terça-feira, 28 de junho de 2022

SERGIU CELIBIDACHE (28/6/1912)



Completam-se hoje cento e dez anos sobre o nascimento de Sergiu Celibidache.

Este genial maestro nasceu na Roménia e morreu exilado  em França (14/8/1996) , após a proibição de actuar no país pelo regime comunista. 

A sua enorme exigência a nível da execução das peças e a sua forte personalidade criaram-lhe dificuldades : os ensaios eram feitos "até à náusea"  como ele próprio assumiu e não se coibiu de dizer frontalmente o que pensava sobre , por exemplo,  os músicos estado-unidenses.

Além  disso, era budista e buscava a verdade através da música , que "não se pode definir, embora o som, sim; mas o som não é música". 

Possuía um doutoramento e estudou o som. Era poliglota, falando fluentemente - além do romeno, sua Língua materna  - francês, alemão, italiano, castelhano, inglês.

Ouvir as suas lições sobre Fenomenologia Musical é entender claramente o seu tempo musical.   Que nos permite ouvir verdadeiramente o desenvolvimento da música e os instrumentos . A sua técnica exige perfeição, pois se existe uma falha na execução é imediatamente notada.

Infelizmente, descobri-o muito recentemente, pois imperdoavelmente os canais de música clássica não transmitem rigorosamente nada sobre ele (e não se justifiquem   com a sua recusa  de gravar em disco!!) .  Quando actuou em Lisboa ,  já com mais de oitenta anos, nada foi também registado , que eu saiba.

A fotografia que ilustra o texto refere-se à sua direcção , em 1971, do "Bolero"  de Maurice Ravel : nos meus 72 anos , nunca vi tal paixão, tal entrega , tal intensidade!

Parabéns, onde quer que se encontre.


 

segunda-feira, 20 de junho de 2022

CITAÇÃO : ALEXANDRA LUCAS COELHO ( "LÍBANO, LABIRINTO" )

 "O vazio do Estado gera redes que muitas vezes se tornam um poder paralelo, como o Hamas na Palestina, ou o tráfico, a milícia, as neo-igrejas no Brasil.

Autoritarismos diversos, o mesmo falhanço da democracia - e que a esquerda partidária se pergunte o que fez, onde estava. "

sexta-feira, 17 de junho de 2022

CITAÇÃO : PEDRO NORTON ( 2/6/2022)

 " Não pode haver apego a uma interpretação literal da segunda emenda da Constituição norte-americana que justifique tamanha carnificina.


Até porque a liberdade dos contratualistas é absolutamente compatível com a ideia weberiana de entregar ao Estado o monopólio da violência."

quarta-feira, 15 de junho de 2022

sexta-feira, 10 de junho de 2022

CAMÕES : "MUDAM-SE OS TEMPOS..."

 Mudam-se os tempo, mudam-se as vontades,

Muda-se o ser, muda-se a confiança;

Todo o mundo é composto de mudança,

Tomando sempre novas qualidades.


Continuamente vemos novidades,

Diferentes em tudo da esperança;

Do mal ficam as mágoas na lembrança,

E do bem, se algum houve, as saudades.


O tempo cobre o chão de verde manto,

Que já coberto foi de neve fria,

E, em mim, converte em choro o doce canto.


E, afora este mudar-se cada dia,

Outra mudança faz de mor espanto,

Que não se muda já como soía. 



VIVA PORTUGAL !!!

terça-feira, 7 de junho de 2022

ISABEL II DE INGLATERRA : JUBILEU DE PLATINA

   A Rainha Isabel  de Inglaterra tem noventa e seis anos  e está no trono há setenta, menos dois dos que eu tenho de vida, e não tem nenhuma intenção de abicar e assim entregar o Poder a Carlos, seu primogénito e herdeiro da coroa, pobre rei adiado e que provavelmente nem o chegará a ser.

Porém, pergunto-me : qual o sentido da monarquia nos tempos actuais ? Sinceramente não vejo nenhum! É tão só um símbolo . Aliás, como se viu claramente no desfile de pompa e circunstância de comemoração do acontecimento em que num coche dourado Isabel  foi substituída por um holograma de quando jovem .

Considero absolutamente absurda tal situação , que parece saída de um filme de terceira categoria. Como é possível ?!

Se analisarmos a prestação das Casas reais  em toda a Europa não existem grandes motivos de orgulho e , no fim, a utilidade não é nenhuma , pois , felizmente,  a monarquia absoluta já não existe e o Poder de decidir está nas mãos de Governos livremente eleitos pelos povos.

Espanta-me como ainda há quem seja a favor de uma instituição nitidamente ultrapassada . E nem sequer é uma questão ideológica  , é somente uma questão de senso comum!