia sem comentar: a sua opinião importa
(-me).

E volte, em paz...